COTAR SEGURO ONLINE Bidu - Cotação e Comparação de Seguro e Crédito Online
-->
thumb image

Vale a pena ter Seguro de Vida e Previdência Privada?

Saiba como economizar na contratação do seguro e escolher o melhor plano

Qual pode ser a melhor opção: contratar um seguro de vida e previdência privada ou contar com apenas um desses produtos já resolve a vida?

Seguro de vida e previdência privada têm sim características semelhanças e, claro, diferenças. Mas para contribuir para a sua tomada de decisão, a Bidu preparou este conteúdo informando os principais aspectos que devem ser levados em conta.

Acompanhe e tire sua própria conclusão!

Cotação online de Seguro de Vida

Seguro de Vida e Previdência Privada

É normal surgirem várias dúvidas quanto à contratação de um seguro de vida e previdência privada. Isso porque os dois produtos têm características parecidas.

Para começar, ambos oferecem mais tranquilidade para quem os contrata quando, por algum motivo, essa pessoa deixa de gerar renda.

Outra característica apresentada pelos dois produtos é que eles facilitam a vida dos herdeiros ou beneficiários no momento da transmissão de recursos após a morte de quem os contratou. Aliás, uma qualidade para lá de importante já que os recursos disponibilizados pelo seguro de vida e pela previdência privada não entram em inventário.

Apesar de essas duas qualidades serem importantes, e estarem presentes nos dois produtos, é válido ter em mente que ambos se complementam nas diferenças. Vamos conhecê-las?

Propósitos da Previdência Privada e do Seguro de Vida

Previdência privada

O principal propósito oferecido pela previdência privada é acumular recursos no longo prazo para que a pessoa tenha um dinheiro para sua aposentadoria.

Para isso, é necessário contribuir periodicamente durante algum tempo. Assim, no futuro, a ideia é ter um patrimônio complementar à Previdência Social.

Os dinheiro acumulado na previdência privada é da pessoa. Ela pode utilizar a quantia independente de qualquer acontecimento. 

Caso essa pessoa venha a falecer, os recursos podem ser passados para os beneficiários (sem a necessidade de entrar em inventário, como já foi mencionado). Mas as condições dependem de quando o participante morre. 

Um seguro de vida pode ser uma opção complementar para garantir aos herdeiros acesso ao dinheiro após a morte do titular sem muitos entraves.

Seguro de Vida

Já o principal propósito do seguro de vida é proteger o segurado e sua família caso não seja mais possível ter renda em virtude de um sinistro como, por exemplo, invalidez permanente ou morte.

O segurado, neste caso, não necessariamente receberá os recursos em vida, a não ser em casos de invalidez ou doenças graves. Mas, para isso, é preciso contratar essas coberturas.

O pagamento da indenização oferecida pelo seguro em geral só ocorre quando há um sinistro.

Como já foi dito, caso ocorra a morte do segurado, a indenização não entra em inventário. 

Ao contratar um seguro de vida, o segurado quer transmitir recursos aos beneficiários para, por exemplo, ajudar a própria família principalmente quando ocorrem os primeiros gastos após a sua morte (inventário é um deles!).

Por isso, caso toda a previdência privada do segurado tenha sido usada em vida, a família ainda terá acesso fácil e rápido a recursos financeiros após a morte de quem era o provedor.

Tributação

Previdência Privada

Os planos de previdência sofrem a cobrança de imposto de renda no resgate, já que recebem tratamento de investimentos financeiros.

Seguro de Vida

Já os seguros de vida estão isentos de imposto de renda, uma diferença a ser considerada. 

Penhora

Previdência Privada

A Justiça pode, muitas vezes, entender que um plano de previdência privada é penhorável. Há inúmeras discussões quanto a essa questão e por isso as decisões ocorrem de forma personalizada.

De acordo com o Superior Tribunal de Justiça (STJ), a previdência só é considerada impenhorável quando tem natureza alimentar. Ou seja, caso se destine ao sustento do titular e da sua família.

Seguro de Vida

Caso o titular seja processado, o seguro de vida é impenhorável, já que não é considerado um investimento financeiro.

Imposto sobre a herança

Previdência Privada

O Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doações (ITCMD), é um tributo estadual que tem alíquota de até 8%. Esse imposto incide sobre todos os bens doados ou herdados e é pago por quem recebe o bem.

A previdência privada pode estar sujeita à cobrança desse imposto, é preciso verificar se o seu estado cobra o ITCMD.

Seguro de Vida

No caso do seguro de vida, os beneficiários não pagam esse imposto quando o segurado morre.

Conclusão: vale a pena ter Seguro de Vida e Previdência Privada?

Seguro de vida e previdência privada, como constatado, podem servir como uma proteção para quem os contrata e para quem é beneficiado por eles.

Mas após entender quais são as principais diferenças entre os produtos, faz sentido contar com ambos?

Trata-se de uma conclusão particular, pois pode fazer sentido sim para alguns e para outros… não!

Uma coisa é certa: por se tratarem de produtos com naturezas e objetivos diferentes, o seguro de vida complementa a previdência privada e vice-versa.

Cabe a cada um avaliar os principais aspectos e concluir o que pode trazer mais segurança e tranquilidade para o futuro – o próprio e o de quem mais importa para você.

 

Última atualização em 08/06/2020