COTAR SEGURO ONLINE

Você sabe o que é a Barra de Direção?

Você sabe o que é a Barra de Direção?

Está escutando um barulho diferente vindo da frente do seu carro ou uma ligeira trepidação ao passar por piso irregular? Fique esperto, pois pode ser um desgaste na barra de direção, um componente muito importante do sistema de direção do seu automóvel. 

A não substituição da peça pode levar a sua quebra e, consequentemente, a perda da direção do veículo. Mas o que é e para o que serve a barra de direção?

Cotação online de Seguro Auto

 

Por dentro da Barra de Direção

O sistema de direção de um automóvel é formado basicamente pelo volante, coluna, caixa, barra e terminal de direção. Quando você vira o volante, a coluna acompanha o movimento e faz girar uma pequena engrenagem fixada em sua ponta, chamada pinhão. O pinhão é conectado à cremalheira, que é basicamente uma régua com dentes que transforma o movimento circular em retilíneo.

O pinhão e a cremalheira ficam dentro da caixa de direção, que pode possuir assistência hidráulica, eletro-hidráulica ou apenas elétrica para reduzir o esforço ao esterçar o volante. 

Em cada ponta da caixa de direção vai a barra de direção, uma haste também conhecida como barra axial ou braço de direção. Por fim, há o terminal, que faz a ligação entre a barra e o pivô da suspensão e direciona as rodas para a direita ou esquerda.

Como o seu braço

O eixo da caixa de direção é fixo, isto é, não acompanha os movimentos para cima e para baixo realizados pela suspensão do carro. Aí que entra a barra de direção. Ela possui uma articulação na extremidade que vai conectada à caixa de direção protegida por uma coifa de borracha. Por isso é também chamada de braço, pois realiza o mesmo movimento de subida e descida de um braço humano esticado.

O único problema que a barra de direção pode dar é justamente nesta articulação, que se desgasta com o tempo e começa a dar folga. Quando isto acontece, o primeiro sintoma é o barulho de algo solto. Quando o desgaste é muito acentuado é possível sentir a trepidação da articulação com folga no volante do carro. Por fim, se não for feita a substituição da barra desgastada, a articulação pode estourar e interromper a comunicação entre o volante e a roda. O carro fica sem controle e pode causar um acidente.

Simples e robusto

A boa notícia é que a barra de direção é um componente bastante robusto e simples que demora bastante para se desgastar. Se você não costuma ficar muitos anos com o mesmo carro, dificilmente terá que trocá-la. Sua substituição é mais comum em carros mais antigos e com quilometragem alta.

A má notícia é que dificilmente a barra de direção se desgasta sozinha. Normalmente, quando ela começa a apresentar folgas, a caixa de direção também já está comprometida e precisando de recuperação ou substituição. Pode colocar na conta também a troca dos terminais e dos pivôs. Assim, os gastos aumentam consideravelmente. Em um compacto com direção assistida, um reparo completo vai custar entre R$ 1.500 e R$ 2.000.

Sem perder o controle

A melhor maneira de evitar dores de cabeça futuras é a prevenção. A cada 10.000 quilômetros, quando for checar o alinhamento, solicite ao mecânico de confiança ou a concessionária uma verificação completa dos sistemas de suspensão e direção. Se detectado no início, qualquer problema é mais fácil de resolver e não sobrecarrega outros componentes, desgastando-os de maneira anormal.

Depois da barra, a caixa

Agora que falamos sobre a barra de direção, vamos falar um pouco sobre a caixa de direção, que muitas vezes apresenta desgaste e problemas antes da barra. Como dito acima, é dentro da caixa de direção que acontece a transformação do movimento circular em retilíneo através do pinhão e da cremalheira.

Este processo mecânico é simples. Porém, na extremidade do sistema de direção estão os pneus, que ficam em constante atrito com o solo. São eles que dificultam o movimento de esterçamento do volante. Quanto mais largos os pneus, maior a superfície de contato com o solo e mais pesada fica a direção.

Ajuda para virar

Para diminuir este esforço foram criados os sistemas de assistência. O mais antigo de todos é o hidráulico, que utiliza uma linha com óleo alimentada por uma bomba. Esta bomba cria uma pressão que ajuda a “empurrar” o sistema de direção para a direita ou esquerda, tornando o ato de virar o volante mais fácil. O problema é que a bomba da direção hidráulica usa a força do motor para funcionar, aumentando o consumo e reduzindo a potência.

Para resolver este problema foi criado o sistema eletro-hidráulico. O funcionamento é praticamente igual ao hidráulico. A diferença é que o acionamento da bomba é feito por um motor elétrico e não pelo motor do carro. Ambos os sistemas estão caindo em desuso. Além de não serem tão eficientes, possuem mais componentes e tendem a dar mais problemas.

Elétrico é melhor

O sistema de assistência mais usado atualmente é o elétrico. Nele, a “ajuda para empurrar” as rodas para a direita ou esquerda é feita por um motor elétrico e não pelo fluido hidráulico. Sensores detectam o movimento do volante e acionam o motor. Com muito menos componentes, é mais barato de produzir e manter. Além de ser bastante leve em manobras e mais pesado em altas velocidades, tornando a condução mais segura.

Folgada e vazando

Normalmente, a caixa de direção apresenta desgaste nas buchas internas, que permite que os componentes fiquem folgados e façam barulho. Isso pode ocorrer nas direções com ou sem assistência, independentemente do sistema adotado. Nos sistemas hidráulicos e eletro-hidráulicos, podem acontecer problemas na bomba, degradação do fluido e desgastes dos anéis de vedação, resultando em vazamentos.

 

Última atualização em 06/06/2020