Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como viajar e fazer compras com o cartão de crédito pré-pago internacional

Imagem de carteira com cartão ilustrando texto sobre cartão de crédito pré-pago internacional

Como viajar e fazer compras com o cartão de crédito pré-pago internacional

Quem está com viagem marcada para o exterior sabe que, entre o momento de decisão sobre o destino e a hora do embarque, há um longo caminho a ser percorrido. É preciso fazer um bom planejamento. Entre outras coisas, há a decisão sobre qual a melhor forma de levar dinheiro para a viagem. Dinheiro em espécie e cartão de crédito convencional são as opções mais comuns. Mas, existe também uma forma segura de viajar e que ainda evita surpresas com as variações cambiais: o cartão de crédito pré-pago internacional.

Imagem de carteira com cartão ilustrando texto sobre cartão de crédito pré-pago internacional

Essa modalidade de pagamento oferece algumas vantagens que se encaixam no perfil das pessoas que gostam de manter o controle dos gastos. Também funciona de forma prática. Ele pode ser recarregado, ao mesmo tempo, com moedas diferentes. Ideal para quem está planejando um roteiro com passagem por diversos países.

Nessa hora, vale considerar as características do seu destino e a infraestrutura local para usar as opções de pagamento mais adequadas.

Para ajudar no seu check list, vamos mostrar o que é e como funciona o cartão de crédito pré-pago internacional. Veja como ele pode ser incorporado no seu roteiro de viagem.

Vamos lá!

Como funciona o cartão de crédito pré-pago internacional?

O cartão de crédito pré-pago internacional é uma modalidade de pagamento que funciona, em alguns aspectos, como um cartão de crédito convencional. Mas, existem diferenças importantes entre eles, que precisam ser consideradas.

Vamos ver agora quais são:

Vantagens do cartão de crédito pré-pago internacional

  • Controle dos gastos: na modalidade pré-paga, o cliente utiliza apenas o saldo que estiver disponível no cartão. Não há surpresas com gastos não planejados ou despesas que possam extrapolar o orçamento previsto. Há a liberdade de fazer recargas em momentos mais convenientes e acompanhar o total do saldo sempre que necessário.
  • Menor impacto da variação cambial: na modalidade pré-paga do cartão internacional, você evita surpresas desagradáveis relacionadas à variação do câmbio. Isso porque antes de usar o cartão em sua viagem, você precisa adicionar crédito. Dessa forma, é possível se programar para fazer recargas antecipadamente. Você escolhe os dias em que a cotação da moeda estrangeira esteja mais favorável.

Existem sites que lhe ajudam a acompanhar a cotação do dia e também facilitam a negociação com as casas de câmbio.

Já no cartão de crédito convencional, você tem a comodidade de usar o limite previamente aprovado. Porém, só terá a certeza do total das suas despesas quando receber a fatura. Isso acontece porque a cotação das moedas pode variar muito no período entre a realização da compra até o fechamento do ciclo de cobrança. Nesse caso, a surpresa pode não ser tão boa.

  • Recargas em diversas moedas: alguns dos cartões de crédito pré-pagos internacionais são multimoeda. Ou seja, permitem recargas em moedas diferentes ao mesmo tempo. Isso facilita muito a vida de quem está planejando uma viagem que contempla destinos por países diferentes.
  • Compras online na função crédito: o cartão de crédito pré-pago também pode ser usado para compras online em sites internacionais, assim como um cartão de crédito convencional.

Pontos de atenção da modalidade pré-paga:

  • A aprovação da compra ocorre somente mediante saldo do cartão: pela característica pré-paga, o cliente conta apenas com o limite recarregado.
  • Sem parcelamentos: não é possível fazer compras parceladas com um cartão pré-pago.

Se você quiser conhecer todas as funcionalidades além da internacional, veja mais informações sobre o cartão de crédito pré-pago.

Como obter um cartão de crédito pré-pago internacional?

Você pode solicitar um cartão pré-pago internacional por meio de uma corretora, que pode encontrar no mercado o produto que melhor atenda os seus objetivos.

As emissoras dessa modalidade de pagamento são instituições financeiras, bancos, e casas de câmbio. As bandeiras utilizadas são Visa e Mastercard, que possuem maior rede credenciada no Brasil e no mundo.

De modo geral, para obter o cartão não é preciso comprovar renda.

Também não são feitas consultas aos órgãos de proteção ao crédito como Serasa e SPC. Por isso, é uma boa opção para quem está com alguma dificuldade de aprovação de um cartão de crédito tradicional.

Alguns cartões pré-pagos internacionais estão vinculados a contas digitais. Portanto, o cliente precisa ter uma conta ativa para poder solicitá-lo.

Como fazer a recarga do cartão de crédito pré-pago internacional?

Algumas emissoras de cartão oferecem a recarga em ambiente online, via aplicativos e até em rede de lojas e supermercados. O cartões atrelados à contas digitais também oferecem opções como boleto bancário, débito online e depósito em conta.

Quanto vou pagar de taxa a cada recarga?

Como já vimos, um dos pontos favoráveis de utilizar o cartão de crédito pré-pago internacional é poder planejar a realização das recargas antes da viagem. Essa é uma boa maneira de minimizar possíveis impactos com a variação cambial das moedas estrangeiras. Por isso, a cada recarga, você deverá contar que pagará o valor do moeda do dia.  

E, também, como em todas as operações de câmbio, haverá a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que é de 6,38%. Essa é a mesma porcentagem das transações internacionais de um cartão de crédito convencional.

A seguir, veremos também algumas tarifas que podem ser cobradas pelas emissoras de cartões pré-pagos:

Quais são as tarifas de um cartão de crédito pré-pago internacional?

As emissoras de cartão possuem políticas distintas quando o assunto é a modalidade pré-paga internacional. Vale a pena ficar atento em relação a alguns quesitos:

Tarifa de adesão – algumas emissoras cobram. Porém, dependendo do valor da recarga inicial, o cliente fica isento.

Mensalidade – muitos cartões dispensam essa cobrança. Já algumas operadoras cobram uma taxa mensal. Em geral, na soma de 12 meses, esses valores são mais baixos que a anuidade dos cartões de crédito convencionais.

Recarga – também podem incidir taxas. Algumas emissoras isentam dependendo do valor a ser recarregado.

Taxa para saques – o cliente também precisa ficar atento. Pode haver tarifas para saques em caixas eletrônicos nacionais e internacionais. Os valores variam de emissora para emissora.

Segunda via de cartão – os valores cobrados para emissão de segunda via também são diferentes em cada operadora.

Taxa para uso internacional – alguns cartões cobram uma porcentagem sobre a taxa de conversão cambial.

E se sobrar saldo no cartão de crédito pré-pago?

Depois da viagem, se você voltar com saldo no cartão, pode guardá-lo para uma outra oportunidade. Mas, nesse caso, é preciso saber que alguns cartões cobram tarifa por inatividade.

Há também a opção de resgatar o valor remanescente da moeda estrangeira em reais. Mas é preciso muita atenção, pois nessa operação há uma desvalorização. Isso significa que ao vender o seu saldo, o cliente receberá em real um valor menor do que o investido na compra da moeda estrangeira.

Vale a pena viajar com um cartão de crédito pré-pago internacional?

E se você ainda estiver com dúvidas sobre as modalidades de pagamento que melhor se enquadram no seu destino, você pode ver comparativo a seguir:

 

Cartão de crédito pré-pago internacional Cartão de crédito convencional Dinheiro em espécie
Aquisição Para solicitar o cartão não há burocracias como comprovação de renda ou consulta aos órgãos de proteção ao crédito É necessário comprovar renda e ter o nome limpo. É preciso procurar uma casa de câmbio confiável para adquirir o montante de moeda estrangeira desejada.
Utilização e limites Recargas podem ser feitas de diversas formas, sem grandes complicações.

Algumas emissoras de cartão estabelecem limites mensais ou anuais para recarga

Cliente tem à disposição o limite de crédito concedido pela instituição emissora do cartão Sem dificuldades. Dinheiro em espécie é uma forma de pagamento aceita em qualquer lugar
Câmbio Cliente pode se planejar previamente para fazer recargas pouco a pouco e assim, acompanhar a flutuação da moeda. Cliente pode ter surpresas desagradáveis quando receber a fatura. O valor total das despesas realizadas na viagem pode ser impactado com variação cambial.

Algumas operadoras utilizam ainda o referencial do dólar Turismo, que é um pouco mais caro frente ao real.

Assim como no caso do cartão de crédito pré-pago, o cliente pode se  planejar para comprar moeda de forma antecipada e assim, evitar sustos com a variação do câmbio.
Segurança Em caso de perda ou roubo, tem  proteção padrão oferecida pela emissora do cartão Em caso de perda ou roubo, tem  proteção padrão oferecida pela emissora do cartão Em caso de perda ou roubo, recuperar o dinheiro em espécie é bem mais complicado.

É preciso também ficar atento ao risco de receber notas falsas durante a viagem.

Taxas básicas Variação do câmbio + IOF de 6,38% Variação do câmbio + IOF de 6,38% Variação do câmbio +IOF 1,1%  
Outros Para saldos remanescentes no cartão há um deságio caso o cliente queira trocar a moeda estrangeira por real.

Algumas emissoras de cartão oferecem participação em programas de acúmulo de pontos.

Não é possível parcelar as compras.

Não há preocupação com o deságio.

Cliente tem à disposição o limite aprovado do cartão. Pode acumular pontos e milhas no programa de benefícios.

Para saldos remanescentes há um deságio caso o cliente queira trocar a moeda estrangeira por real.

Para sair do país com quantidades acima de R$ 10 mil, é necessário apresentar na alfândega a Declaração Eletrônica de Porte de Valores (e-DPV).

Dicas finais

Agora que você já viu como funciona na prática cada uma das modalidades de pagamento, você já pode decidir, com mais segurança, o seu planejamento de viagem.

Os cartões de crédito sempre oferecem vantagens, pois podem complementar o orçamento. Além disso, garantem segurança e praticidade.

O importante é sempre adotar pelo menos duas formas diferentes para não ter surpresas desagradáveis em solo estrangeiro.

Dica: leve sempre em consideração as características do país que pretende visitar e também o objetivo de viagem que irá fazer.