Os convênios médicos cobrem sessões de fonoaudiologia?

Ninguém está imune à necessidade de um tratamento de fonoaudiologia. Mas será que convênio cobre fono ou só fazem isso em casos especiais?

Imagem de balões escrito "bá, blá blá", para ilustrar texto que fala se convênio cobre fono

Os planos de saúde cobrem tratamentos fonoaudiólogos de forma geral.

Realmente há dúvidas quanto à possibilidade de os convênios médicos fazerem a cobertura de um tratamento realizado por um fonoaudiólogo.

Mas a boa notícia é que a resposta à pergunta se convênio cobre fono é… sim. Os planos de saúde, de acordo com o que consta no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, lista definida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), devem cobrir os tratamentos de fonoaudiologia.

Cotação Online de Planos de Saúde

Mas sua dúvida é também quanto aos procedimentos e número de sessões permitidas, certo?

Vamos lá!

Convênio cobre fono?

A cobertura do tratamento feito por um fonoaudiólogo é obrigatório há muito tempo nos planos de saúde. Diferentemente de outras especializações que passaram a ser obrigatórias há poucos anos.

Mas não tem tanto tempo assim que certas mudanças ocorreram, beneficiando o paciente que tem um plano de saúde.

Entre as mais recentes novidades, consta o aumento do número de consultas. 

  • O limite passou de 12 para 24 sessões anuais para pacientes com problemas como apraxia e agnosia;
  • De 24 para 48 sessões anuais para os pacientes que têm transtornos na fala.;
  • A mudança ainda ampliou o número de sessões para pacientes autistas, de 48 para 96 sessões anuais.

Como é feita a cobertura para fonoaudiologia?

Você já viu que convênio cobre fono. Agora vamos entender como funciona a cobertura.

Basicamente, a cobertura ocorre da mesma forma que as demais especialidades médicas.

O paciente, de acordo com as normas divulgadas, pode simplesmente fazer o atendimento com o fonoaudiólogo sempre que preciso. Obviamente deve sempre respeitar as condições já mencionadas quanto ao número de consultas.

Sabendo que o convênio cobre fono, podemos entender que o acompanhamento fonoaudiológico é, mais do que nunca, visto como um procedimento fundamental para manter a capacidade de falar de pessoas que têm algum tipo de problema.

Então, nada mais coerente do que os convênios oferecerem essa possibilidade para o consumidor.

O papel de um fonoaudiólogo

Conforme o que foi visto, os planos de saúde cobrem hoje uma série de procedimentos relacionados aos tratamentos de fonoaudiologia.

É o profissional dessa área que pode diagnosticar aspectos da comunicação humana, como a linguagem, a voz e a audição. 

Trata-se da especialidade médica que estuda todos os processos de fonação e audição. Além disso, ele trata os distúrbios decorrentes de vários problemas e/ou situações.

Dentre alguns tratamentos realizados, há aqueles feitos com crianças que têm dificuldade em aprender as palavras.

Também é o fonoaudiólogo o profissional que está apto a trabalhar com vários aspectos relacionados à mastigação e deglutição.

É por isso que vários casos em que o paciente tem dificuldade em engolir ou mastigar são tratados por um fonoaudiólogo. 

Tratamentos com fonoaudiólogo: mais qualidade de vida 

É fundamental saber que convênio cobre fono pois isso garante o acesso ao tratamento para um número cada vez maior de pessoas.

O profissional dessa área pode ser visto como o responsável por desenvolver atividades em favor da melhora da saúde em geral dos pacientes. Consequentemente, a qualidade de vida também melhora. 

Isso ocorre através da prevenção, avaliação, orientação, diagnóstico e até mesmo da terapia que o fono pode indicar. 

Em casos que envolvem a voz, os profissionais podem auxiliar os pacientes a projetarem a fala. Daí o atendimento que é prestado a jornalistas, professores, cantores, atores, entre outros que usam muito a voz no meio profissional.

O fonoaudiólogo pode ainda avaliar a motricidade orofacial, ou seja, as funções que estão relacionadas à respiração, articulação da fala e sucção.

É o fono também quem está habilitado a trabalhar em conjunto com fisioterapeutas e psicólogos em tratamentos multidisciplinares, apresentando resultados ainda mais efetivos.

Escolha de um fonoaudiólogo

Ao buscar o tratamento com um fonoaudiólogo é sempre importante saber se o profissional faz parte do conselho de classe que regulamenta a especialização. O CFFA é o Conselho Federal de Fonoaudiologia e o CREFONO é o Conselho Regional de Fonoaudiologia, que varia de acordo com cada Estado do Brasil. 

Mas verifique sempre se o atendimento é coberto pelo plano de saúde mediante o tipo de contrato assinado com a operadora.

Caso o plano seja novo, lembre-se de que existe uma carência para a realização de determinados atendimentos e tratamentos. Isso também inclui o procedimento feito por fonoaudiólogos.

Os prazos de carência estabelecidos pela ANS e respeitados por todas as operadoras de planos de saúde são os seguintes:

  • 24 meses para casos em que o paciente tem problema ou doença pré-existente;
  • Seis meses caso seja um problema diagnosticado após a contratação do plano.

Lembre-se sempre de estar por dentro dos direitos garantidos em lei. A ANS é sempre a melhor fonte de informação e tem canais de acesso aos consumidores para tratar dos mais variados temas.

A atuação da ANS

Para quem não sabe, a ANS é a uma agência reguladora, vinculada ao Ministério da Saúde. Ela tem toda a responsabilidade sobre os planos de saúde existentes em nosso país.

No site da agência é possível conhecer esse Rol de Procedimentos, que assegura os direitos do consumidor, entre outras questões importantes para todo cliente de um plano de saúde.

É nessa lista que constam os procedimentos e atendimentos que os planos de saúde devem cobrir, mediante a sua segmentação.

É nesse Rol também que é possível verificar a informação de que convênio cobre fono.

Aliás, além de consultas com fonoaudiólogos, segundo a ANS, o atendimento prestado ao consumidor inclui exames e tratamentos que são indicados pelos profissionais.




Última atualização em 06/08/2019