Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Comprar carta de crédito contemplada: como funciona?

Comprar carta de crédito contemplada é uma forma que muitas pessoas encontram de ter acesso rápido à compra de um bem ou serviço. O propósito desse tipo de transação é antecipar o sonho sem ter de aguardar todo o período de duração de um consórcio. Mas, será que vale a pena?

Imagem de pessoa assinando contrato para ilustrar texto sobre comprar carta de crédito contemplada

Comprar carta de crédito contemplada pode ser vantajoso, mas traz riscos.

Muitas vezes, comprar carta de crédito contemplada pode esconder riscos. Para não cair em armadilhas, é fundamental se cercar de informações que comprovem a veracidade do documento. Além disso, é necessário observar se as regras acordadas previamente em contrato atendem aos objetivos do futuro comprador.  

Outra dúvida recorrente sobre vender e comprar carta de crédito contemplada é sobre a legalidade dessa transação. Será que essa situação está prevista na lei que regulamenta a atuação dos consórcios no Brasil?

Vamos esclarecer agora todas as vantagens e desvantagens de comprar carta de crédito contemplada de um consórcio.

Quais são os riscos de comprar carta de crédito contemplada?

Não é possível prever quando haverá a contemplação do consorciado. Pode demorar anos até que ele receba o direito à aquisição do objetivo acordado em contrato. Dessa forma, diante de um longo tempo decorrido, é possível que os planos do cotista tenham mudado no meio do caminho.

Quando isso ocorre, o cotista não quer perder o dinheiro investido. Então, ao receber a concessão da carta de crédito, ele pode manifestar o interesse em repassar a um terceiro o direito a esse crédito.

Assim, uma outra pessoa pode assumir as obrigações financeiras com o grupo. Ela recebe imediatamente o acesso à aquisição do bem ou serviço.

Há risco de golpe?

Às vezes, pelo fato de o comprador desconhecer todos os trâmites envolvidos na operação de compra e venda de cotas contempladas, há um grande risco de cair em um golpe.

Existem muitos relatos de operações fraudulentas. Elas prometiam acesso à supostas cartas de crédito que nem ao menos existiam, ou que ainda não haviam sido contempladas.

Existem também outras práticas que podem alertar sobre a iminência de golpe:

  • Solicitação de dinheiro prévio como um “sinal” para assegurar o negócio;
  • Não contar com o suporte da administradora na qual a carta de crédito contemplada está submetida;
  • Não exigir o acesso à todas as informações sobre a cota contemplada.

É importante ressaltar também que o interessado em comprar uma carta de crédito terá o seu perfil financeiro avaliado pela administradora do consórcio. Por isso, ainda é preciso considerar o risco de não aprovação.

Se isso acontecer, ele não poderá seguir com o negócio. E caso tenha antecipado qualquer valor com a ilusão de “assegurar a transação”, poderá ter problemas em ter essa quantia ressarcida. Tenha muito cuidado com essa prática!

Fique atento também, pois as administradoras de consórcio não fazem a intermediação da venda da carta de crédito contemplada. Elas apenas prestam o suporte na obtenção das informações entre vendedores e compradores.

É por isso, que muitas pessoas preferem comprar uma cota de consórcio no início do grupo. Desta a forma, o consorciado conta com a assessoria de uma empresa especializada.

Comprar uma cota contemplada de consórcio é legal?

Segundo a Associação Brasileira de Administradores de Consórcio (ABAC), com base na Lei nº 11.795/08, que dispõe sobre o sistema de consórcio no país, a transferência de contrato a terceiros é permitida. Mas ela deve estar de acordo com os requisitos estabelecidos pela administradora do consórcio.

Por isso, antes de comprar uma cota contemplada, é preciso checar se o contrato permite que a transação de compra e venda da carta de crédito seja efetuada.

O interessado também deve ficar atento às condições que envolvem essa transação. É comum que as administradoras cobrem taxa de transferência de um consorciado para outro.

Existem também outros gastos que o interessado em comprar carta de crédito contemplada precisa observar. Vamos saber agora quais são:

Vale a pena comprar uma carta de crédito contemplada?

Como já vimos, a carta de crédito é um documento que chancela a compra de um bem ou serviço. A participação em um consórcio exige planejamento, pois haverá obrigações e deveres com relação ao grupo formado.

Antes de comprar carta de crédito contemplada, é preciso saber ela costuma ser mais cara que a cota de um consórcio. Isso acontece porque o consorciado que pretende vender sua carta adiciona um valor extra ao total que foi investido até o momento da venda.

Essa prática é conhecida como ágio, que nada mais é que um lucro obtido sobre a operação.

Ou seja, além dos valores investidos na quitação das parcelas, o comprador da cota contemplada também terá de arcar com um valor adicional para concretizar a transação.

Fazendo as contas

Vamos imaginar que o motivo que está levando você a procurar uma carta de crédito já contemplada seja a necessidade imediata na aquisição de um bem. Neste caso, compare essa opção com outras modalidades de crédito como o financiamento, por exemplo. No final das contas o custo total da cota precisa ser menor para ser mais vantajosa.

Ao fazer as contas, não se esqueça que as administradoras de consórcio cobram taxas e encargos. Além disso, o valor das parcelas é corrigido anualmente por índices do mercado. Entre eles estão o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) e o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). Isso significa que, com o passar dos anos, as parcelas ficarão maiores.

Com todas os cálculos em ordem, não deixe de verificar outros itens importantíssimos antes de fechar qualquer negócio.

Para lhe ajudar nessa avaliação, fizemos um check list com os pontos que precisam ser observados no momento de comprar carta de crédito contemplada.

9 dicas sobre como comprar uma carta de crédito contemplada com segurança

  1. Confirme se a administradora do consórcio em questão está autorizada pelo Banco Central do Brasil (Bacen) a operar;
  2. Verifique a existência da cota e seu status junto à administradora do consórcio;
  3. Leia o contrato para se inteirar sobre as regras previstas para o caso de compra e venda de cotas contempladas;
  4. Entenda muito bem quais são as obrigações e deveres que ambas as partes precisam assumir para evitar negociações distorcidas e que prejudiquem um dos lados;
  5. Observe quais são as obrigações financeiras que você deverá arcar junto ao consórcio. Veja também quais são os índices que servirão como base para reajustar cada parcela ao longo dos anos;
  6. Confirme se o valor da carta de crédito contemplada é condizente com o valor do bem que deseja adquirir ou do serviço que se pretende contratar;
  7. Certifique-se sobre as eventuais regras estabelecidas para a aquisição do bem ou serviço compreendido na carta de crédito;
  8. Consulte se o consórcio pede alguma garantia em troca da liberação da carta de crédito. Por exemplo, no caso de imóveis, é comum que a administradora aceite como garantia outro imóvel de valor semelhante;
  9. Calcule quais serão as taxas e despesas envolvidas na transação de aquisição do bem ou serviço: escrituras, taxas, registros das garantias prestadas.

Para fechar esse checklist, é fundamental saber:

  • Comprador e vendedor da cota possuem obrigações conjuntas. Isto é, precisam estar alinhados durante toda a negociação, pois será exigida a documentação e garantias de ambos os lados para a efetivação da transação.
  • O comprador da cota passa por uma análise de crédito por parte da administradora para que ele comprove que está em condições de honrar o compromisso. Assim, evita-se riscos para o andamento do grupo.
  • As administradoras só dão o ok na transação após todos esses quesitos terem sido checados.

Se você tem interesse em adquirir um bem ou serviço, é importante entender quais são os tipos de consórcio e como eles funcionam. Peça também uma cotação online.