Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

O que é tesouro direto? Veja como começar a investir

Se você é um dos muitos brasileiros que vêm buscando alternativas de investimento para a poupança, já deve ter ouvido falar sobre Tesouro Direto. Neste texto, vamos falar um pouco sobre o que é Tesouro Direto e como ele funciona.

Imagem de moedas que formam uma escadinha com o texto: o que é tesouro direto

O que é tesouro direto? Veja como fazer o melhor investimento

Títulos públicos

Antes de esclarecermos o que é Tesouro Direto, convém fazermos uma breve apresentação a respeito de títulos públicos.

Os títulos públicos são títulos de crédito que o governo federal emite e vende. O objetivo é angariar fundos, mas eles também funcionam como opção de investimento.

Funciona assim: o investidor compra títulos do Tesouro Nacional. Os títulos possuem um prazo de vencimento.

Após esse prazo, o investidor vende os títulos ao governo, recebendo o montante que pagou acrescido de juros.

É como se o investidor emprestasse dinheiro ao governo, para depois receber com dividendos.

Os títulos públicos são garantidos pelo governo federal, de maneira que sua compra é considerada um investimento de baixo risco.

Para ajudar você, explicamos como funciona a calculadora de rentabilidade do Tesouro Direto.

 

O que é Tesouro Direto?

Antigamente, apenas pessoas jurídicas podiam comprar títulos públicos.

Para investir nesses títulos, as pessoas físicas tinham que recorrer a fundos de renda fixa, que cobravam altas taxas, tornando o investimento inviável. Isso mudou com o Tesouro Direto.

O Tesouro Direto é um programa concebido pelo Tesouro Nacional, juntamente com a BM&FBovespa (Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo). Seu objetivo é popularizar e facilitar o investimento em títulos públicos.

Por meio desse programa, instituído em 2002, qualquer pessoa física pode comprar e vender títulos públicos pela internet, sem embaraços.

 

Vantagens do Tesouro Direto

O investimento em títulos públicos por meio do Tesouro Direto vem atraindo cada vez mais pessoas, principalmente como alternativa à caderneta de poupança.

É fácil entender o porquê: o acesso pela internet é fácil e prático, e os rendimentos obtidos são considerados muito bons.

Além disso, há várias opções de rentabilidade, de acordo com os objetivos de cada investidor e as taxas de administração praticadas são geralmente baixas.

+ Como fazer previdência para os filhos

Outro benefício do Tesouro Direto se refere à liquidez dos títulos públicos, que são garantidos pelo Tesouro Nacional. Devido a isso, as transações desses títulos são consideradas de baixíssimo risco pelos economistas e profissionais do ramo de investimentos.

E se houver uma emergência, o dinheiro dos títulos pode ser resgatado.

Apesar de ser recomendada a aplicação de longo prazo, o investidor pode resgatar o montante a qualquer momento, mesmo antes da data de vencimento.

Nesse caso, ele receberá pelos títulos o valor de mercado correspondente ao momento da venda.

Mas, será que vale a pena investir no Imposto de Renda? Elencamos os pontos positivos e negativos desse investimento.

 

Como investir em Tesouro Direto?

O programa Tesouro Direto foi planejado de modo que qualquer pessoa possa investir. Por isso, a aplicação mínima é de R$ 30,00.

Para começar a investir em Tesouro Direto, você precisa de um CPF válido, uma conta bancária e acesso à internet.

A primeira coisa a fazer é escolher uma instituição para intermediar suas operações com o Tesouro Direto. Essa instituição, denominada Agente de Custódia, pode ser um banco, uma corretora, etc.

Os Agentes de Custódia cadastram o investidor na rede do BM&FBovespa, operam as transações conforme o desejo do investidor e oferecem suporte a ele.

Há muitas instituições credenciadas pelo Banco Central para operar com títulos públicos. Consulte a lista e escolha a mais conveniente para você.

Observe que cada uma trabalha com uma taxa de administração diferente, então é preciso analisar cuidadosamente antes de escolher.

Depois de feito o seu cadastro, você receberá uma senha e passará a poder comprar e vender títulos públicos pela internet, por meio do site do Tesouro Direto.

Para isso, avalie bem os tipos de título disponíveis, e escolha os títulos que melhor se adequarem ao que você busca.

Depois de comprar o títulos, você mesmo pode consultar o extrato do Tesouro Direto através da internet de forma fácil e rápida.

 

Tipos de título disponíveis via Tesouro Direto

Os títulos públicos disponibilizados para transações no site do Tesouro Direto podem ser divididos em dois grupos: os pré-fixados e os pós-fixados.

Títulos pré-fixados

São aqueles cuja rentabilidade, ou seja, a taxa de juros, é conhecida logo de saída, no momento da aquisição.

Assim, você sabe exatamente quanto esses títulos valerão no momento da venda, na data do vencimento.

No entanto, para saber o ganho real, é preciso descontar a inflação correspondente ao período em que o dinheiro ficou investido.

Títulos pós-fixados

Este tipo de título é reajustado por meio de um indexador, que pode ser a Selic (taxa básica de juros), o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) ou o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado, da FGV).

A rentabilidade desses títulos se dá por meio de uma taxa pré-fixada e também pela variação devida ao indexador.

Interessado no assunto? Veja também o que é Tesouro Direto Selic e Tesouro Direto IPCA

 

Tributação do Tesouro Direto

Os rendimentos obtidos por meio da negociação de títulos públicos estão sujeitos ao pagamento de Imposto de Renda e, em alguns casos, de IOF.

Essa tributação é feita de acordo com tabelas regressivas, favorecendo o investidor que deixar a aplicação rendendo por mais tempo.

Desse modo, se você quiser resgatar seu dinheiro até 180 dias após a aquisição, pagará IR de 22,5% sobre os rendimentos. Se esperar mais de 720 dias, a alíquota cai para 15%.

Previdência é melhor do poupança? Veja como garantir a sua aposentadoria.

Se você fazer o resgate antes de decorridos 30 dias da compra, também pagará IOF. Nesse caso, a alíquota começa em 96%, no primeiro dia, e decai com o passar do tempo, até zerar no trigésimo dia.

O recolhimento desses impostos é feito pelo Agente de Custódia no momento do resgate.

 

Cursos sobre Tesouro Direto

Ainda está confuso sobre o que é Tesouro Direto? Pois você pode fazer um curso online gratuito no próprio site do TD.

O curso é dividido em uma parte introdutória, uma intermediária e uma de tópicos avançados sobre Tesouro Direto.

 

Simulador de Tesouro Direto

Para testar se você entendeu bem o que é Tesouro Direto e como investir nele, você pode experimentar o Simulador de Aplicação na página do Tesouro Direto.

Esse simulador auxilia você a escolher os melhores títulos para o seu perfil, com base em uma série de perguntas sobre seus objetivos ao fazer esse investimento.

As opções de simulação de aplicação apresentam vários títulos, de curto, médio e longo prazo, com rendimentos variados. Experimente!

Procurando mais sobre investimentos? Confira os conteúdos abaixo.

+ O que é LCD?

+ O que é CDB?

+ O que é debêntures?