Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Dente de leite: o que é e quando eles caem?

O surgimento do primeiro dente de leite já aparece logo após alguns meses das nossas vidas. É uma das primeiras mudanças que temos em nosso corpo, causando certo desconforto e irritação.

Mas, apesar de já termos conhecimento desses fatos, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como esse processo ocorre. Como e quando acontece essa substituição do dente de leite? Quais são os principais cuidados que devemos ter para manter uma boca saudável nesta fase?

Vamos entender melhor como acontece o processo e quais medidas podemos adotar para fazer com que esse momento seja o mais mais tranquilo possível.

Imagem de criança mostrando os dentes para ilustrar texto sobre dente de leite

Apesar de os dentes de leite serem provisórios, é importante cuidar com atenção.

O que é o dente de leite?

Os dentes decíduos, popularmente conhecidos como dente de leite, são os primeiros conjuntos de dentes que vão aparecer na nossa boca. Eles começam a se formar ainda no período de gestação de um bebê, ou seja, na fase embrionária.

Após o nascimento, há o que chamamos de erupção dentária. Essa é a fase quando os dentes começam a ficar mais aparentes na boca do bebê.

No total, a dentição decídua, ou também primária, conta com 20 dentes. Eles são os incisivos centrais, incisivos laterais, molares superiores, inferiores e os caninos. Apenas na dentição permanente que os dentes pré-molares aparecem.

Quando o dente de leite começam a aparecer?

Em geral, o dente de leite começa a ficar visível aos seis meses de idade. Aos poucos, vão crescendo um a um, até, mais ou menos os três anos de idade. É comum que os primeiros dentes a aparecer sejam os dois centrais inferiores.

Veja como se dá essa cronologia:

  • De seis a nove meses: incisivos centrais inferiores;
  • De nove a 10 meses: incisivos centrais superiores;
  • De 10 a 11 meses: incisivos laterais inferiores;
  • De 11 a 12 meses: incisivos laterais superiores;
  • De 12 a 14 meses:primeiros e segundo molares inferiores e superiores;
  • De 14 a 24 meses: caninos.

Como saber se os dentes de leite estão nascendo?

Como falamos, o nascimento do dente de leite não é um período tão fácil do bebê e é perceptível o seu incômodo. Você pode começar a observar esse incômodo a partir de alguns sintomas:

  • Produção de baba e salivação além do normal;
  • Irritabilidade por dores na gengiva;
  • Coceira e forte desejo de morder e pressionar o local na gengiva;
  • Redução de apetite devido a dor causada às gengivas por conta da sucção;
  • Febre baixa devido à inflamação.

O que fazer para aliviar o incômodo?

Distrair o bebê com diversos estímulos para fazê-lo esquecer da sua dor é sempre uma opção. Além disso, é recomendado massagear a área da gengiva com os dedos limpos e envolvidos por uma gaze. Pediatras e dentistas também costumam sugerir outras táticas:

  • Uso de mordedores de silicone com líquido dentro para que possa ser resfriado na geladeira;
  • Uso de gel frio específico para gengivas;
  • Medicação: analgésicos e anti-inflamatórios (vale lembrar que qualquer medicação deverá ser prescrita por um especialista);
  • Líquidos, como sucos e água, e alimentos frios.

A troca dos dentes de leite

Esta pode ser uma fase temida pelos pais. Em geral, a criança não fica muito confortável em ver seus dentes amolecendo e caindo. Mas, como você deve saber, a troca do dente de leite por dentes permanentes é algo natural e comum a todos os seres humanos.

Essa etapa costuma ter início aos seis anos de idade. Então, começam a aparecer as famosas janelinhas, que, para algumas crianças, é um momento bastante difícil e que provoca timidez.

A dica aqui é agir o mais natural possível. Converse com seu filho sobre a importância dessa troca e de como é um momento que todos irão passar. 

Muitos pais utilizam a técnica da “fada do dente”, onde as crianças colocam o dente que caiu embaixo do travesseiro para que a “fada” troque por uma moeda ou um presentinho.

Lembre-se de como foi esse momento de transição na sua vida. Aposte em fotos onde você aparece banguela e torne essa fase um momento de confiança e troca com o seu filho.

Nesta fase, não é recomendável que force a queda de um dente ou que provoque de forma abrupta essa troca.

Enfim, dentes permanentes

Durante o período de queda, vem a nova fase. O crescimento dos dentes permanentes. Essa etapa irá acontecer simultaneamente, afinal, ninguém fica totalmente banguela. Mas é bom saber que cada pessoa tem seu próprio tempo de amadurecimento do corpo e de crescimento dessa nova dentição, que, em média, dura até três meses.

Não é necessário ter medo caso seja um período mais longo para o seu filho do que para as demais crianças. Mas, na dúvida, procure sempre um dentista para avaliar se está tudo correndo bem.

A dentição permanente também pode provocar dores e isso vai depender da sensibilidade de cada pessoa. No total, 32 novos dentes irão aparecer, maiores do que os dentes de leite e, em consequência, precisando de mais espaço.

Traumas com o dente de leite

Criança pula, brinca, se joga e não é incomum saber de casos de queda ou leves acidentes que provocam trauma em algum dente. Pode ser que o dente fique mole antes do tempo e caia. Ou então que tenha uma inflamação interna e provoque o aparecimento de pus, ou até mesmo fiquem somente manchados, mas no mesmo lugar.

Parece complicado quando isso acontece, mas separamos aqui algumas orientações do que fazer em diferentes situações:

O dente amoleceu

Após um trauma, se o dente de leite ficar maleável ou a gengiva mais avermelhada, com pus ou inchada, recomenda-se procurar um dentista o quanto antes. Esses sintomas são indicações de que a raiz do dente foi afetada. Para esses casos, é comum o profissional recorrer a pequenas cirurgias para ajustar o problema.

O dente caiu

Se o dente de leite cair com o trauma, deve-se procurar um dentista para que ele possa avaliar. A partir de um Raio-x, ele vai ver se está tudo certo com o espaço do dente que caiu e se o dente permanente encontra-se em posição normal para crescimento natural.

A opção de substituir o espaço do dente que caiu por um implante dentário só se torna uma alternativa para os casos de trauma com os dentes permanentes. Para o dente de leite, esse processo pode atrapalhar o desenvolvimento natural do novo dente que ainda vai aparecer.

O dente ficou escuro

Após um trauma, quando há o escurecimento do dente de leite, significa que a polpa foi atingida e afetada. Caso essa mudança de cor aconteça dias ou até semanas depois do ocorrido, pode ser que a raiz do dente tenha sido prejudicada, sendo necessário uma cirurgia.

O dente quebrou

Se, após um trauma, o dente de leite quebrar apenas um pedacinho, geralmente não é feito nenhum procedimento mais profundo, apenas avaliação de um dentista e aplicação de flúor. Mas, se o dente quebrar mais do que na metade, pode ser necessário uma cirurgia de retirada ou restauração do dente afetado.

Não esqueça de guardar o pedaço do dente quebrado em um copo com água e leite ou soro fisiológico. Assim, o dentista pode ver a possibilidade de utilizar o próprio pedaço na restauração do dente.

Saúde e higiene bucal

É importante que, durante toda a infância, a criança seja exposta aos cuidados com uma escovação correta para manter uma boca limpa e saudável.

Frequentar o dentista periodicamente para fazer limpezas mais profundas também é importante. Assim como  acompanhar a evolução da arcada dentária e dos dentes de leite. Para isso existe a especialidade do odontopediatra.

Vale a pena ter plano de odontológico para bebês e crianças?

Não é porque o seu filho ainda está começando todo o seu processo de amadurecimento e trocas de dentes, que ele não precisa de acompanhamento do dentista.

Ao contrário, essa é uma fase muito importante de educar sobre a higiene dentária, avaliar o desenvolvimento da arcada e cuidar de possíveis traumas.

O especialista em odontopediatria, sem dúvidas, será o seu melhor parceiro nesse processo de evolução da infância. Vale a pena pesquisar e contratar um plano odontológico que atenda ao seu perfil e às suas necessidades.

Você sabia que também existe Plano de Saúde Infantil? Conheça mais sobre ele.