Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Saindo da crise: tudo o que você precisa saber apenas em 10 passos

Ilustração de gráfico e bonecos subindo degraus ilustrando texto sobre como sair da crise

Saindo da crise: tudo o que você precisa saber apenas em 10 passos

27/06/2018

Tempos de crise, tempos difíceis, certo? Não necessariamente. É evidente que os últimos anos estão sendo desafiadores para a maioria dos brasileiros. Mas, são nesses momentos de dificuldade que a criatividade dá forma a novos projetos e os coloca em prática. E se o dinheiro está curto, é preciso encontrar maneiras de fazer o pouco render.  Vale tudo para entender como sair da crise.

Pensar diferente, mudar hábitos, reavaliar gastos e se desapegar do que não serve mais. Manter o otimismo é a primeira atitude que não pode faltar. E isso o brasileiro tem de sobra.

Se o momento ainda pede cautela, é possível economizar e, também, fazer algum dinheiro extra (sim, isso mesmo!).

Quer saber como sair da crise? Anote e coloque em prática essas 10 dicas. Vamos juntos?

Como sair da crise

1) Organize e entenda o seu orçamento

A primeira dica de como sair da crise é essencial. Uma das questões primordiais para quem quer deixar para trás os tempos difíceis é organizar o seu orçamento pessoal. O método para isso pode variar de pessoa para pessoa. Há quem seja mais afeito à tecnologia e utilize a ajuda de aplicativos ou planilhas online. Já outros, preferem o bom e velho lápis e papel.

A ideia aqui é anotar todas as entradas e saídas para que seja possível entender para onde o seu dinheiro está indo. Considere até os pequenos gastos, por mais inocentes que eles possam parecer. Não deixe nada passar.

Assim que você visualizar a evolução dos seus custos fixos, variáveis e extras, estará pronto para o passo dois.

2) Corte o que você não precisa

Depois de analisar o perfil do seu orçamento, chegou o momento de agir. Você deve ter percebido que muitos dos itens que entraram como gastos fixos podem ser cortados. Pelo menos em um momento em que o seu foco principal é encontrar uma solução para como sair da crise.

Negociar é a palavra de ordem. Esse é o momento de ligar para a operadora de telefonia celular, para o provedor de internet, e para qualquer outro serviço que você tenha contratado. Se você avaliou que precisa mantê-los, então, deve buscar uma redução nos custos que paga mensalmente.

Esse passo é importante para dar uma folga no orçamento. Não são raras as vezes que as pessoas se surpreendem com a diferença que a economia desse dinheiro traz.

3) Cuidado com as taxas e multas que você não percebe

Primeiro você compilou todas as entradas e saídas de dinheiro. Com toda a certeza, se deparou com algumas taxas que são cobradas mensalmente sem que perceba.

Um dos campeões desse tipo de cobrança “invisível” são os bancos. As taxas de manutenção de conta podem ser inofensivas dentro do montante de um mês. Porém, dentro do prazo de um semestre apontam para um gasto nada desprezível. Outro vilão é a anuidade do cartão de crédito, que provavelmente você está pagando sem saber exatamente o quanto.

Uma visita ao seu gerente lhe dará a chance de cortar taxas e tarifas que podem estar corroendo parte do seu orçamento.

Outra opção é buscar por bancos que isentem as taxa de manutenção e tarifas de serviços que sejam mais importantes para você. Faça uma pesquisa e encontre a opção que melhor se adequa ao seu momento de vida.

Já as multas por atraso de pagamento também “roubam” parte do seu dinheiro sem você perceber. Se o problema é que você andava esquecido, agora que está anotando todos os gastos (conforme o passo número 1) vai lembrar com mais facilidade as datas de vencimento de suas despesas.

4) Se livre das dívidas caras

Depois de ter colocado em prática os passos 1, 2 e 3, você perceberá que o orçamento ficará mais leve. Mas, talvez você ainda não tenha conseguido colocar as contas no azul por estar protelando o pagamento de uma dívida.

Se esse é o seu caso, saiba que é possível resolver essa situação, mesmo em momentos de crise. E essa é a nossa qaurta dica de como sair da crise.

O primeiro passo é trocar as dívidas com juros altíssimos por outras com juros mais baixos. Outra possibilidade é o empréstimo para unificar as dívidas. Cartões de crédito e cheque especial devem ser os primeiros a serem negociados.

Existem opções de empréstimos pessoal que sempre oferecem taxas mais baixas. O crédito consignado também é uma alternativa que, geralmente, apresenta condições mais favoráveis para o solicitante. Isso porque ele é descontado diretamente na folha de pagamento ou do benefício do INSS.

Mas, antes de pegar um empréstimo com juros mais baixos para poder quitar as dívidas mais caras, avalie com muito cuidado se as parcelas cabem no orçamento. Você não pode esquecer que durante um tempo, aquelas parcelas farão parte da sua vida.

5) Faça uma graninha com as coisas que você já tem

Agora provavelmente você conseguiu estancar os pequenos e grandes vazamentos de dinheiro com as recomendações dos passos anteriores. Então chegou a hora de fazer um dinheiro extra. Esse é o quinto passo na lista de como sair da crise.

Os momentos de crise, geralmente, pedem criatividade e, também algum desapego. Essa é uma excelente oportunidade para avaliar se você realmente precisa de tudo que tem.

Em épocas de dinheiro mais abundante é muito comum colocarmos os nossos desejos consumistas em ação. Mas, agora, para sair da crise, você pode olhar para os “excessos”. Essa pode ser uma forma de levantar um dinheiro com os objetos, equipamentos, roupas e livros que não usa mais.

No mundo globalizado da internet é possível pesquisar vários sites que trabalham com a venda de coisas usadas. Mas, andando aí pelo seu bairro, você pode descobrir um sebo ou um brechó que aceitem comprar os seus itens. Ou então deixá-los na loja para a venda em consignação.

Hoje em dia existe comércio de usados dos mais variados produtos: roupas de criança, brinquedo, móveis, decoração e até equipamentos eletrônicos – isso mesmo, aqueles que você pensava que ninguém mais queria. Olha aí uma boa oportunidade de passar para frente aquele vídeo cassete.

6) Fazendo uma graninha “parte 2”

Outra forma de gerar uma receita extra é anunciar ao mundo aquela característica na qual você é muito bom, nem que seja aquela que você encarava apenas como hobbie. Se sabe tocar violão, pode pensar em ministrar aulas, ou dar shows barzinhos ou restaurantes, por exemplo.

Se gosta de fazer bijuterias, pode vender as peças nas redes sociais. Já se o seu talento é ser um gênio na matemática, pode dar aulas de reforço. Se você passou a vida toda ouvindo elogios a respeito de seus dotes culinários, pode ser o momento perfeito de emplacar um novo negócio no ramo alimentício.

Mas, se o seu foco não é vender, e sim trocar experiências e aprendizados, existem plataformas que reúnem diversos sites colaborativos, que aproximam pessoas com necessidades semelhantes. Você oferece um serviço e recebe outro em troca. Economia total para as duas partes.

7) Faça você mesmo

Não tem jeito. Para sair da crise, a palavra de ordem é economizar. Mas, se você precisa evitar gastos no salão de beleza, não significa que não vai mais poder usufruir da sensação de bem estar em ver suas unhas feitas.

A dica é encontrar tudo o que pode ser feito dentro de casa, sem a necessidade de gastar com a mão de obra de um profissional. Nessa lista podem entrar cabelo, unhas, depilação até o banho do seu pet.

Outra forma de reduzir bastante as despesas do orçamento é evitar fazer refeições fora de casa. Isso vale também para aquele delivery que você costuma pedir quando está com preguiça de cozinhar.

No final do mês, esse tipo de gasto compromete uma parte importante dos seus recursos. Se programar para fazer tudo em casa, pode ser divertido e também, uma chance de descobrir novas habilidades.

8) Use os cupons de supermercado

Hoje em dia é cada vez mais comum o uso de aplicativos de supermercado que “aprendem” com os seus hábitos de consumo. Eles lhe avisam quando aquele item que você compra regularmente está em promoção.

Além disso, é possível juntar a cada compra cupons que oferecem descontos para a próxima ida ao mercado. E quando o assunto é desconto, vale muito a pena aproveitar.

E já que você está mais preparado para ir ao supermercado (agora com os cupons em mãos), não se esqueça de fazer a lista do que pretende comprar. Assim, não corre o risco de voltar para casa com excessos desnecessários.

O seu orçamento doméstico agradece.

9) Faça uma reserva de emergência

Essa dica de como sair da crise é a que pode trazer uma segurança em momentos de instabilidade. Se você acompanhou os passos anteriores, provavelmente, já está conseguindo ver sua conta no azul.

Então, chegou a hora de pensar nela: a reserva de emergência. Mesmo em momentos de crise, saiba que ainda sim, é necessário guardar um pouco de dinheiro para estar mais preparado caso as coisas não melhorem na velocidade esperada.

Depois de eliminar gastos, cortar as “gorduras” do orçamento e levantar um dinheiro extra, é necessário destinar parte dos recursos que entram para uma reserva de emergência. Ela lhe dará proteção em qualquer eventualidade.

Os especialistas em finanças recomendam que o montante desse recurso seja baseado em acumular o valor necessário para cobrir entre seis a doze meses das suas despesas fixas.

Para ajudar nesse processo, crie uma meta na qual uma parte das receitas sejam destinadas todos os meses para essa reserva.  Evite deixar tudo o que conseguir juntar parado na conta corrente, para se livrar da tentação de ver esse dinheiro como “disponível”.

Você pode aplicá-lo na poupança (mas saiba que o rendimento é bem baixo). Ou então procurar opções como CDBs Tesouro Direto, que são investimentos de baixo risco, mas com liquidez diária, que permitem a retirada do dinheiro quando necessário. Porém, fique atento, pois retirar o dinheiro antes do término do prazo de carência pode corroer os lucros.

10) Tenha uma estratégia para o seu dinheiro

Por fim, mas não menos importante, a última dica de como sair da crise é definir metas de vida. Fica mais fácil de poupar e controlar aqueles impulsos gastadores quando se tem objetivos e planos. Trace estratégias para curto, médio e longo prazo e procure investimentos que possam lhe apoiar, proporcionando a rentabilidade que necessita.

Um bom parceiro pode lhe auxiliar a entender e encontrar as opções que melhor se encaixam no seu perfil. As corretoras fazem esse trabalho aconselhando em relação às vantagens e desvantagens de cada opção de investimento, mesmo que você seja um iniciante.

E, lembre-se: para sair da crise é preciso encontrar novos hábitos financeiros.

A boa notícia é que toda novidade leva a novas descobertas, que ampliam nossa capacidade de reação, mesmo em momentos difíceis.

Com toda certeza, você sairá de uma experiência como essa, com muito mais habilidades que quando entrou.