COTAR SEGURO ONLINE

Você entende de Velas de Ignição?

Você entende de Velas de Ignição?

17/02/2020

Você sabia que as velas de ignição são um dos itens mais importantes do seu carro? Se elas não funcionarem ou falharem o motor simplesmente não vai funcionar. Mas o que são e para que servem as velas de ignição? Elas precisam de manutenção? Quando devo trocá-las? São peças caras?

Cotação online de Seguro Auto

Velas que acendem o motor

As velas de ignição são responsáveis por gerar a faísca que incendeia a mistura de ar e combustível dos motores a combustão movidos a etanol ou gasolina. Uma vela possui um corpo de cerâmica que a isola e suporta altas temperaturas. Em seu interior há uma mistura de vidro e metal que protege o eletrodo central. A parte de baixo da vela é chamada castelo ou carcaça. Metálica, possui uma rosca que prende a vela ao bloco do motor e um eletrodo lateral que se encontra com o central em sua extremidade inferior.

É exatamente no encontro dos dois eletrodos que é gerada a fagulha que explode a mistura ar-combustível e movimenta o pistão para baixo. Na extremidade superior da vela fica o pino. Nele é conectado o cabo de vela e, este, à bobina de ignição. A bobina é responsável por gerar a tensão de 20.000 a 30.000 volts – que termina na faísca da vela – e é comandada pela central eletrônica do carro.

Cada motor, uma vela de ignição

Os motores não são todos iguais. Cada fabricante de veículos tem um projeto específico de motor, com cargas térmicas e calibrações diferentes. As velas de ignição também não são iguais e acompanham as particularidades de cada propulsor.

Há especificações com maiores ou menores absorção e dissipação de calor. O manual de proprietário de seu carro indica o tipo correto de vela de ignição. A informação também está disponível nos sites e catálogos de fabricantes de velas de ignição, como NGK, Bosch, Denso, entre outros.

Velas de ignição apagadas

Como vimos, o motor só funciona se as velas de ignição estiverem trabalhando corretamente. A boa notícia é que elas dão sinais quando estão desgastadas ou com problemas. Os principais sintomas são:

Mas a não ocorrência dos sintomas citados acima não significa que as velas de ignição estejam novas. Muitas vezes elas chegam ao fim de sua vida útil sem trazer dificuldades ao funcionamento do motor. As velas com eletrodo de platina costumam durar 40.000 quilômetros e custam por volta de R$ 100 o jogo. Já as com eletrodo de irídio (metal mais nobre, resistente e caro) chegam tranquilamente aos 100.000 quilômetros. Novamente consulte o manual de proprietário para saber o prazo correto de troca.

Irídio em alta

As velas de platina são as mais comuns, porém os motores mais modernos apelam para velas de ignição de irídio. Além de mais resistente ao desgaste, o irídio tem uma condutividade melhor e proporciona uma fagulha mais consistente. Assim, o motor consome menos combustível, tem partida mais fácil, menor emissão de poluentes e ausência de falhas no funcionamento. Como o irídio é mais caro, as velas também são e podem custar três vezes mais do que as de platina.

Velas de ignição reveladoras

Como os eletrodos das velas de ignição ficam dentro da câmara de combustão, eles entram em contato com os gases resultantes da combustão. Assim, acabam sendo um indicador de como está a saúde do motor e a qualidade do combustível usado. Um exame visual dos eletrodos pode revelar se está tudo bem ou se há algo errado no funcionamento.

Eletrodos amarelados ou marrons

Se estiverem com esta coloração, tudo corre bem dentro do propulsor do seu veículo.

Distância entre os eletrodos maior do que o normal

Quando isso ocorre, as velas de ignição estão desgastadas e devem ser substituídas. Muitos mecânicos entortam o eletrodo externo para aproximá-lo do eletrodo central e dar mais alguns quilômetros de vida útil. A prática não é aconselhável e sobrecarrega os cabos e as bobinas.

Corrosão dos eletrodos

A oxidação geralmente é causada por combustível adulterado, especialmente etanol com muita água.

Eletrodos com fuligem preta

A fuligem preta e seca é sinal de mistura ar-combustível muito rica, motor com ponto de ignição atrasado, filtro de ar sujo, velas inadequadas, ou combustível adulterado.

Eletrodos sujos

Fuligem preta e úmida é sinal de acúmulo de carvão ou óleo. Podem ser problemas no cabeçote ou nos anéis do pistão, que não retiram totalmente o óleo da câmara de combustão. O lubrificante queima junto com o combustível e contamina a vela.

Eletrodos fundidos

Quando há um superaquecimento no interior da câmara de combustão os eletrodos podem derreter e se fundir. Isso é causado por motor abastecido com combustível de má qualidade, quando a mistura ar-combustível está pobre, ponto de ignição do motor desregulado, velas de ignição incorretas ou mal instaladas.

Cerâmica amarelada

Indica alta concentração de chumbo no combustível, normalmente resultado de combustível adulterado. O chumbo fica impregnado na cerâmica e pode conduzir eletricidade, prejudicando o funcionamento da vela.

Cerâmica quebrada ou trincada

A cerâmica pode trincar quando os eletrodos fundem, com combustível de má qualidade ou por instalação incorreta.

Motores a diesel

Se você tiver uma picape ou SUV movido a diesel e o mecânico disser que precisa trocar as velas de ignição, chame a polícia que é golpe! Os motores a diesel não precisam de velas de ignição porque o combustível entra em combustão espontaneamente ao sofrer compressão do pistão, sem a necessidade de uma fagulha.

No entanto, os motores a diesel usam velas de aquecimento do tipo incandescente que podem chegar a 800°C. Elas servem para aquecer a câmara de combustão e facilitar as partidas e o funcionamento na fase fria.

 

Última atualização em 17/02/2020