Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como declarar poupança no Imposto de Renda

Imagem de calculadora e moedas para ilustrar post sobre Como declarar poupança no imposto de renda

Como declarar poupança no Imposto de Renda

Na hora de fazer a declaração do Imposto de Renda (IR), o que não faltam são informações e dados minuciosos a serem preenchidos. Todo o cuidado é pouco para não cair na temida malha fina. Dentre eles, está a poupança, uma aplicação financeira que não foge à regra. Mas você sabe como declarar poupança no Imposto de Renda? Não? É sobre isso que vamos explicar a você!

Para realizar a declaração da poupança, é preciso dividi-la em duas etapas: o saldo e os rendimentos.

Como declarar poupança no Imposto de Renda

Não há muito mistério. Procure a ficha de “Bens e Direitos” e escolha o código “41”, ele é referente à poupança.

Depois, na lacuna “Discriminação” relate o nome do banco e o CNPJ do mesmo, além da agência e do número da conta poupança. Caso ela seja uma conta conjunta, é necessário informar o nome e CPF do outro titular.

Feito isso, preencha o campo “Situação em 31/12/2016” com o mesmo valor declarado no ano anterior. Para os que não tinham poupança em 2016, pode deixar o campo em branco.

Ao lado, na “Situação em 31/12/2017”, basta escrever o saldo que se encontrava na conta neste dia.

Declarar os rendimentos da poupança no IR

O que sua poupança rendeu deve ser declarado na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Selecione “Tipo de Rendimento” na linha 12 (Rendimentos de cadernetas de poupança, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliário (LCA e LCI) e certificados de recebíveis do agronegócio e imobiliários (CRA e CRI)).

Novamente, indique o nome e CNPJ do banco. Por fim, o valor dos rendimentos da caderneta de poupança.

Como conseguir os dados para declarar a poupança?

Isso é mais simples do que parece: através de seu próprio banco você encontra tudo o que precisa saber.

Ou seja, os saldos de 2016 e 2017, os rendimentos, a razão social e o CNPJ da instituição financeira estão em um “informe de rendimentos” a ser fornecido pelo banco.

O documento pode ser acessado pelo internet banking e nos caixas eletrônicos. Ou então pode ser solicitado na agências ou enviado pelo correio.

Não custa lembrar: estar alinhado com os dados gerados pela sua instituição financeira evita maiores problemas na declaração do IR. Desta forma, você minimiza os riscos de cair na malha fina.

Se, por acaso, quem fizer a declaração do Imposto de Renda tiver mais de uma poupança em seu nome, de bancos diferentes, não tem problema. Apenas será preciso informar de novo o saldo e os rendimentos, como explicamos anteriormente.

Fique por dentro do que pode ser descontado na dedução do IR antes de reunir os documentos!