Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

O que é e como funciona o cheque especial

o que é cheque especial

Quando se fala em cheque especial, para quem não conhece o termo, a primeira imagem que vem à mente é o tradicional talão de cheques. Porém, você sabe mesmo o que é cheque especial? Pois estamos na verdade falando de outra coisa.

Afinal, o que é cheque especial?

O cheque especial nada mais é do que um “empréstimo automático”. O banco empresta automaticamente ao correntista quando ele precisa gastar além do valor que possui em sua conta.

Suponhamos que você tenha disponível em sua conta o valor de 100 reais, mas precisa pagar com urgência um boleto de 250 reais. Para que você não atrase o pagamento do boleto, o banco libera para cada cliente um limite de cheque especial. Ou seja, um dinheiro adicional que depois será devolvido ao banco, com correções. Neste exemplo, você usaria 150 reais do cheque especial, que seria devolvido, com juros, assim que entrasse algum dinheiro na conta.

Pela facilidade de movimentação desse dinheiro, as taxas são geralmente altas. Algumas instituições bancárias oferecem o limite do cheque especial por alguns dias (podem chegar a 10 dias) sem cobrar taxa alguma. É importante ficar atento. Os bancos que concedem dias sem juros podem ter taxas maiores do que a média geral dos bancos, quando o tempo da isenção acabar.

Para escolher seu banco, é preciso então identificar se você usa com frequência o cheque especial. E também por quanto tempo fica devedor para escolher a instituição que melhor lhe atenda. No caso dos bancos que dão a isenção de juros em “tantos” dias, esteja atento para cobrir sua conta antes desse prazo acabar. Depois dele os juros virão com tudo.

Quanto pago de juros?

Agora que você já sabe o que é cheque especial, é importante conhecer os juros. Cada instituição define com base em diversos índices qual será a taxa de juros do cheque especial. Em uma pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP, em março deste ano, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 13,53% ao mês. Para se ter uma ideia, na mesma pesquisa foi identificado que para os empréstimos pessoais a taxa foi de 6,4% ao mês. Então vale a pena considerar que se há uma necessidade real de empréstimo. Sem a possibilidade de pagá-lo a curto prazo, vale considerar outras formas de obter recursos. Veja aqui o melhor momento para considerar um empréstimo pessoal.

Devo ou não devo usar?

É importante que o correntista tenha consciência de que esse limite não lhe pertence verdadeiramente. Ele não é o valor real de dinheiro que o cliente tem disponível em sua conta, mas um crédito cedido pelo banco.

Ele pode ser muito útil em casos de doenças, emergências em geral. Mas seu uso não deve ser banalizado por se tratar de uma forma muito cara de obter o recurso.

É importante ainda considerar que, quando utilizado, o correntista tenha como meta cobrir a conta o quanto antes. Os juros cobrados são diários e podem ser uma surpresa desagradável ao final do mês.

Se você está enrolado e utilizando muito o cheque especial, vale a pena considerar um empréstimo pessoal. Veja aqui como fazer um empréstimo pessoal online.

Veja também como fazer um empréstimo pessoal para negativado.