Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como funciona o empréstimo de consolidação de dívidas?

Ilustração de dinheiro e pessoa com bolso vazio para texto sobre consolidação de dívidas

Como funciona o empréstimo de consolidação de dívidas?

Se você está com problemas financeiros e não sabe como sair das dívidas, uma das providências recomendadas pelos especialistas é fazer um empréstimo de consolidação de dívidas.

Ilustração de dinheiro e pessoa com bolso vazio para texto sobre consolidação de dívidas

Isso não resolverá todos os seus problemas, mas impedirá que eles piorem. Assim, você ganha um pouco mais de fôlego para se organizar e sair da espiral de juros.

O problema das dívidas

Os mecanismos para você se endividar estão todos aí: cartão de crédito, cheque especial, empréstimo bancário, entre outros. Tudo isso pode ajudar em momentos de necessidade financeira. Mas é preciso ter cuidado e se planejar para poder pagar.

Todos esses dispositivos de crédito vêm atrelados a taxas de juros. E, se você não pagar as parcelas da dívida, os juros vão se acumulando, pois são aplicados no regime de juros compostos.

Então, se a pessoa atrasa uma parcela, o valor daquela dívida começa a aumentar, devido aos juros. Mas, com a dívida aumentando, fica cada vez mais difícil pagá-la. E, sem pagá-la, obviamente ela aumenta cada vez mais.

Assim, qualquer esquecimento ou imprevisto financeiro momentâneo que impeça o pagamento de uma parcela, coloca em movimento um mecanismo danoso que alimenta a si mesmo. É o temido efeito “bola de neve”.

Pode chegar um momento em que a pessoa se vê afogada em tantas dívidas e acha que jamais conseguirá pagá-las.

Nesse momento, a melhor coisa a fazer é não se desesperar. Entre as medidas que você pode tomar para sair dessa situação, uma das mais importantes é a consolidação de dívidas. E isso ocorre por meio de mais um empréstimo.

O que é empréstimo de consolidação de dívidas?

O empréstimo de consolidação de dívidas nada mais é do que um empréstimo cujo valor corresponde à soma de todas as suas dívidas.

Com esse dinheiro emprestado, você paga todas as dívidas, ficando apenas com uma – a do empréstimo de consolidação de dívidas. Por isso, o processo de consolidação também é chamado de unificação de dívidas.

À primeira vista pode parecer que isso signifique “tapar um buraco para abrir outro”. Mas, na verdade, a consolidação de dívidas é uma atitude inteligente a se tomar, pois traz algumas vantagens – veja a seguir.

Uma única dívida

Na maioria das vezes, as pessoas em apuros financeiros não possuem apenas uma dívida, e sim várias.

A pessoa pode ter uma dívida com cartões de crédito, outra com o cheque especial, outra dívida pelo condomínio atrasado, mais uma com o IPTU, uma com o banco, etc.

Com tantas dívidas, fica fácil perder o controle. É preciso ter um planejamento muito eficiente para, a cada mês, não perder nenhuma data de vencimento das parcelas de todas as dívidas.

Com muitas dívidas, é difícil até mesmo a pessoa saber exatamente quanto dinheiro ela deve ao todo. E isso constitui o primeiro passo do planejamento para sair do buraco.

Consolidando a dívida, a pessoa fica com uma dívida só, com uma só data de pagamento. Assim, ela não apenas saberá exatamente quanto está devendo e quando deve pagar, mas também poderá acompanhar a dívida muito mais facilmente.

Juros mais baixos

Cada dispositivo de crédito opera com uma taxa de juros diferente. É sabido que os juros do cartão de crédito e do cheque especial são muito altos. Já os de empréstimos bancários tendem a ser menores, por exemplo.

Algumas pessoas não se dão conta disso. Porém, é preciso estabelecer uma prioridade para o pagamento das dívidas em função dos juros de cada uma.

Dívidas cujo montante dos juros está alto crescem muito a cada mês, em valor absoluto. É preciso cuidar delas logo.

Do mesmo modo, dívidas cujos juros apresentam percentuais muito altos também são perigosas, pois elas crescem muito a cada mês, proporcionalmente. Assim, se o montante mensal dos juros ainda não estiver alto, ele rapidamente ficará.

Um dos principais objetivos ao fazer um empréstimo de consolidação de dívidas consiste em trocar todas as dívidas por uma única dívida com juros mais baixos.

Dessa maneira, o valor total que você está devendo não vai mudar, mas ele não crescerá tão rapidamente. Assim, você ganha algum fôlego para se organizar.

Então, ao pegar um empréstimo de consolidação, preste muita atenção no valor da taxa de juros. Se ela for igual ou maior do que as taxas que você já paga, a consolidação não vai ajudar praticamente em nada!

Prazos maiores

Também faz parte da ideia de um empréstimo de consolidação a obtenção de prazos extensos. Isso reduzirá o valor mensal a ser pago, permitindo que você respire um pouco mais e tenha a dívida sob controle.

Como fazer um empréstimo de consolidação de dívidas

A essa altura, você já deve ter percebido que a unificação das suas dívidas é uma boa ideia. Mas, como proceder?

O problema é que você precisa encontrar um banco ou instituição financeira que aprove o empréstimo no valor desejado, com juros baixos e prazo amplos.

Isso pode não ser tão simples, pois o banco saberá que você está devendo. Você precisará apresentar documentos que mostrem que você conseguirá pagar esse empréstimo.

Provavelmente, precisará comprovar a entrada e a saída de dinheiro em suas contas, bem como sua estabilidade: provar que você possui emprego, endereço fixo de residência, etc.

Mais ainda: para obter os juros mais baixos possíveis, talvez você tenha que apresentar um fiador ou avalista. Ou seja, alguém que assuma a responsabilidade caso você não consiga pagar as parcelas em dia.

Se você não tiver um fiador, pode ser necessário fazer um empréstimo com garantia, oferecendo um imóvel ao banco como garantia do pagamento. Nesse caso, tenha certeza de que poderá cumprir com os pagamentos, para não perder o imóvel!

Conclusão

Não espere mais: faça um levantamento exato de quanto dinheiro você está devendo.

Procure um banco para fazer um empréstimo de consolidação de dívidas e apresente um planejamento de como você pretende pagá-lo.

Não deixe suas dívidas envolverem você na espiral descendente dos juros!

+ Portabilidade de empréstimo

+ Dicas de como sair da crise

+ Dicas para não cair no golpe do empréstimo