Resgatar Seguro de Vida: quando é possível?

Imagem de moeda para texto sobre resgatar seguro de vida

Resgatar Seguro de Vida: quando é possível?

23/06/2020

Se a grana ficar curta dá para resgatar o seguro de vida? Será que essa é uma opção que deve ser considerada como uma aplicação financeira? 

Existem tipos de seguro nos quais se pode resgatar parte do capital que foi investido. Isso é possível mesmo sem ter acontecido uma ocorrência prevista no contrato. 

Dessa forma, o resgate do seguro pode ser uma alternativa financeira em tempos difíceis. Mas, fique atento, pois nem todos os seguros de vida permitem esse resgate. 

Cotação Online de Seguro de Vida

Quando resgatar o Seguro de Vida

O primeiro passo ao fazer um seguro de vida é saber quais são os eventos cobertos para entender quando é possível pedir o resgate.

O seguro de vida é um produto que protege financeiramente o segurado e a sua própria família contra possíveis acidentes que podem acontecer no decorrer da vida. Ele restitui, reembolsa e indeniza o próprio titular e/ou seus beneficiários / dependentes caso algumas das situações previstas na apólice aconteçam.

Dessa forma, se algo acontecer ao segurado, é preciso contatar a seguradora e pedir o resgate da indenização. Já nos casos de morte natural ou acidental da pessoa segurada, algum parente próximo deve entrar com esse pedido.

Mas não é apenas em caso de sinistro (evento coberto pelo seguro) que é possível resgatar o seguro de vida. Existe também no mercado uma modalidade de seguro, o chamado “seguro de vida resgatável”, no qual o segurado pode resgatar parte do capital que foi investido.

Contudo, nem todos os seguros de vida operam desta forma, por isso, é bom conhecer as diferenças entre eles. 

Seguro de Vida tradicional não pode ser resgatado

De acordo com a Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), a modalidade de seguro de vida tradicional não prevê devolução de valores quando ocorre o cancelamento por parte do segurado.

Essa determinação está contida em sua Circular 302, de 2005, sendo válida para o seguro de vida individual e de grupo. 

A não devolução é mantida mesmo que não tenha ocorrido sinistro como morte ou invalidez do segurado durante a vigência da apólice, por exemplo. O motivo para esse entendimento é que, ainda que não tenha ocorrido sinistro, o segurado estava coberto. 

Mas, como dissemos acima, para quem quer resgatar seguro de vida, existe uma modalidade onde é possível resgatar os valores investidos, vamos saber mais sobre ele:

Seguro de Vida resgatável: o que é?

Nessa modalidade, como o próprio nome já diz, é possível ter seu valor (ou parte dele) resgatado se houver mudança de planos na família.

O seguro de vida resgatável apresenta duas características essenciais: 

  • A proteção da família caso algo venha a acontecer com o segurado;
  • A possibilidade de funcionar como uma poupança passível de resgate em vida.

 Isso quer dizer que, após um período de tempo, o segurado pode optar por receber de volta os recursos aportados, como se fosse uma aplicação financeira, por exemplo. 

Quando é possível resgatar Seguro de Vida?

Existem dois tipos de seguro de vida resgatável: 

Com prazo de validade: no qual é previsto um período mínimo em que o segurado precisa aguardar para solicitar o montante com os dividendos; 

Com proteção vitalícia: no qual não há um prazo estipulado para solicitar o resgate. É como se fosse uma aplicação financeira, que pode ser resgatado devidamente corrigido e com acréscimo de juros. 

+ Conheça os tipos de seguro de vida que existem.

O que é preciso saber antes de resgatar o Seguro de Vida?

Quem deseja resgatar seguro de vida, deve saber que os produtos que permitem o resgate do capital segurado são cancelados quando ocorre esse resgate. 

Ou seja: o segurado perde a proteção do seguro, assim como os beneficiários passam a ficar descobertos.

Consequentemente, se o resgate do seguro não ocorrer, o seguro continua valendo.

Como resgatar Seguro de Vida?

A maioria dos seguros de vida resgatáveis prevê uma carência de 24 meses para o resgate. 

Passado esse período, o segurado pode resgatar parte do valor investido, mesmo sem ter havido a ocorrência de sinistro.

Quando vale a pena resgatar o seguro?

A porcentagem do valor total que pode ser resgatado varia de acordo com o tempo de contribuição e os parâmetros previstos em contrato.

É importante saber que o resgate nos primeiros anos do seguro só vale a pena em caso de urgência. Isso porque, o valor resgatado será menor do que a soma das parcelas investidas.

Com o passar do tempo, a porcentagem vai aumentando, juntamente com a rentabilidade dos juros. Isso quer dizer que é possível resgatar 100% do valor investido após um prazo médio de 10 anos.

Quais as coberturas do Seguro de Vida que dá para resgatar?

As coberturas são, basicamente, as mesmas do seguro de vida tradicional, podendo variar de acordo com cada plano.

De modo geral, estão cobertos eventos como: 

  • Morte Acidental;
  • Invalidez Permanente Total ou Parcial por Acidente; 
  • Diárias por Incapacidade;
  • Doenças Graves; 
  • Desemprego;
  • Auxílio Funeral.

 

Para ficar mais simples de comparar, veja a tabela com as principais diferenças entre o seguro tradicional e o seguro de vida que oferece a opção de resgate:

Diferenças entre o Seguro de Vida resgatável e o tradicional

Seguro de vida tradicional

Seguro de vida resgatável 

Não prevê devolução de valores em caso de cancelamento pelo segurado. 

Esta regra vale para os seguro de vida individual e em grupo (aqueles contratados por empresas para seus funcionários).

É possível ter seu valor (ou parte dele) resgatado se houver mudança de planos na família.
A vigência do seguro é anual. A vigência do seguro pode ter prazo determinado ou pode ser vitalício – ou seja, duração para a vida toda. 
Mensalidade aumenta de acordo com a faixa etária do segurado. 

Ou seja, quanto mais velho for o segurado, mais caro é o valor a ser pago pelo seguro. 

Mensalidade é fixa, sendo ajustada somente devido à inflação.
Mensalidade é mais baixa na comparação com o seguro de vida resgatável Mensalidade é maior na comparação com o seguro de vida tradicional 
É preciso fazer uma declaração anual de saúde O risco inicial é congelado e fica válido por todo o contrato
Sem formação de reserva Com formação de reserva 
Indenização: em ambos é possível estabelecer a divisão proporcional exata da indenização entre os beneficiários, especificando a fração que cada um deverá receber.
Isenção de IR: a indenização de ambos possuem isenção de Imposto de Renda.

 

É melhor escolher um Seguro de Vida para resgatar?

Agora que você conheceu as diferenças entre um seguro de vida tradicional e um seguro que é possível resgatar, pode ter ficado a dúvida: qual é melhor? 

A decisão de resgatar seguro de vida é particular, que deve ser tomada junto ao grupo familiar a ser beneficiado.

Nos casos em que a família poderia incorrer em problemas financeiros muito sérios diante da ausência repentina do segurado, provavelmente, a opção mais interessante seja o seguro de vida convencional.

Já caso esse risco não seja determinante, pode ser uma boa alternativa contratar um seguro de vida resgatável. O motivo principal é que ele poderá ser convertido em capital extra em algum momento no futuro. 

E você? Já tem seguro de vida? Resgatável ou tradicional, faça uma cotação online com a Bidu Corretora e proteja hoje a sua família contra imprevistos!

 

Última atualização em 23/06/2020