Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como declarar ações no Imposto de Renda

Já está cuidando da sua declaração de Imposto de Renda (IR)? Você, por exemplo, sabe como declarar ações no Imposto de Renda 2018? Caso seja um assunto complexo, estas informações podem contribuir para o seu trabalho!

Imagem de cédulas para ilustrar post sobre Como declarar ações no imposto de renda

É importante não perder de vista o prazo para envio: até 30 de abril. Então, não perca tempo e esteja atento a todos os detalhes e necessidades.

Antes de fazer a declaração

Uma coisa é certa e é importante antes saber como declarar ações no Imposto de Renda. O ideal é que o investidor tenha sido organizado desde quando iniciou o processo de aplicar capital em ações.

Sim. E isso significa simplesmente ter uma planilha para controlar as operações de compra e venda de ações ao longo do tempo. O melhor é que seja mês a mês, com indicações de perdas e ganhos para cada ativo, de forma organizada e objetiva.

Sem mistério, né?

Mas, muita gente não faz esse controle mensal, (fica a dica para facilitar a sua declaração do ano que vem!). Aí então é hora de ter acesso às notas de corretagem para consultar as informações.

Há um outro ponto importante, que também remete a quando o investidor iniciou as aplicações em ações. O pagamento do Darf, o Documento de Arrecadação de Receitas Federais, que é usado como instrumento de cobrança dos contribuintes no pagamento dos tributos que estão embutidos nas operações financeiras.

O Darf sempre deve ser pago no mês seguinte à apuração financeira e a alíquota varia. Pode ser de 15% quando os ganhos são obtidos em operações classificadas como comuns (quando a compra e a venda das ações ocorrem em dias diferentes). Ou então de 20% para os ganhos de compra e venda no mesmo dia, conhecidos como day-trades.

Isso tudo foi dito para você saber que a sua declaração de IR registrará o cumprimento dessa obrigação. Ela deve ser realizada mensalmente, para compensar possíveis diferenças no cálculo do tributo.

Preparado para declarar suas ações no IR?

Dicas de como declarar ações no Imposto de Renda

A primeira coisa a fazer, antes mesmo de entrar no programa disponibilizado pela Receita Federal, é montar uma tabela para separar os ativos por tipo. Ações, opções, mercado a termo ou mercado futuro.

Depois, separe também as que são operações classificadas como comuns e as que são day-trades.

Nessa tabela, tenha um campo designado para os custos das ações que foram compradas.

Hora de fazer contas: multiplique os papéis pelo preço pago.

Ao resultado dessa conta devem ser somadas as despesas com a corretagem e taxas (encontre isso nas notas de corretagem).

Outra coluna deve trazer o valor de venda dos papéis. Mais conta: é hora de multiplicar o preço de venda pela quantidade de ações. Desse valor, subtraia a corretagem e as taxas da Bolsa.

Uma terceira coluna deve apresentar os ganhos ou prejuízos obtidos. Para obter esse número, basta pegar o valor da venda e subtrair o custo da compra.

Em seguida, some os ganhos ou perdas de cada mês para cada um dos tipos de ativo e para cada operação (comum ou day-trade).

No caso de dúvidas, confira as notas de corretagem. Aliás, guarde-as por cinco anos!

Também mantenha com você por esse prazo os Darfs. Falando neles, para constar na declaração devem ser somados os dois tipos de operações (lembra das alíquotas de 15% e 20%?).

Saiba que caso você tenha prejuízo em determinado mês, é possível descontá-lo dos ganhos nos meses futuros. Mas essas compensações só podem ser feitas com o mesmo tipo de operação (comum ou day-trade).

Tenha em mãos também os comprovantes de rendimentos enviados pelas empresas das ações, em casos de juros sobre capital ou dividendos. Além do extrato da corretora, que também recolhe uma pequena parte do IR.

Preenchendo a declaração

Selecionamos alguns dos principais pontos de atenção da declaração, confira.

Comece pela ficha de Rendimentos Isentos caso você tenha vendas de até R$ 20 mil por mês. Saiba que a isenção não é válida para operações classificadas como day-trade. Elas estão sujeitas a imposto de 20% e não devem ser somadas às outras operações.

Os juros sobre capital (você os encontra nos demonstrativos de rendimentos) devem ser lançados em Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva. É necessário abrir uma ficha para cada uma das empresas.

Outra ficha a ser preenchida é a Renda Variável – Operações Comuns de Day-Trade. É aqui que você informará os ganhos e prejuízos acumulados de cada tipo de ativo, mês a mês, além dos valores dos Darfs pagos.

A ficha Bens e Direitos deverá ser completada com as ações, opções ou outros ativos que você tinha em conta em 31 de dezembro de 2017.

Aprendeu como declarar ações no Imposto de Renda? Veja nosso passo a passo completo de como fazer a declaração de IR. Veja, ainda, como declarar bens após o divórcio.

Saiba como investir seu dinheiro