Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como funciona o limite do cartão de crédito em compras parceladas?

limite do cartão de crédito em compras parceladas

Veja como funciona o limite do cartão de crédito em compras parceladas

Uma dúvida muito comum entre consumidores diz respeito ao limite total do cartão de crédito. Afinal, como é feito o cálculo do poder de compra do cartão? No Brasil, as operadoras seguem basicamente dois modelos:

  • somando o total gasto pelo dono do cartão em todas as suas transações, independente do número de parcelas escolhido em suas compras;
  • o limite que leva em consideração apenas o total da fatura do mês corrente.

A seguir, você vê exemplos de como é feita a conta na prática.

Valor total das faturas

Este é o modelo mais comum utilizado pelas operadoras de cartão de crédito. Nele, o consumidor deve ficar atento a tudo o que gastou em suas transações. E que ainda não foi pago na última fatura.

Vamos supor que o limite total concedido pela administradora seja de R$ 1.000. A primeira compra feita tem um valor total de R$ 700 e é parcelada em 10 vezes. Nesse caso, restam ainda R$ 300 para que o dono do cartão utilize.

O consumidor segue realizando compras com seu cartão e, até o fim daquele mês, gasta mais R$ 250. Assim, a fatura daquele período fecha em R$ 350 – os R$ 100 da parcela da primeira compra somados aos R$ 250 das demais transações.

Até que a fatura seja quitada e a administradora detecte seu pagamento, o cliente tem ainda R$ 50 livres para utilizar. Depois disso, o limite do cartão disponível passa ser de R$ 400, já que ainda há uma dívida de R$ 600 a ser saldada nos próximos meses – justamente as seis parcelas de R$ 100 daquela primeira transação.

Cada vez que quitar uma das parcelas, o saldo total para utilização passa a ter um acréscimo de R$ 100. Ao final dos sete meses, caso não seja feita uma nova compra parcelada, o limite disponível volta ao seu valor original de R$ 1.000.

Vale lembrar que o dono do cartão de crédito deve levar em consideração para a conta desse limite possíveis gastos fixos que entram na fatura todos os meses. Caso de assinaturas de serviços de streaming, por exemplo. Se o cliente contratou um serviço de R$ 50, todos os meses, no dia determinado no contrato fechado com a empresa, esse valor vai aparecer na fatura. Então, é importante que o dono do cartão sempre deixe uma espécie de reserva de R$ 50 para que, no momento em que o valor apareça na fatura, o limite não seja ultrapassado. Ao exceder o limite, o consumidor pode ser obrigado a pagar juros e outros encargos financeiros.

Valor total da fatura do mês corrente

Para esta modalidade, vamos usar o mesmo exemplo do caso anterior. Um cartão de crédito com limite total de R$ 1.000 com uma compra de R$ 700 parcelada em 10 vezes. Como cada parcela será de R$ 100, o limite automaticamente passa a ser de R$ 900. Esse é o valor que o cliente terá para gastar nos 7 meses em que a compra constar em sua fatura.

Supondo que uma nova compra parcelada seja feita, desta vez de 3 vezes de R$ 150. Nesse caso, o limite pelos próximos 3 meses passa a ser de R$ 750.

É importante ficar atento a qual modalidade a operadora oferece no momento daa contratação do serviço de cartão de crédito. Além disso, nunca é demais ressaltar que em qualquer dos casos é fundamental ter o controle dos gastos totais feitos no mês. Muitas operadoras oferecem ao cliente a possibilidade de ser avisado pelo celular cada transação concluída. Ou o recebimento de mensagens de alerta para a proximidade do fim do limite naquele mês.

Aproveite para conferir algumas dicas de quando vale a pena comprar com o cartão de crédito.