Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Descomplicando a previdência privada: entenda como funciona

A reforma da Previdência, por meio das novas propostas do presidente do Brasil, Michel Temer, deixou muita gente preocupada com o futuro. Ter que trabalhar muito mais tempo até usufruir o benefício da aposentadoria é a razão pela qual tem aumentado o interesse em saber mais sobre como funciona a previdência privada.

Imagem de ampulheta e dinheiro ilustrando guia sobre como funciona a previdência privada

Entender em detalhes como funciona a previdência privada é o primeiro passo para começar a investir.

O assunto, porém, ainda gera muitas dúvidas, sobretudo se levarmos em consideração que o brasileiro, no geral, não é muito entendido quando se trata de educação financeira.

Como funciona a previdência privada e qual sua finalidade?

Para quem não sabe, a previdência privada não tem a finalidade única de servir como um complemento à previdência social. Do montante que for acumulado, é possível utilizar para outros fins. Como fazer uma viagem, comprar uma propriedade, pagar a mensalidade de uma faculdade para o filho, entre outras possibilidades. Isso quer dizer que é uma maneira de guardar dinheiro visando a um projeto de longo prazo.

Exatamente por ser um tipo de aplicação que deve ser realizada por anos, dificilmente é possível retirar o dinheiro antes do prazo pré-estabelecido. Isso é uma maneira de educar o investidor para evitar que faça o saque em qualquer necessidade de dinheiro. Mas vale saber que se quiser desistir do plano, é possível resgatar todo o dinheiro investido.

+ Como fazer uma previdência privada

O que é previdência privada

De forma geral, é considerada uma aposentadoria à parte que não tem relação com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). É fiscalizado pela Superintendência dos Seguros Privados (Susep). O contribuinte pode escolher a quantia com a qual irá contribuir e por quanto tempo. Vale dizer que, no final, o valor que irá receber será proporcional ao montante que contribuiu.

Formas de tributação

A tabela de impostos regressiva é a que permite retirar o investimento todo de uma vez. Enquanto a tabela progressiva é aquela que permite à pessoa receber a quantia em parcela mensal. É importante saber disso quando se está tentando entender como funciona a previdência privada.

Quem opta pela tabela regressiva, na maior parte dos casos, é quem pretende acumular uma quantia de valor considerável e fazer esse tipo de investimento por mais de dez anos. Essa tabela objetiva incentivar aplicações de longo prazo. Assim, no início a alíquota é de 35% para os investimentos acumulados por dois anos. Chega a 10% para depósitos mantidos por pelo menos dez anos.

A tabela progressiva é para quem não pretende acumular patrimônio, para quem as perspectivas são mais baixas. Quem tem fundo de pensão, por exemplo, e não pretende ficar muitos anos na mesma empresa, também opta por essa forma de tributação. Quem resgata antecipadamente o que foi investido, tem alíquota de 15%.

Os tipos de previdência privada

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) é mais comum para as classes mais altas, a quem tem bons rendimentos financeiros. O dinheiro investido pode ser abatido no Imposto de Renda. Porém, quando o valor for sacado, o imposto também é bastante alto, isto é, proporcional ao que tiver aplicado.

Já o plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) não pode ser abatido do Imposto de Renda. Porém, quando se começa a receber o valor investido, o imposto se aplica ao valor extra recebido, aquilo que o investimento rendeu.

Em outras palavras, se você investir R$ 100.000 e o rendimento no final for de um extra de R$ 30.000,00, o imposto a ser aplicado será sobre esse último valor. Essa é a opção de plano sugerida para quem tem baixa renda.

Diante do exposto e para entender como funciona a previdência privada a fundo, anote aí. PGBL te dá essa possibilidade de abater o que foi investido para previdência do IR. Já o VGBL não traz essa possibilidade, sendo, porém, mais vantajoso para quem faz declaração de renda simplificada.

Quem utiliza a declaração simples do Imposto de Renda não deve contratar o PGBL. Para saber qual tipo de previdência traz mais benefícios a você, é importante saber o tipo de declaração que você envia para a Receita Federal.

Vamos supor: se você entrega uma declaração completa de IR, com o PGBL você vai pagar menos imposto ao longo do tempo. Porém, depois, o imposto ocorre no resgate do valor investido na previdência privada, o que pode acabar sendo mais custoso a quem investe.

Para entender melhor as diferenças, vale destacar, ainda, que no PGBL o imposto é cobrado quando você resgata o valor investido. Enquanto o VGBL o imposto recai em cima da rentabilidade.

Taxas

Continuando nosso Guia sobre como funciona a previdência privada, vamos as taxas.

As empresas que trabalham com previdência privada trabalham com as seguintes taxas: carregamento (sobre cada contribuição), gestão (anual), saída (resgate).

Planos de previdência abertos e fechados

Talvez você já tenha ouvido falar sobre esses dois termos e esteja com dúvidas. É simples. Os planos abertos são esses oferecidos por bancos, seguradoras, gestoras de fundos, e se enquadram em um dos módulos que vimos anteriormente: Plano Gerador de Benefícios Livre (PGBL) ou Vida Gerador de Benefícios Livre (VGBL).

Os planos fechados são os fundos de pensão. Eles são oferecidos por algumas organizações a seus funcionários. Assim, é como se atuassem como patrocinadoras.

Em alguns casos, também ajuda na aposentadoria. Eles apresentam benefícios como quando a empresa faz investimentos para os funcionários, por exemplo, contribuindo todos os meses.

É muito comum que a cada real investido pelo funcionário, proporcionalmente outro real é investido pela organização onde ele trabalha. Assim, o investimento do funcionário dobra.

Além disso, não há taxa de carregamento. Porém, vale ficar atento a algumas preocupações. Geralmente, há um tempo mínimo que o funcionário deve estar registrado na empresa para que consiga ter direito ao montante investido pela empresa caso seja desligado da mesma. Quando um funcionário deixa de trabalhar nessa organização pode ser que não receba nada.

Mais informações

Para esclarecer outras dúvidas e saber mais sobre como funciona a previdência privada, você pode entrar em contato com o órgão do governo responsável, a Susep.

+ Como fazer previdência privada para os filhos

 

Cotação online de Previdência Privada