Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como sair das dívidas?

Imagem de homem segurando bolso vazio para ilustrar post sobre Como sair das dívidas

Como sair das dívidas?

Com a crise pela qual passa o país e o desemprego em alta, muitos brasileiros acabam entrando no vermelho e depois não sabem como sair das dívidas.

Se você é um deles, não se desespere. Aqui estão algumas dicas para você recuperar o equilíbrio financeiro.

Solução que pode virar problema

Às vezes, por várias razões, surge uma necessidade imediata de dinheiro. Então, para obtê-lo, recorremos a um empréstimo, cartão de crédito, etc.

Essas opções são práticas e podem ajudar uma pessoa em um momento específico, até que ela se recupere e consiga pagar a dívida contraída.

Contudo, sem um planejamento eficaz, existe o perigo de a pessoa perder o controle e se ver em graves apuros financeiros.

O ato de “rolar” a dívida, empurrando-a para frente, apenas intensifica o problema, pois a dívida vai crescendo.

Muitas pessoas chegam a uma situação desesperadora. Aí então acham que jamais conseguirão saldar suas dívidas, pois simplesmente não ganham o suficiente.

Nesses momentos, é preciso manter a calma e, principalmente, adotar algumas medidas práticas para ajudar a sair do buraco. Veja abaixo algumas delas.

Saiba exatamente quanto está devendo

Não perca o controle de quanto você deve! O primeiro passo para quem quer saber como sair das dívidas é dimensioná-las.

Faça uma tabela com tudo o que está devendo. Anote os valores iniciais, o credor de cada dívida e a taxa de juros correspondente a cada uma.

Você precisa saber exatamente quanto deve para poder começar a planejar sua reestruturação. Se não fizer isso, a situação só tenderá a piorar.

Anote todos os seus gastos

Depois de descobrir exatamente quanto você está devendo, é hora de saber quanto você está gastando diariamente.

Anotando tudo o que gasta, você terá uma visão geral de tudo o que consome, e da maneira que você está usando o seu dinheiro.

Alguns aplicativos de celular para controle de gastos podem ajudar nessa tarefa.

Você pode descobrir, por exemplo, que alguns gastos de valor baixo, mas que se repetem muito ao longo do mês, podem estar pesando no seu orçamento mais do que você imagina.

Renegocie as dívidas

Tente renegociar a dívida junto à instituição credora.

Para eles, pode ser mais vantajoso receber logo algum valor do que demorar mais para receber a totalidade da dívida. Assim, os dois lados saem ganhando.

Estabeleça uma proposta antes da negociação, com base em um valor que você consiga pagar.

Se obtiver sucesso na renegociação, tente pagar a dívida o quanto antes.

Pague primeiro as dívidas com juros mais altos

Dívidas atreladas a juros altos crescem rapidamente. O mecanismo de aplicação dos juros compostos faz com que a cada mês o valor dos juros seja maior.

É o temido “efeito bola de neve”. O valor inicial da dívida cresce ao longo do tempo e você acaba ficando com uma dívida gigantesca.

Para evitar isso, pague primeiramente as dívidas com os maiores juros.

Dá para fazer uma comparação com um vazamento que precisa ser estancado. É como se essas dívidas correspondessem aos buracos maiores. Tampe-os assim que puder, pois é o seu dinheiro que está vazando por eles.

Se você deixar essas dívidas de lado, quando olhar para elas de novo pode ter uma surpresa muito desagradável.

Tente unificar suas dívidas

Unificar (consolidar) suas dívidas significa contrair um novo empréstimo, no valor total de suas dívidas, para pagar todas elas. Assim, você fica com uma dívida só.

A princípio essa ideia pode não parecer muito boa, pois equivaleria a “tampar um buraco e abrir outro”.

No entanto, a unificação pode ser uma boa opção se o novo empréstimo apresentar percentual de juros menor do que os das dívidas anteriores.

Alguns dispositivos de crédito, como o cheque especial, apresentam juros muito altos. Um percentual alto de juros significa que a cada mês a dívida cresce muito, proporcionalmente ao valor do mês anterior.

Se você conseguir um financiamento com juros menores, a unificação valerá a pena. Isso porque, embora o valor devido seja o mesmo, sua dívida crescerá mais devagar, dando a você mais fôlego para pagá-la.

Gaste menos

Reduzir gastos é uma medida importante para quem quer saber como sair das dívidas.

Tente abrir mão, ao menos por algum tempo, de serviços de TV a cabo, assinaturas de jornais e revistas, etc.

Evite comprar algo por impulso, experimente deixar a decisão de comprar para o dia seguinte, por exemplo. E sempre pesquise bem antes de comprar algo!

Cuidado com gastos excessivos envolvendo energia elétrica, telefone celular, combustível para o carro, e assim por diante.

Todo gasto que você puder cortar significará mais dinheiro em caixa para ajudar você a sair das dívidas.

Cozinhe em casa

Comer fora é caro. Muito caro. Comprar os alimentos no supermercado e preparar em casa é muito mais econômico – e, muitas vezes, mais saudável também.

Se possível, tente levar comida de casa para o trabalho. Evite sair para almoçar ou jantar aos finais de semana. E nada de gastar com snacks como coxinha, refrigerante, sucos, etc.!

Crie uma meta mensal

Para saber como sair das dívidas, será necessário poupar algum dinheiro. Experimente estabelecer uma meta de economia a ser atingida todo mês – algo como 10% ou 15% dos seus rendimentos mensais.

Dessa maneira, você estará contribuindo para solucionar o problema e terá um parâmetro para indicar o seu grau de sucesso. Se não conseguir atingir a meta, saberá que precisará se esforçar mais.

Evite fazer compras parceladas

O parcelamento de compras pode trazer a falsa sensação de que a compra não doeu no seu bolso.

O problema é que nos meses seguintes continuam chegando parcelas para você pagar.

Se você não tiver feito um planejamento adequado, pode ser que você se esqueça disso. Aí, acabará usando o dinheiro que deveria destinar a essa dívida para fazer outra coisa.

Então começa a roda-viva de mais empréstimos e endividamentos.

Sempre que puder, pague à vista. Se precisar parcelar, divida em poucas parcelas, e planeje-se para pagá-las.

Como sair das dívidas? Organize-se!

Resumindo, você vai precisar se organizar para sair do vermelho.

Precisará contabilizar quanto está devendo, para quem, e quais as taxas de juros envolvidas.

Também vai precisar anotar tudo o que está gastando, e cortar algumas despesas por um tempo.

Terá também de renegociar suas dívidas, oferecendo propostas concretas de pagamento, e pagar primeiramente as dívidas com juros mais altos.

Então, não se desespere: planeje, faça o que foi descrito neste texto, e conseguirá reverter sua situação e equilibrar suas contas novamente!

Veja nossas dicas sobre como evitar dívidas com cartão de crédito.