COTAR SEGURO ONLINE Bidu - Cotação e Comparação de Seguro e Crédito Online
-->
thumb image

Como funciona o Sensor de Farol? 

Saiba como economizar na contratação do seguro e escolher o melhor plano

dirigiu à noite e nem percebeu que o farol estava apagado? Saiba que você não está sozinho, esta é uma situação comum entre alguns motoristas. O perigo, como é de se imaginar, não é pequeno dado o risco de não ver outros carros e objetos à sua frente. Uma forma de impedir isso é instalar um sensor de farol. Não o conhece? Calma, nós iremos explicar tudo sobre ele!

Cotação online de Seguro Auto

 

O que é Sensor de Farol?

O sensor de farol, também conhecido como sensor crepuscular, é um dispositivo que liga ou desliga o farol de forma automática, a depender da luminosidade. 

Onde fica? Ele costuma estar localizado atrás do retrovisor interno do carro. Assim, a peça consegue detectar a presença de luz natural para acionar o farol sem qualquer obstáculo. 

Como funciona?

Pode parecer confuso, mas o dispositivo funciona à base de células fotovoltaicas. É mais simples do que parece. Essas células estão em outros sistemas, como calculadoras, relógios e painéis solares e realizam o trabalho de transformar luz em energia elétrica. No caso do sensor de farol, é preciso luz natural para ocorrer o seu funcionamento.

O sensor reconhece quando não tem luz no ambiente e acende o farol, assim como quando há luz suficiente e apaga o farol. Tudo isso sem o motorista precisar tirar a mão do volante, o que ajuda a evitar descuidos como o farol desligado no período noturno. 

Para isso acontecer, é necessário o motorista ajustar o controle do farol no modo “auto”, de automático. Este botão varia conforme o modelo do automóvel, enquanto uns podem vir como um componente do volante, outros podem estar instalados à parte no painel. 

Com ele ativado, não é preciso ligá-lo uma segunda vez, pois ele funciona no momento que o veículo der a partida. E, ao desligar o carro, ele não consome energia extra ou sobrecarrega bateria, fique tranquilo. 

Quais são as vantagens do Sensor de Farol?

E será que vale a pena ter um ? Vamos conhecer algumas vantagens que o dispositivo disponibiliza: 

Segurança

O propósito do sensor de farol é, sem dúvidas, oferecer uma maior segurança ao condutor e demais passageiros à noite. Instalada, a peça garante ligar o farol em momentos oportunos, como em túneis, garagens ou estacionamentos. Locais que, de certa forma, podem surpreender quem estiver dirigindo por serem mais escuros e impossibilitar uma visão clara ao motorista. 

Não só isso: em situações com chuva ou céu nublado, o sensor pode ser bastante útil, já que a luminosidade pode diminuir bruscamente mesmo durante o dia. 

Como o sensor de farol é acionado automaticamente, acabou a desculpa de quem esquecia de ligar o farol à noite ou em lugares pouco iluminados. Isto, inclusive, costuma acontecer por causa do motorista estar com o veículo ligado, com o painel aceso e acreditar que o farol também esteja funcionando. O que difere, por exemplo, dos carros antigos, quando o farol e painel são ligados ao mesmo tempo. 

Acessível

Sim, o preço não é salgado: varia entre R$ 45,00 a R$ 150,00, a depender da marca escolhida. Para o motorista não ser pego de surpresa, vale comparar dois ou mais dispositivos para descobrir o ideal para o seu veículo. 

Lembrando: o sensor de farol não é um artigo de luxo, mas um item de segurança e, por isso, requer uma avaliação especial na hora da compra.  

Econômico

Pensou na vida útil dos faróis? Bingo! Já que ele é ativado por meio do sensor, impede o uso desnecessário das lâmpadas. Dessa forma, garante uma economia que pode estender bastante a duração dos faróis. 

Evita multa 

Dirigir com o farol desligado não somente coloca o condutor em risco, mas configura infração de trânsito, com 4 pontos na carteira, além de multa de R$ 130,16. O sensor de farol, neste caso, é um valioso companheiro, sobretudo à noite. 

E quais são as desvantagens do Sensor de Farol? 

Nem tudo são boas notícias. Por isso vamos explicar quais são as desvantagens do sensor de farol, confira:

Não liga instantaneamente

Mesmo um dispositivo acionado de forma automática, existe um pequeno delay para o sensor reconhecer a ausência de luz e ativar o farol. Demora muito? Não, alguns segundos são suficientes para o farol ser ligado e tudo ocorrer normalmente. Porém, atenção ao dirigir: os segundos dirigindo com farol desligado necessitam cuidado redobrado. 

Não é útil nas rodovias durante o dia

Conhece a lei que todo veículo precisa estar com farol aceso nas rodovias durante o dia, certo? Pois é, aqui o sensor não ajuda. Como o sistema detecta falta de luminosidade para ativar o farol, isso não acontecerá quando o céu estiver claro. Pode, sim, cair uma chuva forte e, desta maneira, o sensor ser benéfico. 

No fim, o motorista precisa seguir o que diz a lei e andar com farol baixo nas rodovias – ativando manualmente. Ou seja, o sensor acaba sendo mais usado nas áreas urbanas, em vez das estradas. 

Para esclarecer, o sensor liga o farol, não a DRL (a luz diurna), iluminação comum entre muitos veículos atualmente. 

+ Saiba quando usar o farol de milha

Quais carros têm o Sensor de Farol? 

Por enquanto, o sensor de farol ainda não é um item tão popularizado entre os veículos. Há alguns modelos com o dispositivo originário de fábrica, aliás, junto com o sensor de chuva no mesmo automóvel. No entanto, existe a possibilidade de instalar o item à parte também.  

Caso preferir comprar o sensor de farol, escolha um material de qualidade e não deixe de ir a um mecânico de sua confiança, afinal, ele precisará mexer no sistema elétrico. 

Para citar alguns carros que têm o dispositivo: Volkswagen Golf, Chevrolet Onix e Cruze e Ford Fusion EcoBoost Titanium.  

Agora que você já sabe sobre o sensor de farol, quer dirigir sossegado a qualquer hora? Para isso, faça uma simulação de seguro auto, descubra o seguro de veículos que seja ideal para você! 

 

Última atualização em 14/04/2020