Qual a cobertura mínima do Seguro de Moto?

Foto de moto para texto sobre cobertura mínima do seguro de moto

Qual a cobertura mínima do Seguro de Moto?

22/07/2020

Para pilotar a sua moto tranquilamente, uma dica essencial é fazer um seguro de moto. Sim, o seguro é seu companheiro quando o inesperado acontece e evita um prejuízo maior ao seu bolso. Mas é possível escolher uma cobertura mínima do seguro de moto? Como saber a cobertura que seja ideal e também conseguir economizar? Calma, é sobre isso que vamos explicar e descomplicar a você, acompanhe! 

Cotação online de Seguro Moto

Afinal, qual a cobertura mínima do Seguro de Moto? 

O seguro de moto, semelhante ao seguro auto, é pensado para atender às necessidades de cada condutor. Ou seja, o motociclista pode personalizar o seguro de moto conforme utiliza o veículo e sem que afete o seu orçamento. Por isso, escolher a cobertura mínima do seguro de moto é uma opção bastante válida. Assim, garante uma proteção a sua moto ao mesmo tempo que economiza uma preciosa grana. 

Como falamos de coberturas básicas, isto é, aquelas mais baratas e acessíveis ao público, elas estão dentro do seguro de moto não compreensivo. Esta modalidade oferece ao proprietário coberturas específicas na qual ele pode escolher aquela que melhor casa com o seu perfil. 

Certo, sem mais rodeios, qual a cobertura mínima do seguro de moto? Vamos a elas: 

Cobertura contra roubo ou furto

Sim, este é um dos principais problemas quando falamos de motos. Para se ter uma ideia, o estado de São Paulo registrou mais de 30 mil motos roubadas ou furtadas no período de um ano entre 2018 e 2019. Os dados são do Boletim Econômico Tracker-FECAP. É uma estatística que salta os olhos, o que aumenta a importância da contratação da cobertura contra roubo ou furto

Essa cobertura pode ser escolhida de forma exclusiva, sem a necessidade de contratar outros coberturas. A vantagem não está somente pelo baixo preço, mas também assegura a indenização de até 100% de acordo com a Tabela Fipe no caso de roubo ou furto. 

+ Saiba a diferença entre roubo e furto

Porém, como estamos tratando da cobertura mínima do seguro de moto, o risco deve ser de perda total, ou melhor, quando há danos maiores do que 75% da moto. Como exemplo, ela precisaria ser encontrada desmontada ou, no pior dos cenários, simplesmente não achada. Dessa forma, o seguro entra em ação e ocorre a indenização ao segurado, uma vez que não costuma haver a necessidade do pagamento de franquia

A depender da seguradora, algumas não pedem a análise de perfil para a cobertura de roubo ou furto. Isso ajuda o seguro ser mais em conta para os que tiraram a CNH há menos tempo. 

Outra notícia boa: mesmo que haja somente a compra dessa cobertura, o pacote de assistências 24 horas está garantido. 

Cobertura para perda total

Mas de novo a perda total? Exatamente, mas com uma diferença agora. Não estamos falando apenas das situações de roubo ou furto, e sim quaisquer motivos que levam a considerar perda total da moto. Isso significa, por exemplo, que colisões, incêndios e alagamentos são válidos. Desde que, claro, possa ser considerado que os estragos ultrapassem os 75% do valor da moto. 

Sabe aquele momento desagradável que um carro acertou em cheio a sua moto na garagem do prédio? Essa cobertura mínima do seguro de moto é de grande valia, sobretudo pela indenização integral ser assegurada. 

Inclusive, é legal esclarecer que se o segurado estiver envolvido em um acidente que cause a perda total de um terceiro, essa cobertura não cobre o valor da outra moto. A cobertura para perda total é exclusiva ao segurado, não pode usada para ressarcir outros prejuízos. 

Importante: existem coberturas específicas como a de incêndio e de colisões no seguro de moto. Porém, elas são adicionais e cobrem danos parciais (menos de 75% do valor da moto). Não devemos confundir com o que chamamos de perda total, casos de quando o veículo em questão é considerado irrecuperável dado o seu estado. 

Vale excluir coberturas adicionais no Seguro de Moto? 

Para quem está buscando economizar e tirar os excessos, não tenha dúvida que a resposta é sim. Quais coberturas? Isso depende do que realmente é benéfico de acordo com o seu perfil no seguro de moto. 

A cobertura para danos aos faróis, lanternas e retrovisores de motocicleta contém franquia na substituição dos itens. Isso pode ser um gasto extra, visto que precisará abrir o bolso de alguma forma. Outro caso se refere a cobertura para extensão de reboque. Se não costuma pegar a estrada para longas viagens, vale deixar de fora. 

+ Saiba como conseguir o seguro de moto mais barato

Na hipótese do motociclista preferir o seguro de moto compreensivo, o mais completo e caro, a regra não muda. Fique atento para não acrescer o valor com várias coberturas e, em muitas ocasiões, o grande cardápio de assistências 24h já é suficiente para o dia a dia. Quer dizer, uma pane seca, um chaveiro ou um problema mecânico poderão ser reparados rapidamente, sem custos adicionais. 

Por que é importante ter a cobertura mínima do Seguro de Moto?

Já parou para pensar no tamanho da despesa que terá com uma moto em estado de perda total? Ou, também, se ela for roubada e nunca mais aparecer, outra mega dor de cabeça. Como forma de evitar isso, a cobertura mínima do seguro de moto ajuda a garantir a indenização completa do valor da moto em ambas as situações. Um verdadeiro alívio ao seu bolso. 

Desse jeito, o segurado consegue gastar pouco além de fornecer a proteção desejada. A cobertura mínima é super útil para aquele público que esteja à procura de um seguro mais pontual. Sem contar que os gastos com uma moto não são baratos, vale conhecer as nossas dicas de como proteger moto gastando pouco

Para descobrir se a cobertura mínima do seguro de moto cabe no seu orçamento, que tal fazer uma cotação online rápida e fácil com a Bidu Corretora? 

 

Última atualização em 22/07/2020