Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Planos de saúde: quanto custa ter um

Você decidiu contratar um plano de saúde? É uma ótima ideia para garantir tranquilidade no que se refere a atendimento médico. Mas você está a par dos preços de planos de saúde praticados pelas operadoras?

Imagem de médico ilustrando guia sobre preços de planos de saúde

Os preços dos planos de saúde variam de acordo com diversos critérios. Mas é possível calcular uma média.

Qual é o valor médio de um plano de saúde? Os preços de planos de saúde variam muito? Como escolher um plano de saúde? Este texto tem por objetivo responder a essas e a outras perguntas.

A cada produto, um preço

Não é tão simples responder quanto custa um plano de saúde médio. Os preços variam de acordo com a operadora, a cobertura, o tipo de plano e a idade dos beneficiários.

A Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS) publica anualmente um painel sobre a precificação dos planos de saúde – a versão mais recente contém os dados do ano de 2016.

Consultando as várias tabelas apresentadas nesse painel, fica claro que o mecanismo dos valores dos planos de saúde é complexo.

O guia da ANS

Para pesquisar os preços de planos de saúde específicos para o seu perfil, você pode recorrer ao Módulo de Pesquisa de Planos de Saúde da ANS.

Por meio desse guia, é possível consultar os planos oferecidos de cada tipo, por abrangência, cobertura, etc.

Vamos agora analisar os parâmetros relacionados à contratação de um plano junto a uma operadora. Vamos ver como esses parâmetros influenciam os preços dos planos de saúde ofertados.

Quanto ao tipo de cobertura

Um dos fatores que norteia os preços dos planos de saúde é o tipo de cobertura oferecido. Você deve estudar atentamente as possibilidades, e escolher aquela que melhor satisfaça suas necessidades.

Os tipos de cobertura ofertados permitem classificar os planos de saúde em:

– Planos odontológicos: como o nome diz, abrangem apenas procedimentos odontológicos;

– Planos ambulatoriais: abrangem consultas médicas, exames e outros procedimentos em nível ambulatorial. Se houver necessidade de internação, o usuário deverá arcar com os custos;

– Planos hospitalares: abrangem procedimentos de internação em hospitais. São oferecidos nas modalidades com e sem obstetrícia;

Por via de regra, os planos hospitalares tendem a custar mais caro do que os ambulatoriais, que são mais caros do que os odontológicos.

É possível também contratar um plano combinado, que ofereça todos os tipos de cobertura elencados acima.

Quanto ao tipo de plano

Os planos de saúde podem ser do tipo individual, familiar e coletivo.

Os planos coletivos podem ser do tipo empresarial ou por adesão. Em ambos, há uma instituição que contrata o plano junto a uma operadora, com o fim de proteger os funcionários ou os associados da instituição.

Os planos do tipo familiar, como o nome diz, abrangem também a família do titular, que entram como seus dependentes.

É certo que a mensalidade de um plano familiar vai custar mais caro do que a de um plano individual. Mas, se a ideia é proteger seus familiares, a aquisição de um plano familiar pode ser economicamente vantajosa.

Plano individual já é escasso

Já os planos do tipo individual são os únicos para os quais é estabelecido um percentual máximo de reajuste do preços de planos de saúde , o que é interessante para o usuário.

Outra vantagem dos planos individuais é que a operadora não pode, de sua parte, rescindir o contrato (exceto se houver falta de pagamento por parte do usuário, ou em casos de fraude).

Porém, segundo o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), a oferta de planos de saúde individual vem se tornando escassa no Brasil.

Para fazer esse levantamento, o IDEC entrou em contato telefônico com as operadoras, perguntando sobre os planos presentes no guia de planos da ANS.

De fato, nesse levantamento, ficou constatado que em algumas capitais simplesmente não há oferta de planos individuais.

Essa escassez traz outro problema. A falta de concorrência entre as empresas, que podem passar a praticar valores mais altos.

Se você entrar em contato com uma operadora para contratar determinado plano de saúde que você viu no guia da ANS, e for informado de que o plano em questão não é mais oferecido, você deve informar à ANS, pois a operadora pode estar cometendo uma infração.

Abrangência geográfica

A abrangência geográfica se refere à área de validade da cobertura do plano de saúde.

Se você raramente sai de seu município, pode escolher um plano municipal. Também é possível especificar mais de um município.

Se preferir, você pode contratar um plano estadual, válido dentro de seu estado. Também é possível especificar mais de um estado.

Os planos nacionais garantem cobertura em todo o território nacional, sendo especialmente indicados para pessoas que viajam bastante.

Como é de se esperar, quanto maior for a abrangência geográfica, maior será o preço do plano de saúde.

Tipo de acomodação

O custo dos planos de saúde também é influenciado pelo tipo de acomodação oferecido no caso de internação hospitalar.

Geralmente, a acomodação pode ser individual (quarto só para o usuário) ou coletiva (mais pessoas no quarto).

Assim, se você fizer questão de ficar sozinho(a) no quarto, seu plano de saúde terá um custo mensal maior.

Fator moderador

Em alguns planos, o usuário deve participar no pagamento de alguns procedimentos. Isso se chama fator moderador. Desse modo, o custo mensal do plano varia de acordo com os procedimentos acessados.

Exemplo de preços de planos de saúde

Como você viu, são muitos os parâmetros que influenciam o preço dos planos de saúde. Para ajudar, vamos ver um exemplo de pesquisa de plano.

Para isso, vamos usar o Módulo de Pesquisa de Planos de Saúde da ANS, e preencher as informações requisitadas de acordo com nosso exemplo.

Tipo de contratação: indiferente

Cobertura: ambulatorial + hospitalar; ambulatorial; hospitalar

Local de contratação: São Paulo/SP

Abrangência geográfica: nacional

Acomodação: indiferente

Fator moderador: indiferente

Faixa de preço: Indiferente

Escolher operadora? Não

Escolher plano de destino? Não

Como resultado, surgem três planos:

Amil Blue II Nacional: hospitalar + ambulatorial, coletivo por adesão, acomodação coletiva, com coparticipação

Amil 120 Nacional: hospitalar + ambulatorial, coletivo por adesão, acomodação individual, com coparticipação

Uniplan Adesão: ambulatorial, coletivo por adesão, sem coparticipação

Escolhendo como exemplo uma faixa etária entre 29 e 43 anos, temos:

 

Preços (R$)
Idade Uniplan Adesão Amil Blue II Nacional Amil 120 Nacional
De 29 a 33 170,38 278,45 386,26
De 34 a 38 176,71 278,45 405,57
De 39 a 43 205,53 292,37 446,13

Faça você também sua pesquisa. Ou experimente fazer diretamente uma cotação conosco.

+ Conheça os melhores planos de saúde do Brasil