Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Ortodontia: quando e como devo colocar aparelho nos dentes?

Para conquistar um sorriso saudável e bonito, muitos de nós precisamos recorrer a tratamentos dentários diversos. Seja de estética, como o clareamento dental, ou de correção, como o uso de aparelho ortodôntico.

Imagem de dente com aparelho para ilustrar texto sobre aparelho ortodôntico

Mesmo parecendo tão comuns nos sorrisos mais joviais, a ortodontia ainda traz muitas dúvidas para quem usa ou para quem precisa usar. Por isso, preparamos um guia completo para você tirar suas dúvidas e entender um pouco mais sobre o assunto e sobre a relação do plano odontológico e a ortodontia.

O que significa Ortodontia?

Para começar, é importante você entender o que é a ortodontia e que tipo de profissional realiza essa especialidade.

A ortodontia é um ramo da Odontologia que cuida da correção de ossos maxilares e da disposição dos dentes que apresentam alguma deformação ou posição inadequada.

Esse tipo de tratamento é feito por um especialista, conhecido como ortodontista. Além de proporcionar um sorriso mais bonito e alinhado, a ortodontia ajuda também a manter a boca mais saudável. Isso porque dentes tortos ou não encaixados perfeitamente dificultam a limpeza.

Outro benefício para quem busca tratamento de correção dentária, é que problemas na fala, respiratórios e de deglutição também serão evitados ou melhorados.

Como acontece o tratamento?

Em geral, após a avaliação médica por meio de exame clínico, radiografias e fotografias, há a montagem do molde de gesso. Ele irá mapear o formato dos seus dentes e arcada dentária.

Depois disso, o ortodontista irá indicar se o seu caso necessita de um aparelho fixo ou móvel. Após a definição do tipo de aparelho, há a colocação do mesmo e assim se inicia o tratamento.

As etapas têm início com a correção da posição dos dentes, também chamado de alinhamento e nivelamento. Em seguida inicia-se a fase de encaixe da mordida e da oclusão, que pode também envolver outros acessórios como elásticos e molas de ajuste. Por fim, a correção estética. Ela irá definir de forma delicada e assertiva com o seu tipo de rosto e formato de dente, a sua mordida ideal.

Após essas etapas é hora de manter o resultado e finalizar o trabalho. Para esse tipo de manutenção, o dentista instala um aparelho fixo na arcada inferior e outro móvel na superior. Esse procedimento também é conhecido como contenção.

Quais os efeitos do tratamento?

Não é uma adaptação tão fácil para a maioria das pessoas. O aparelho ortodôntico causa um desconforto no momento e dias após a colocação. Pode haver algum desconforto nos ajustes que são feitos regularmente, dependendo do seu tipo de tratamento. A tendência é que essa sensação incômoda minimize no decorrer do tratamento.

Cuidados com a higiene também são um alerta durante o tratamento. Caso o paciente não faça uma higiene bucal ideal e recomendada, pode haver acúmulo de resíduos de comida. Isso pode ocasionar cáries, problemas nas gengivas e manchas.

Quais são os tipos de aparelho?

Os aparelhos ortodônticos podem ser fixos ou móveis. Veja as opções e variações para cada tipo:

Aparelhos Fixos
Comum Formado por bandas que que são fixadas em volta dos dentes que funcionam como ligação para o aparelho. E por braquetes que ficam na parte externa do dente. Eles podem ser colorido para as crianças e transparentes para os adultos. Fios são incluídos para ligar as bandas aos braquetes e assim tracionar os dentes para a posição correta.
Fixo especial São opções para quem tem por hábito chupar os dedos – o que deforma e muito o seu sorriso – e para quem tem língua presa. Esse tipo de aparelho são fixados aos dentes por bandas.
Mantenedor de espaço fixo Muito utilizado por crianças que perdem o dente de leite de maneira precoce e não natural. Isso pode prejudicar a formação dos novos dentes e a obstrução do crescimento dos demais. Para isso, é utilizado uma banda de contenção próximo ao espaço vazio e um fio é estendido até o outro dente mais próximo, mantendo o espaço aberto.
Aparelho móvel
Niveladores Uma alternativa para os aparelhos fixos tradicionais. Move os dentes para a posição ideal sem a utilização de braquetes e fios de aço
Reposicionadores de mandíbula Utilizados no maxilar superior ou na mandíbula. Esse aparelho trabalha o fechamento da boca e o ajuste da mordida.
Mantenedor de espaço móvel Feito de acrílico e  posicionado sobre a mandíbula. Esse aparelho tem a mesma função do mantenedor fixo
Amortecedores de lábios e bochechas São aparelhos que amenizam a pressão do músculo dos lábios e das bochechas sobre os dentes
Expansor palatino Com formato de uma placa de plástico e posicionado no céu da boca, esse aparelho força a abertura do arco da mandíbula superior
Contentor móvel Como já comentamos aqui, a parte de contenção é a finalização do trabalho de um tratamento. Ela previne que os dentes e a arcada voltem ao estado original. Esse aparelho também pode ser usado para evitar que crianças chupem o dedo e deformem a arcada dentária
Extrabucal Esse aparelho ajuda a retardar o crescimento da maxila e mantém os dentes posteriores na posição correta. Talvez seja a opção esteticamente menos interessante. Isso porque envolve a aplicação de uma faixa externa a boca, que é presa a parte de trás da cabeça e ligada por um arco facial na parte posterior.

Mas não se esqueça, só o ortodontista poderá avaliar qual melhor aparelho para o seu tipo de tratamento.

Qual a duração de um tratamento ortodôntico?

Em média o tratamento dura dois anos e meio, mas pode variar para cada tipo de oclusão dentária. Ou seja, o tempo é de acordo com a necessidade de cada pessoa e também irá depender do comprometimento do paciente com os cuidados médicos.

Como posso saber que preciso do tratamento?

Há alguns tipos de problemas dentais visíveis que podem indicar a necessidade de um tratamento ortodôntico:

Mordida cruzada: quando ao morder, a sua arcada inferior fica um pouco mais à frente da superior;

– Mordida aberta: quando há espaço entre as superfícies laterais ou frontais;

– Mordida cruzada anterior: quando a arcada superior se posiciona muito atrás da arcada inferior;

– Desvio de linha mediana: quando não há alinhamento da arcada superior com a inferior;

– Diastema: quando há espaços e falhas provocados pela ausência ou não desenvolvimento correto dos dentes;

– Apinhamento: quando a arcada dentária é pequena e não acomoda todos os dentes.

Planos odontológicos cobrem o tratamento ortodôntico?

Existem opções de seguradoras de saúde dental que incluem a cobertura do pagamento do tratamento ortodôntico por completo. Há também outras que cobrem apenas a manutenção mensal do aparelho, mas não o pagamento do aparelho em si. E há ainda o contrário, com cobertura da aplicação do tratamento, mas não da sua manutenção regular.

A Agência Nacional de Saúde (ANS) é quem regulamenta e fiscaliza essas regras que variam de acordo com o plano odontológico contratado. Vale uma pesquisa mais aprofundada com cada seguradora antes de escolher o melhor plano para sua necessidade dentária.

É bom lembrar

Independente da sua disposição ou do seu recurso financeiro para assumir um tratamento ortodôntico, cuidar da saúde da bucal deve fazer parte das suas prioridades diárias com si próprio. Visite um dentista regularmente, cumpra com as orientações de higiene e tenha mais saúde e sorrisos para compartilhar.

+ Quanto custa um plano odontológico?

+ O que é periodontia?

+ Plano odontológico cobre implante?