Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Tesouro IPCA+: você conhece essa opção de investimento?

O Tesouro Direto IPCA, ou simplesmente Tesouro IPCA+, é um dos tipos de títulos do Tesouro Direto que estão à disposição no mercado para a venda.

Ele diferencia-se dos demais títulos públicos pela forma de remuneração feita ao investidor. Ele utiliza uma taxa de juros prefixada e a variação da inflação oficial medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Ele é medido todos os meses pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para apresentar a variação dos preços no comércio.

Desta forma, como está vinculado à inflação, protege o capital que é investido durante os anos. De acordo com os especialistas, o IPCA é um dos títulos públicos mais rentáveis da história. Sendo uma boa opção de Tesouro Direto principalmente para quem deseja fazer investimento de médio e longo prazo.

Imagem de um boneco de porco rosa com a legenda: tesouro IPCA saiba como investir

Entenda como funciona o Tesouro IPCA

Por que investir no Tesouro IPCA+?

O Tesouro IPCA+ é considerado um investimento de renda fixa seguro, com um retorno que vem sendo comemorado nos últimos anos.

Sim, o Tesouro IPCA+ ganhou seu espaço, pois o investidor pode simplesmente aplicar o dinheiro nesse título e esperar a sua valorização.

O final dessa história pode apresentar duas versões: ou o investidor ganha muito dinheiro caso a aplicação dê certo ou então aguarda até a data de vencimento do título e obtém a rentabilidade garantida da renda fixa.

Ou seja, trata-se de um investimento com boas oportunidades de ganho, desde que o investidor saiba trabalhar com a gestão ativa do Tesouro Direto.

Como calcular o rendimento do IPCA?

Ao aplicar o dinheiro em um título do Tesouro IPCA+ o investidor não saberá o valor exato que obterá no vencimento.

Em contrapartida, poderá ter uma perspectiva real ao deixar o valor aplicado até o vencimento do título. Assim, saberá que a quantia será valorizada com o juro estabelecido na contratação do título acrescido da variação total do IPCS de todo o período.

Desta forma, é possível calcular qual será o rendimento líquido, que poderá ser produzido posteriormente o desconto do Imposto de Renda, que vai de 22,5% a 15%, dependendo do tempo de aplicação, além das taxas cobradas.

Vale dizer aqui que a venda antecipada dos títulos pode levar à valorização ou desvalorização em virtude da precificação diária do papel, que flutua por conta de alguns fatores do mercado.

Mas quando o investidor segue com o título até a data de vencimento, ele oferece a remuneração prometida.

Dica da Bidu: para acompanhar a rentabilidade do título, o investidor pode utilizar a calculadora do Tesouro Direto, um simulador à disposição no site do Tesouro Nacional, que estima os possíveis ganhos com os títulos.

Tipos de Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+, como foi dito, é uma das opções de Tesouro Direto, o programa do Tesouro Nacional criado para a venda on-line de títulos públicos federais para pessoas físicas.

Esses títulos pertencem ao Governo Federal e, por isso, são considerados o investimento mais seguro no país.

Mesmo não contando com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos, tem a proteção do Tesouro Nacional.

Dois tipos são encontrados: Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) e Tesouro IPCA+ Juros Semestrais (NTN-B) – ambos são títulos que têm a rentabilidade vinculada à variação do IPCA + juros definidos no ato da compra. Para os curiosos, NTN-B significa “Nota do Tesouro Nacional Série B”.

A diferença entre eles está no prazo de pagamento da rentabilidade: o Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) paga no vencimento e o Tesouro IPCA+ Juros Semestrais (NTN-B) paga a cada seis meses, ou seja, o pagamento da rentabilidade aqui é adiantado.

Qual o melhor momento para investir?

Esse título de Tesouro Direto registra maior ou menor rentabilidade de acordo com os movimentos do mercado. Aqui cabe ressaltar os fatores macroeconômicos que influenciam como a inflação e a Selic e, até mesmo, as questões políticas.

Enfim, há muitas variáveis que podem interferir na cotação do Tesouro IPCA+, mas a dica é não vender o título para não ter prejuízo caso ocorra uma baixa.

Outra recomendação dos especialistas para quem deseja adquirir o Tesouro IPCA+ é observar o aumento da taxa de juros, que o torna mais lucrativo.

Como faço para investir?

Investir em Tesouro Direto é simples, mas prescinde de um cadastro em um banco ou uma corretora.

É assim que é possível ter acesso ao sistema do Tesouro Direto, que permite realizar aportes (compras) e resgates (venda antecipada) on-line e com segurança.

Caso opte por uma instituição financeira, avalie e escolha não apenas devido as taxas atraentes, mas também solidez e expertise em sua trajetória.

Para começar a aplicar, o investidor pode estabelecer um valor mensal para investir gradualmente e assim aumentar o patrimônio – a boa notícia é que esse investimento inicial não precisa ser alto.

Pelo site ainda é possível fazer compra com agendamento e até mesmo compra periódica, uma vez ao mês, por exemplo.

Na internet, de qualquer lugar, o investidor ainda pode realizar reinvestimento automático no mesmo título público ou em outro e obtém o extrato de custódia para acompanhar a qualquer tempo a carteira constituída.

IOF e Imposto de Renda

O Tesouro IPCA+ é um dos investimentos que devem seguir a seguinte recomendação: não ser resgatado antes de 30 dias para se beneficiar do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), tributo que tem incidência de acordo com o tempo da aplicação.

Já o Imposto de Renda do Tesouro IPCA+ segue a tabela de renda fixa, com alíquota reduzida ao longo do período: de 22,5% (menos de 180 dias) a 15% (mais de 720 dias) – e incide somente sobre o rendimento e não sobre toda a aplicação.

Taxas

Quando se fala em Tesouro Direto a principal taxa relacionada a esse investimento é a taxa de custódia que vai para a BM&F Bovespa – é uma taxa de 0,3% ao ano sobre o valor total do investimento.

Há bancos e corretoras que cobram também uma taxa de administração para a manutenção do título.

+ Como investir no Tesouro Direto