Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Rendimento poupança: entenda como funciona

A caderneta de poupança é, de longe, a modalidade de investimento mais conhecida pelos brasileiros. Mas você sabe exatamente quanto rende a poupança? Já ouviu dizer por aí que o rendimento da poupança está baixo? Se você deseja entender o mecanismo de rendimento poupança, para poder calcular o quanto ela realmente pode render, vamos te mostrar o caminho.

Imagem de um cofrinho para ilustrar texto sobre rendimento poupança

Conhecer como funciona o rendimento da poupança é fundamental antes de investir.

A poupança

Uma das razões da popularidade da poupança é a sua praticidade. É possível abrir uma conta poupança facilmente, sem burocracias, aplicando qualquer valor inicial.

O resgate pode ser feito a qualquer momento. Porém, é recomendado retirar o dinheiro na data do aniversário mensal, para não perder os rendimentos daquele mês.

Além disso, recursos aplicados na poupança até R$ 250 mil são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC), o que faz dela um investimento livre de riscos. Ao menos até esse valor.

Outra vantagem é que a poupança é isenta de taxas e do Imposto de Renda. Desta maneira, a cifra que o(a) investidor(a) vê na conta corresponde realmente ao valor que será recebido no momento do resgate, sem descontos.

Rendimento poupança

Em maio de 2012, novas regras foram instituídas pelo Governo Federal para o cálculo do rendimento poupança.

Esse cálculo não é difícil, mas requer alguma atenção.

Ele depende de dois parâmetros: a taxa Selic, que é a taxa básica de juros no país, e a taxa referencial (TR). Abaixo, vamos falar um pouco de cada uma dessas taxas.

Taxa Referencial (TR)

O valor da taxa referencial é calculado pelo Banco Central a partir da média dos rendimentos dos Certificados de Depósitos Bancários (CDB)s.

Essa taxa, que já assumiu valores muito altos no passado, antes do Plano Real, hoje dificilmente passa de 0,2% ao mês. Inclusive, ela pode vir a ser zero, como ocorreu nos últimos meses de 2017.

Taxa Selic

A sigla Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Mais conhecida como taxa básica de juros, essa taxa é calculada pelo Comitê de Politica Monetária (Copom) a cada 45 dias, com base na média das taxas de juros praticadas no mercado financeiro.

A taxa Selic varia diariamente. Você pode consultar sua variação passada, para qualquer período, acessando a página do Banco Central, que apresenta os dados diários da Selic.

Atualmente, a Selic está em torno de 6,75% ao ano.

Cálculo do rendimento da poupança

Agora que já conhecemos os parâmetros envolvidos, vamos finalmente ao mecanismo de cálculo do rendimento poupança.

A rentabilidade da poupança é dada pela soma de duas parcelas, a remuneração básica e a remuneração adicional.

– Remuneração básica: corresponde à taxa referencial, TR.

– Remuneração adicional: essa parcela depende do valor da taxa Selic no momento. Há dois casos:

  1. Taxa Selic maior do que 8,5% ao ano. Neste caso, o rendimento adicional, além da TR, é de 0,5% ao mês.
  2. Taxa Selic menor do que 8,5% ao ano. Quando a taxa Selic está abaixo de 8,5%, essa parcela adicional corresponde a 70% da meta da taxa Selic do ano, distribuídos mensalmente.

No primeiro caso, como os rendimentos se dão em regime de juros compostos, a remuneração adicional corresponderá a aproximadamente 6,17% ao ano.

Já no segundo caso, o rendimento anual máximo é de aproximadamente 5,95%, podendo assumir valores menores, dependendo da taxa Selic.

É interessante observar que, se a Selic estiver acima de 8,5%, sua variação não influencia o rendimento poupança. Isso mesmo que essa taxa atinja valores muito altos.

Entretanto, quando a Selic está abaixo de 8,5%, como no momento atual (março de 2018), sua variação influencia diretamente o rendimento da poupança.

Rendimento atual da poupança

Em 2017, a TR ficou em 0,6%. Assumindo que em 2018 ela também fique por volta desse valor, e considerando a taxa Selic atual de 6,75%, teremos:

Rendimento poupança atual = TR + 70% Selic = 0,6% + 4,7% = 5,3% a.a.

Assim, pode-se esperar para 2018 uma rentabilidade da poupança em torno de 5,3%.

É importante observar, contudo, que essa projeção não é 100% garantida. Isso pois o rendimento dependerá da variação das duas taxas envolvidas ao longo do ano. Mas o cenário vigente até agora é esse.

Rentabilidade real da poupança

Rendimento real é aquele obtido após descontar a inflação do período.

Alguns investimentos têm seu rendimento dado por um indicador associado à inflação, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais uma taxa extra. Uma remuneração desse tipo garante ganhos acima da inflação.

Esse, porém, não é o caso da poupança. A poupança não é garantida contra a inflação, pois seu rendimento não é atrelado a um indicador como o IPCA.

Isso quer dizer que é possível que o rendimento da poupança fique abaixo da inflação do período, implicando um rendimento negativo. Ou seja: mesmo que o valor do saldo da sua poupança esteja aumentando, na verdade você estará perdendo dinheiro.

A inflação em 2017 foi de 2,95%. Desse modo, mesmo com um rendimento na casa dos 5%, a poupança ainda está proporcionando ganhos reais, acima da inflação. Mas isso não é sempre garantido.

Simulador de rendimento poupança

Se você for uma daquelas pessoas que não gostam muito de fazer contas, uma boa alternativa é usar a Calculadora do Cidadão, no site do Banco Central.

Ela permite calcular correções de valores mediante a variação de certos indicadores, como a TR e a taxa Selic, e também de acordo com o rendimento da poupança.

Para usá-lo, acesse o site, escolha a opção “Poupança” e insira, nos respectivos campos, o valor a ser corrigido, a data inicial da aplicação e a data do resgate.

Em “Regra da correção”, selecione a opção “Nova”, que usa a regra de cálculo atual, definida em 2012.

Ao clicar em “Corrigir valor”, o sistema efetuará os cálculos de rendimento e fornecerá o valor corrigido, bem como o índice da correção e o percentual correspondente de rendimento para o período escolhido.

A calculadora não desconta a inflação do período. Mas você nunca deve se esquecer dela na hora de saber o seu rendimento real.

E para saber direitinho o quanto o seu dinheiro pode render, esteja sempre a par dos indicadores financeiros!

+ Como investir na bolsa de valores

Saiba como investir seu dinheiro