Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Existe tabela de plano de saúde?

imagem de calculadora ilustrando guia sobre tabela de plano de saúde

Existe tabela de plano de saúde?

Nos dias de hoje, é praticamente imprescindível possuir um plano de saúde. Mas, na hora de contratar um, surgem muitas dúvidas, especialmente com relação aos preços praticados. Será que não existe uma tabela de plano de saúde?

imagem de calculadora ilustrando guia sobre tabela de plano de saúde

A precificação dos planos de saúde é feita com base em diversos fatores.

A escolha do melhor plano de saúde

Viver totalmente descoberto, à mercê dos acontecimentos, pode se tornar um grande problema na eventualidade de uma surpresa desagradável.

A contratação de um plano de saúde traz tranquilidade paras os beneficiários. Eles passam a contar com acesso a atendimento médico preventivo e de emergência.

Mas, como escolher o plano mais adequado ao seu perfil? E qual é o preço de um plano de saúde? Existe um padrão de tabela de plano de saúde?

O preço é sempre um fator importante. Ele pode até mesmo ser decisivo na escolha de um plano de saúde. Por isso,  muita gente começa a pesquisa a partir daí.

É muito comum a procura por uma tabela de plano de saúde. Ela apresenta as opções disponíveis e permite uma comparação direta entre diferentes planos.

Variedade de ofertas

Quem começa a pesquisar planos de saúde pode até se desorientar ao deparar com a variedade de planos oferecida no mercado.

Os planos de saúde se diferenciam quanto a diversos fatores. Tipo de cobertura oferecida, abrangência geográfica, tipo de acomodação hospitalar, presença ou não de mecanismos de coparticipação do usuário, etc.

Como é de se esperar, o preço de um plano de saúde varia de acordo com cada um desses parâmetros. E eles não são os únicos fatores a exercer influência sobre o preço!

A seguir, vamos analisar esses e outros fatores que norteiam a variação dos preços dos planos de saúde e, consequentemente, da tabela de plano de saúde.

Fatores que influenciam o preço dos planos de saúde

Ao pesquisar planos de saúde, é conveniente já ter de antemão uma ideia do que você procura, com relação aos tópicos abaixo:

Tipo de cobertura. Um plano ambulatorial, que não prevê internação, geralmente custará mais barato do que um plano que inclua também internação em hospitais.

Acomodação hospitalar. É o tipo de acomodação em caso de internação. Um plano com acomodação em quarto compartilhado com outros pacientes tende a ser mais barato do que os que cobrem acomodação em quarto exclusivo.

Abrangência geográfica. Quanto maior for o número de cidades e/ou estados em que o beneficiário do plano puder receber atendimento, mais cara será a mensalidade.

Coparticipação. Alguns planos preveem que o usuário arque com uma parte das despesas dos procedimentos por ele acessados. Isso faz com que o preço das mensalidades varie conforme o uso que se faz do plano.

Reajustes de preço

Seja lá qual for o preço do plano de saúde que você deseja contratar, é bom ter em mente que ele sempre pode ser reajustado. Mas quanto?

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) define anualmente um índice de reajuste dos planos de saúde contratados por pessoas físicas de 1999 para cá.

Então, se você for contratar um plano individual e/ou familiar como pessoa física, pode, já de início, ter uma ideia dos reajustes que a mensalidade do plano pode vir a sofrer.

Mas se você vai aderir a um plano por meio de uma empresa ou associação, ou seja, um plano de saúde coletivo, é preciso saber que os reajustes não são definidos pela ANS.

Assim, os preços dos planos coletivos são reajustados por meio de negociação entre as partes, procedimento que é acompanhado pela ANS.

Achou complicado? Pois saiba que ainda há mais alguns detalhes envolvidos na definição dos reajustes de preços de planos de saúde. E esses são apenas os reajustes devidos a aumento de custos e correção monetária.

Reajuste por faixa etária

Fora o que foi explicado acima, há também o reajuste devido à idade dos beneficiários.

Os preços dos planos de saúde são calculados com base em dados estatísticos e probabilísticos. Ou seja: quanto maior for a probabilidade de que o beneficiário venha a acessar procedimentos do plano, maior será o preço da mensalidade.

Ocorre que, com a chegada da idade, naturalmente as pessoas passam a necessitar de cuidados médicos mais frequentes.

Desse modo, as operadoras promovem reajustes de acordo com a passagem dos usuários de uma faixa etária para outra.

A última faixa etária é para pessoas com 59 anos ou mais. A partir dessa idade, por lei, não pode mais haver reajustes na mensalidade do plano de saúde.

Há, contudo, algumas regras. Por exemplo, o valor da última faixa etária não deve ser maior do que seis vezes o valor da primeira faixa (de 0 a 18 anos).

Não existe tabela de plano de saúde

Como você viu acima, a precificação dos planos é muito complexa.

Se você esperava encontrar algo como uma tabela de preços de planos de saúde, saiba que infelizmente isso não existe, pois são muitos os parâmetros envolvidos. Seria impossível colocar tudo em uma tabela.

Então, como ter ideia de faixas de preços na hora de contratar um plano?

O melhor que você tem a fazer é consultar o Módulo de Pesquisa de Planos de Saúde da ANS.

Lá, você pode entrar com todos os parâmetros descritos acima, e obter ao final uma lista dos planos de saúde disponibilizados pelas operadoras para o seu perfil.

Depois de escolhido o melhor plano, lembre-se de averiguar também o índice de reajustes, para ficar a par de tudo com relação ao custo do seu plano.