Comprar usados ou novos na pandemia?

imagem de chave para texto sobre carros usados ou novos

Comprar usados ou novos na pandemia?

16/06/2020

Em tempos de pandemia causada pela Covid-19, surgem as dúvidas: troco de carro agora ou espero? Compro um usado ou é melhor investir em um carro novo? Realmente é uma decisão difícil de ser tomada em um momento tão delicado. No entanto, muitas pessoas precisam fazer esta troca, seja pelas condições do carro (muito antigo e com alta quilometragem) ou até mesmo para organizar o orçamento (comprar um carro mais barato ou mais econômico). Entre carros usados ou novos, separamos as principais vantagens e desvantagens de cada um. Confira.

Cotação online de Seguro Auto

Usados ou novos?

Carro usado é mais barato

A principal vantagem do carro usado é o preço mais baixo do que o do novo. E, com a pandemia, a diferença está aumentando ainda mais. Com o mercado automotivo praticamente parado, o preço dos carros usados está em queda. Já os carros novos estão seguindo o caminho inverso. Com a alta do dólar, as montadoras estão sendo obrigadas a fazer reajustes de preço.

Um Honda Civic EXL 2020 zero quilômetro, por exemplo, tem preço de tabela de R$ 114.100, contra R$ 91.000 de um modelo 2019 exatamente igual e com baixa quilometragem. Trata-se de uma considerável diferença de 20%. Se a opção for por um Ford Ka SE 2020 novo, você vai gastar R$ 48.210. O mesmo carro, ano 2019 e com menos de 20.000 quilômetros, pode ser encontrado na faixa dos R$ 36.000, uma redução de 26%.

A maior desvalorização já foi

A maior desvalorização de um carro novo acontece no primeiro ano de uso. Em média, fica entre 15% e 25%, de acordo com o modelo. Nos anos seguintes, a desvalorização vai ficando menor: cerca de 10% no segundo ano, 7% no terceiro e 5% no quarto ano. Isto significa que, caso você opte por um usado, a maior perda de valor já terá acontecido.

Emplacamento, licenciamento e IPVA já estão quitados no usado

Outra vantagem econômica no carro usado na comparação de usados ou novos, está no custo da documentação. Para tirar o carro novo da concessionária, é preciso pagar as taxas de emplacamento, seguro obrigatório (DPVAT) e IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). No caso de um carro usado, geralmente estes custos já foram quitados pelo proprietário anterior.

Usando o mesmo Honda Civic EXL 2020 zero quilômetro de exemplo, o total para documentá-lo no mês de junho seria de aproximadamente R$ 3.500. No Ford Ka 2020 zero quilômetro, o custo de emplacamento chegaria a R$ 1.750. Se a escolha for pelos usados, há apenas a taxa de transferência de propriedade a ser paga, algo em torno de R$ 500.

O outro lado da moeda

Como o próprio nome diz, um carro usado é… usado! Isto significa que dificilmente você encontrará um modelo imaculado e sem detalhes. Um ou outro risco ou marca na pintura, uma roda ralada no meio fio sempre vai haver. Por isso que ele custa mais barato. Se você faz questão de um carro sem cicatriz nenhuma, esqueça os usados. Um ponto para os carros novos na comparação usados ou novos.

Outra desvantagem do usado é que nem sempre é possível escolher a cor do carro. É verdade que a atual paleta de cores dos carros é bastante sóbria, com tons de cinza, preto e branco. Mas, muitas vezes, você terá que levar para casa um carro que não seja totalmente do seu agrado, pois você acaba optando pelo melhor negócio. Por fim, tem a chance de comprar um carro que já tenha sido batido, danificado ou roubado. Por isso, é importantíssimo fazer um laudo cautelar antes de fechar o negócio.

Nem sempre dá para colocar o carro antigo na troca

Caso o modelo usado escolhido seja de um vendedor particular, na maioria das vezes o pagamento é à vista e não é possível colocar seu carro antigo na troca. Nestes casos, você teria que buscar revendas multimarcas ou o setor de usados das concessionárias, que geralmente trabalham com preços mais altos e dão descontos pequenos. Além disso, possuem restrições em relação a alguns modelos de carro, ano de fabricação e quilometragem. 

Carro e dor de cabeça zero

Na dúvida entre usados ou novos, é bom sempre lembrar de quem pode te dar menos dor de cabeça. Se o carro usado se destaca pelo preço, o novo tem a vantagem de ter uma longa vida útil pela frente. 

Em outras palavras, um carro novo não lhe trará gastos com manutenção por no mínimo três anos. E, caso dê defeito, pode ser coberto pela garantia de fábrica se todas as revisões tiverem sido feitas na concessionária. Com um carro novo, você tem certeza que pode encher o tanque para uma viagem longa sem correr o risco de ficar pela estrada.

Nada como cheiro de carro novo

Tem coisa mais gostosa do que cheiro de carro novo? Aquela mistura dos odores do plástico, espuma, borracha e revestimentos é muito agradável e bastante associada à felicidade de conquistar um bem caro e novo.  Fora isso, a pintura tem brilho intenso, o interior não tem marcas, manchas ou sujeiras e as rodas ou calotas não têm detalhes.

Histórico sem detalhes

Ao comprar um carro novo, você tem a certeza de que nada de errado aconteceu com ele antes. Já um carro usado requer mais atenção e experiência na hora da compra. Ele pode ter sido de um dono não muito cuidadoso, ter sido mal tratado em frotas de locadoras ou ter passagens por leilões, o que muitas vezes inviabiliza o seguro.

Usados ou novos?

Enfim, o custo de poder escolher a cor, sentir o cheiro de novo e saber que não há nada de errado no histórico do carro é de 20% a 30% maior do que o de levar para casa outro que já tenha passado pelas mãos de um ou mais proprietários. Cabe a você avaliar o que é mais importante na hora da compra. 

 + Vale a pena comprar carro na pandemia?

 

Última atualização em 16/06/2020