Atenção às Doenças Respiratórias do Outono

O outono é aquele período que marca a transição do verão para o inverno. E é nessa época que as chamadas doenças respiratórias do outono surgem com ainda mais força e recorrência.

Imagem de mulher assoando o nariz para ilustrar texto sobre doenças respiratórias do outono.

As doenças de outono atacam, principalmente, o sistema respiratório.

A redução gradativa da luz solar diária no decorrer de sua duração é a principal característica do outono. A estação tem início entre os dias 20 e 21 de março e vai até 20 ou 21 de junho.

Quais são as doenças mais comuns do outono? Como é possível prevenir ou então tratá-las?

Há sim cuidados básicos que podem contribuir para a diminuição das alergias e doenças respiratórias do outono.

Cotação Online de Planos de Saúde

Doenças Respiratórios do Outono

É justamente o clima do outono que favorece as transmissões de vírus e a proliferação de fungos e bactérias. Daí a necessidade de cuidados especiais para evitar a contaminação durante esses meses do ano.

Como o ar fica mais seco nessa época, há um aumento da concentração de poluentes na atmosfera.

São as baixas temperaturas e a poluição do ar que justamente aumentam os riscos de doenças respiratórias do outono como:

  • Gripes;
  • Resfriados;
  • Crises de asma;
  • Bronquite;
  • Sinusite;
  • Pneumonia.

Porém, são os vírus que propagam a gripe e o resfriado os protagonistas da estação. Eles podem ser transmitidos por gotículas respiratórias.

Para se manter saudável, livre das contaminações, inúmeros cuidados devem ser considerados diariamente por todos.

Evitar locais cheios

Um desses hábitos é evitar locais cheios e suscetíveis ao contágio. Principalmente para quem é fumante ou tem asma e rinite, por exemplo. Pois esses grupos de pessoas sofrem ainda mais o efeito da estação, já que a poluição do ar é agravada no outono.

Manter ambientes ventilados

Além de não frequentar locais lotados, é válido manter os ambientes ventilados e também, sempre que possível, lavar as mãos com frequência para evitar as doenças respiratórias do outono.

Seguir as orientações médicas

Outra recomendação importante é para aqueles que fazem uso de remédios para as enfermidades típicas do período. É indicado seguir criteriosamente as orientações médicas quanto ao uso da medicação, utilizando-a sem cessar.

Vacinas

Outra dica dos especialistas para evitar as doenças respiratórias do outono é o uso das vacinas, incluindo a da gripe que é oferecida pelo SUS – Sistema Único de Saúde, principalmente para aqueles que apresentam doenças crônicas.

Mas, atenção. Os especialistas alertam para que as pessoas sempre procurem um médico e não façam uso de remédios sem orientação, por conta própria.

Afinal, apenas um profissional da área de saúde tem o conhecimento para ministrar a medicação e a dose adequada para o tratamento de doenças respiratórias, alergias e viroses.

Consequências perigosas

Algumas das doenças respiratórias do outono acabam sendo menosprezadas por serem consideradas de pouca gravidade. Porém, elas devem ser levadas a sério. A baixa imunidade provocada por essas doenças pode ser a porta de entrada para as bactérias que causam pneumonia e sinusite.

A pneumonia, inclusive, é uma das grandes preocupações. Ela é considerada a principal causa de mortes no mundo em crianças com menos de seis anos e o maior motivo de internações no Sistema Único de Saúde (SUS).

Há, ainda, outras consequências também graves que podem atingir até mesmo o funcionamento do coração (infarto agudo do miocárdio, arritmia, por exemplo). Isso porque, em virtude da exposição ao frio, há aumento da pressão arterial.

Os dias mais secos e poluídos também podem levar ao aumento da coagulação do sangue e inflamação sistêmica. Esses fatores estão ligados a eventos trombóticos que ocorrem no infarto e acidente vascular cerebral.

Mas há muitas outras doenças que chegam com força com a estação: otite, asma, bronquite, conjuntivite, etc.

O rotavírus, que é responsável pelos casos de diarreia, também integra a lista das doenças de outono, apesar de a vacina ter diminuído a incidência.

Grupos de mais riscos

Há sempre grupos de pessoas com mais chances de desenvolverem complicações. No caso das chamadas doenças respiratórias de outono, esse grupo é formado por:

  • Crianças;
  • Idosos;
  • Portadores de doenças crônicas;
  • Diabéticos;
  • Pacientes com insuficiência renal;
  • Gestantes;
  • Profissionais da saúde;
  • Aqueles que são HIV positivo.

Proteja-se! Dicas para um outono saudável

Por essas e outras, é importante beber bastante líquido, manter uma alimentação equilibrada e também dar atenção aos exercícios físicos feitos nos dias secos. Evite cumprir essa tarefa no meio do dia (o indicado é praticar exercícios antes das 7h30 ou depois das 20h).

É também indicado não fumar ou mesmo se expor em locais com muita poeira ou fumaça e, claro, ter boas horas de sono.

Todo cuidado é pouco

Além de beber muito líquido, os especialistas também sugerem o uso de bacias com água nos dias de baixa umidade para melhorar esse aspecto nos ambientes.

Mas, atenção: os umidificadores podem ser usados, mas com cautela. Se forem acionados por muito tempo, podem facilitar a proliferação de fungos e ácaros.

Outras recomendações extras se referem a carpetes, bichos de pelúcia e até mesmo cortinas: mantenha-os distante!

 

 

Última atualização em 06/06/2019