Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como investir em ouro de forma correta?

Imagens de barra de ouro para ilustrar post sobre como investir em ouro

Como investir em ouro de forma correta?

Investir em ouro não é uma ideia nova. Na verdade, o valor desse metal remonta épocas antigas. Ao longo da história da humanidade, ele foi empregado em diversas funções comerciais. Quer saber como investir em ouro? 

Nos dias de hoje, o ouro é considerado um investimento de perfil conservador e uma opção para quem diversificar aplicações. Ainda se tem a ideia de que investir em ouro significa acumular as barrinhas de metal em casa ou dentro de um cofre. Entretanto, existem outras maneiras de fazer esse investimento de forma mais segura. É o que vamos ver a seguir.

Ouro: investimento ou reserva de valor?

Antes de saber como investir em ouro, é interessante entender que, de modo geral, o ouro ainda é uma reserva de valor. E que funciona como uma proteção de patrimônio. Esse metal tem alta procura em épocas de crises econômicas ou no advento de acontecimentos de grande magnitude, que possam gerar desconfiança no mercado financeiro.

Ao longo da história, o ouro foi usado em trocas comerciais até que foi substituído pelo papel-moeda. Entretanto, nunca deixou de ser considerado como um ativo valioso.

O ouro é um investimento financeiro. Ao mesmo tempo, é visto como uma mercadoria, pois pode-se adquirí-lo em formato de barras ou joias, por exemplo.

Embora seja considerado uma reserva de valor, o ouro possui cotação que flutua. Essa flutuação vai de acordo com oferta e demanda no mercado. Isso quer dizer que quanto maior a oferta do metal, menor o seu o valor e quanto menor a oferta, maior será o seu valor.

Saber como investir em ouro impacta diretamente na relação oferta / demanda:

  • Extração e produção;
  • Uso da indústria joalheira e de outros segmentos que empregam o ouro em seus componentes;
  • Acontecimentos importantes de ordem econômica e política que causem stress no câmbio e na bolsa de valores;
  • Taxas de inflação e juros;
  • Flutuação da cotação do dólar.

O mercado do ouro, portanto, fica menos atrativo quando a economia de um país está crescendo. Já em períodos de instabilidade político-econômica, costuma ter mais procura e, consequentemente, maior valor.

Apenas para exemplificar, no Brasil da década de 1980, diante do fracasso de tantos planos econômicos, o investimento em ouro como reserva de valor para a proteção do patrimônio, era uma opção muito comum.

Hoje, a rentabilidade potencial do ouro é superior à poupança e aos investimentos de renda fixa, por exemplo. Mas, em contrapartida, o risco também é maior.

Para investir em ouro é preciso ter um cofre em casa?

Embora seja um investimento para um perfil mais conservador, aquela ideia de armazenar o ouro em casa, assim como o personagem Tio Patinhas, já está um pouco ultrapassada.

Quem compra o ouro físico, quando for vender, precisa se atentar que será necessário seguir alguns passos para inserí-lo novamente no mercado. Nesse caso, o metal precisará ser fundido para verificar o teor de pureza e esse processo não sai barato, levando parte da rentabilidade.

O mesmo pode-se dizer da compra do ouro em joias. Em um passado não muito distante, esse costume era muito comum. Porém, a relação entre o preço da joia no momento da compra pode variar negativamente na ocasião da venda. Isso ocorre, por diversos fatores que levam em conta a pureza do ouro.

Além disso, o avaliador da joia não necessariamente pagará um preço justo por ela. Isso porque ele visa lucrar com a venda posterior da peça. A cotação do ouro nesse caso também não tem uma influência direta.

Diante de tudo isso, a liquidez, ou seja, a capacidade de transformar o ouro da joia em dinheiro é demorada. Com isso, todo o processo de avaliação vai consumir parte do que foi investido e, fatalmente, não haverá lucro.

Além de todos esses pontos desfavoráveis, é preciso pensar que armazenar o ouro em casa oferece altíssimo risco para a segurança da residência.

Como investir em ouro na bolsa de valores

Comprar o ouro na forma física não é a única opção para os investidores. Existe também o mercado financeiro futuro, negociado em bolsa. Hoje, essa é uma das alternativas mais comuns.

Quem quer investir em ouro com a compra de contratos na BM&FBovespa precisa encontrar uma corretora de valores para intermediar a operação. Para saber em detalhes, fizemos um post aqui no Blog da Bidu com um passo a passo completo sobre como investir na bolsa de valores.

Existem algumas modalidades de investimento que podem ser feitas por meio de contrato padrão ou fracionado. A comercialização padrão é feita em barras de ouro de 250 gramas. O ouro negociado na bolsa de valores é o de 24k.

Se considerarmos a cotação média atual do ouro a R$ 146,00 por 1g, investir na bolsa com um contrato padrão significaria dispor de um valor inicial de R$ 36.500. Já o fracionado, considera a negociação de 10 gramas, tornando o investimento mais acessível, a partir de R$1.446,00, usando a mesma cotação média atual.

Quem estiver interessado em como investir em ouro também precisa saber que há custos envolvidos na corretagem e na custódia do contrato na bolsa de valores.

Fique atento, pois os investimentos em ouro são passíveis de tributação no Imposto de Renda, sendo que 15% dos rendimentos devem ser pagos à Receita Federal. Entretanto, existe um teto de isenção de até R$ 20 mil.

Investimento em Ouro pelo Banco do Brasil

O Banco do Brasil oferece a seus correntistas a oportunidade de investir em ouro, com garantia de recompra, desde que esteja custodiado no próprio banco. Nesse caso, a instituição oferece opções de investimentos menores quando comparados aos exigidos para as negociações na bolsa.

Os valores cobrados pela custódia do ouro varia de acordo com o saldo médio de investimento no mês e o tempo investido, multiplicado pela cotação média do metal no mesmo período.

Ouro em fundos de investimento

Os fundos de investimento, que operam a compra do ouro na bolsa de valores, também são opções para quem quer investir no metal. Basta estar associado a um banco ou corretora e transferir o dinheiro para um fundo.

Os valores iniciais são menores quando comparados à operação padrão na bolsa de valores.  

Todo o dinheiro arrecadado entre os investidores é empregado nessa operação. Essa é uma forma de investimento sem grandes dificuldades operacionais.

Quem deve e como investir em ouro?

  • Ideal para quem tem um perfil de investimento mais conservador;
  • Para quem quer diversificar a carteira de investimentos;
  • Quem procura investimentos de longo prazo;
  • Quem quer uma proteção contra a desvalorização sofrida pela moedas.

Outras opções de compra de ouro:

  • É possível comprar ouro em leilões da internet. O risco dessa operação está na garantia de pureza do metal e na chance de revenda;
  • Há distribuidoras de valores que comercializam o ouro em pequenas quantidades, a partir de 1g. Nesse caso, o investidor recebe o ouro em casa e quando decide vender, precisa ir até uma agência representante.