Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como transferir o consórcio?

imagem de mão assinando um papel e chave para ilustrar texto sobre transferir consórcio

Como transferir o consórcio?

Nem sempre os nossos planos e sonhos saem como planejamos, não é mesmo? Muitas vezes as pessoas desejam comprar um bem, como um imóvel ou um carro e se programam para concretizar essa compra. Mas algo no caminho nos faz ter que redesenhar essa história. Por isso, hoje vamos falar com quem está em um consórcio e, por motivos pessoais ou financeiros, precisa mudar os planos. Vamos explicar como transferir consórcio.

imagem de mão assinando um papel e chave para ilustrar texto sobre transferir consórcio

Seja o motivo que for. Você não precisa mais do bem, recebeu a sua carta de crédito e quer vender, ou então mudou os planos. De qualquer forma, é possível você desistir do consórcio ou transferir consórcio para outro veículo.

Transferir Consórcio

Veja o passo a passo para transferir consórcio e quais as vantagens e desvantagens dessa ação.

1º passo: Releia o contrato

Antes de qualquer decisão, é importante você rever o que foi acordado com a administradora do seu consórcio. Leia as cláusulas que implicam a desistência. Confira se estava contemplado esse tipo de movimentação.

De maneira geral, os contratos costumam sim ter essa regra. Tanto para cotas já contempladas quanto para não contempladas.

Caso esteja tudo certo no seu contrato, é bom saber que a administradora irá avaliar a capacidade do novo cotista em honrar com os próximos compromissos. A administradora também pedirá garantias a ele sobre isso.

Além disso, geralmente é cobrada uma taxa de quebra do contrato. Você poderá ver essa taxa no próprio acordo.

Mas não é apenas isso. Vamos aos outros passos que você vai entender.

2º passo: Fale com a administradora

Este segundo passo pode fazer você pensar duas vezes antes de desistir do consórcio. Pode haver outra solução que não a transferência.

Para isso, você precisa conversar com a administradora do seu consórcio. Você poderá rever o contrato e pedir ajuda na transferência, se você realmente estiver decidido a seguir com a transferência. Mas também poderá acabar encontrando outra solução: a de negociar a sua dificuldade de compromisso com o restante do acordado no consórcio.

Não que essa seja uma regra em todas as situações. Mas há administradoras que analisam a sua situação e os motivos que estão te levando a desistir e transferir. Em alguns casos elas podem te oferecer dois cenários:

  • Renegociação da sua parcela. Isso pode ocorrer se você apresentar a motivação da transferência ligados a problemas financeiros para continuar cumprindo com esse compromisso. Neste caso, a administradora poderá oferecer redução do seu crédito a receber e, em consequência, redução das prestações;
  • Aumento no valor do seu crédito. Se a questão está relacionada a um novo objetivo, ainda maior, e que o valor do crédito acordado seja insuficiente, a administradora poderá oferecer um aumento do seu crédito.

3º passo: A venda

Há administradoras de consórcios que realizam esse serviço de venda de cotas de seus associados para terceiros. Mas, caso isso não aconteça, você mesmo poderá indicar.

É muito importante que você tenha cuidado ao realizar esse tipo de transação. Principalmente em relação aos seus dados pessoais e financeiros. É comum ter que fornecer as regras do consórcio e os valores determinados e as cotas já pagas. Porém, não se deve abrir outros dados sem que a administradora peça. Ou então que isso seja feito de forma responsável.

Um contrato de transferência do consórcio entre você e o novo cotista é uma ótima ideia e pode te trazer mais segurança de realizar a negociação. Garanta que a forma de pagamento, valores e como se deu o acordo esteja muito bem especificado.

4º passo: Seja um bom negociador

Você lembra que no consórcio há a possibilidade do valor ser corrigido de acordo com o andamento do mercado? Isso significa que muito provavelmente o valor que era considerado inicial pode ter valorizado. Nesse caso, a sua carta de crédito pode ter uma receita maior do que a esperada.

Além disso, considere as vantagens do novo comprador em entrar em um consórcio em andamento. Ele irá desembolsar uma quantia menor do que se entrasse em um novo consórcio do início.

Em resumo, você deve equilibrar o valor que irá negociar com bom senso e responsabilidade. Considere os seguintes aspectos:

  • Valor total das parcelas pagas até o momento;
  • O saldo que ainda resta pagar nesta cota;
  • O crédito em aberto, se você já tiver recebido a sua carta de crédito;
  • As parcelas vencidas ou não que ainda precisam ser pagas.

Como acontece o cancelamento do consórcio?

O Banco Central do Brasil, órgão responsável pela fiscalização das atividades de consórcio, estipulou uma regra para aqueles que desejam cancelar um consórcio. Isso ocorre sem prejudicar os demais membros associados.

Isso não quer dizer que ao cancelar você receberá imediatamente todo o dinheiro investido. Mas sim que você terá a garantia desses valores dentro das regras do contrato. Ou seja, apenas na sua contemplação via sorteio, o que você já sabe que pode acontecer rapidamente ou apenas no encerramento do grupo.

Desisti de cancelar, posso voltar?

Pode. Desde que ainda falte um ano para a contemplação de todas as prestações e que a sua vaga no grupo de associados ainda esteja livre.

Não se esqueça que você estará em atraso com o consórcio, portanto, se fará necessária a quitação desses valores. Em geral, as administradoras oferecem o pagamento à vista ou distribuído pelas parcelas restantes. Faça uma consulta prévia antes de decidir.

É bom lembrar que voltar para o seu consórcio é uma responsabilidade grande. Não será possível rescindir o contrato novamente. Então você precisa ter muita certeza de que a sua saúde financeira voltou ao normal e que não haverá tropeços neste novo caminho.

Transferir consórcio ou cancelar: o que eu faço?

Claro que essa decisão é de avaliação muito particular e de caso a caso. Mas como você já deve ter percebido, o importante mesmo é que você seja cauteloso e pense bem antes de definir.

Para dar uma ajudinha tente se encaixar em alguma das condições:  

  • Se você estiver no início do consórcio: vale mais a pena você cancelar a sua cota, assim você retoma o fôlego financeiro e volta assim que se estabilizar novamente;
  • Se já estiver em estágio avançado do consórcio: vale mais a pena você transferir consórcio. Desta forma você recebe o valor investido de forma mais imediata para suprir a sua real urgência.
  • Está na dúvida: converse com alguém que entenda do assunto para pedir uma opinião e, principalmente, com a administradora do seu consórcio. Só ela poderá oferecer aquela negociação extra das suas prestações, que explicamos aqui no passo número dois.

+ Saiba como funciona o consórcio de carro

+Consórcio imobiliário: vale a pena fazer?