Você conhece o alerta de mudança involuntária de faixa?

foto de carro na estrada para texto sobre alerta de mudança involuntária de faixa

Você conhece o alerta de mudança involuntária de faixa?

16/04/2020

Alguma vez você já ouviu falar em alerta de mudança involuntária de faixa? Pois é. É mais uma nova tecnologia que vem caindo no gosto do mercado automobilístico. 

Sempre que uma nova tecnologia é lançada, os fabricantes de veículos utilizam os modelos de luxo ou os esportivos como balão de ensaio antes de se popularizá-la. Isto acontece porque normalmente o recurso tem custo elevado logo que começa a ser produzido, o que não impacta tanto o preço já alto destes tipos de automóvel.

Outra razão é que a demanda por estes modelos é baixa, o que dá margem de segurança para continuar a desenvolver a novidade, independentemente de ela ser ou não um item de segurança. Caso dê defeito, é mais barato convocar 1.200 unidades do Mercedes-Benz Classe S para um recall do que 120.000 do Toyota Corolla, por exemplo.

Cotação online de Seguro Auto

 

Demora, mas chega

O tempo médio para que uma nova tecnologia automotiva barateie e passe a equipar modelos mais simples é de cerca de quinze anos. Foi assim com ar-condicionado, direção hidráulica, freios ABS, airbags, controles de tração e estabilidade, entre muitos outros. Com o alerta de mudança involuntária de faixa não foi diferente. Ele surgiu em 1999, passou a equipar os carros de luxo em meados da década de 2000 e só agora chega aos modelos de entrada.

Novo Hyundai HB20 já tem o alerta

A segunda geração do Hyundai HB20 é o primeiro compacto nacional a ter o equipamento de segurança. Entretanto, o alerta de mudança de faixa está presente apenas na versão mais cara do modelo, a Diamond Plus. Ele custa a partir de R$ 77.990 no hatchback e no aventureiro HB20X e R$ 81.290 no sedã HB20S.

Sorria, você está sendo filmado

O alerta de mudança involuntária de faixa faz parte do ADAS, de Advanced Driver Assistance Systems (Sistemas Avançados de Assistência ao Motorista). É uma central eletrônica que agrega diversos recursos de segurança ativa no automóvel. Também fazem parte do ADAS o alerta de ponto cego, o alerta de colisão com frenagem automática, o controle cruzeiro adaptativo, entre outros recursos.

Uma câmera de alta resolução instalada acima do retrovisor interno monitora o tempo todo o que acontece à frente do veículo. No caso do alerta de mudança de faixa, o equipamento acompanha as faixas horizontais da via, sejam elas contínuas ou tracejadas. Ou então cria faixas virtuais em vias sem sinalização.

Não deu seta, o carro te avisa

Caso o motorista comece a mudar de faixa sem dar a seta, um sinal luminoso aparece no painel junto com um alerta sonoro. Em alguns modelos, o volante ou o banco vibram. Em outros, o sistema pode até corrigir a trajetória do veículo de maneira autônoma. Na maior parte dos carros equipados, o sistema só funciona acima de 60 km/h.

Distração nunca mais

A tecnologia é importantíssima em uma era que, infelizmente, as pessoas se distraem cada vez mais ao volante, seja por causa do telefone celular ou pelas centrais multimídia carregadas de aplicativos e funções. Além disso, é um importante aliado contra os acidentes causados por motoristas com sono.

Alerta ajuda a reduzir os acidentes fatais

De acordo com o IIHS (Insurance Institute for Highway Safety – órgão que regulamenta e fiscaliza a segurança viária dos Estados Unidos), em 2016, carros equipados com o alerta de mudança involuntária de faixa se envolveram 86% menos em acidentes fatais do que os que não tinham o recurso de segurança. Além disso, as colisões frontais caíram 18%, enquanto que os acidentes com ferimentos leves tiveram uma redução de 24%.

Quais carros têm o alerta de mudança involuntária de faixa?

Além do HB20, alguns outros modelos fabricados no Brasil já possuem o alerta de mudança involuntária de faixa. É o caso do Citroën C4 Cactus, que tem o equipamento como item de série na versão Shine THP Pack e na série especial 100 Anos. Na Chevrolet o recurso está presente no Cruze Premier II (hatch e sedã), Equinox, Trailblazer e S10 High Country.

O Jeep Compass tem o item dentro do Pack High Tech, um opcional das versões Limited (ao custo de R$ 7.000) e Trailhawk (R$ 8.000) e item de série na topo de linha S. Já o Toyota Corolla tem o alerta de mudança de faixa de série na versão mais cara Altis. Nos importados, o sistema figura em boa parte dos modelos.

Disponível também como acessório

O alerta de mudança involuntária também está disponível como acessório. A Kenwood disponibiliza o recurso na câmera filmadora veicular DVR-410. Ela vai instalada no para-brisa e grava em alta definição tudo o que acontece quando o carro está em movimento. O equipamento também oferece alerta de colisão dianteira e alerta de partida do carro à frente.

Quebrou o vidro? Precisa calibrar

A câmera e os sensores que controlam o ADAS precisam passar por uma nova calibração toda vez que o para-brisa for trocado. De acordo com a Pilkington, fabricante de vidros automotivos, a nova peça pode provocar distorções e comprometer a leitura correta dos componentes. Isso pode colocar a segurança do motorista e dos ocupantes em risco. A própria empresa disponibiliza uma oficina especializada na calibração.

 

Última atualização em 16/04/2020