Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

China quer acabar com o cheiro de carro novo

Nova política na China quer tirar o cheiro de carro novo dos automóveis

China quer acabar com o cheiro de carro novo

Sabe aquele cheirinho de carro novo tão empolgante que a gente gosta tanto? Pois é. Aparentemente, a China não gosta tanto assim desse aroma.

Montadoras chinesas identificaram que o público do país se sente muito incomodado com cheiros e está tomando atitudes para acabar com qualquer aroma em seus carros.

A preocupação com o cheiro nos carros saídos da fábrica também tem um outro motivo: as grandes cidades chinesas são as que mais são afetadas pela mistura de nevoeiro e poluição. Isso causa inúmeros casos de doenças respiratórias diariamente.

Sendo assim, a preocupação das montadoras é diretamente ligada à saúde da população, já que o cheiro de carro novo também emite partículas invisíveis a olho nu de resíduos químicos e tóxicos ao organismo humano.

Especialistas afirmam que, especialmente em dias quentes, as partículas desprendidas pelas peças automotivas no interior do carro produzidas com vinil e borracha podem ser altamente tóxicas e até causar câncer quando aspiradas de forma contínua e prolongada.

Jeff Gearhart, diretor de pesquisa do Ecology Center, diz que “Pesquisadores mostram que peças internas de veículos contém uma espécie de coquetel de partículas com centenas de componentes tóxicos que se transformam em gases nocivos à saúde humana”. O Ecology Center é um instituto americano voltado para pesquisas sobre o impacto humano sobre o meio ambiente. O pesquisador estuda o cheiro liberado pelas peças automotivas desde 2006.

Ele ainda afirma que, desde que a maioria destas partículas químicas não passam por regulamentações oficiais de órgãos responsáveis, os consumidores não têm ideia do mal que elas podem fazer. Atualmente, testes estão sendo feitos para compreender o real impacto desse cheiro de carro novo na saúde das pessoas.

Aqui do outro lado do mundo, o cheiro de carro novo é tão valorizado que já existem essências que podem ser compradas para deixar o aroma tomar conta de qualquer tipo de veículo. Nos EUA e América Latina, por exemplo, o cheiro de carro novo é interpretado como sinal de status, felicidade, conquista e mantém outras ligações psicológicas com fatores como bem estar e sucesso.

No entanto, graças às pesquisas do setor e à confirmação da presença de agentes tóxicos nesse cheiro, muitas montadoras americanas já estão diminuindo, desde o início da década de 2000, o aroma tão apreciado pelos amantes de carros.

Fora cheiro!

Muitas indústrias já estão tomando ações práticas para reduzir a emissão de toxinas através do cheiro de carro novo. A Ford, por exemplo, já possui 18 avaliadores de cheiros em Nanjing, na China, cujo trabalho é avaliar os diversos materiais antes que eles sejam empregados na produção de um veículo. Se alguma parte cheira demais, os pedidos dos funcionários conhecidos como “narizes dourados” são enviados de volta ao fornecedor e substituídos.

Esta não é a primeira vez que a Ford se esforça para apaziguar a repelência por cheiros dos compradores chineses. O modelo Lincoln Continentals, por exemplo, importado dos EUA, já é equipado com folhas de carbono absorventes de odor antes de viajarem para a China.

A poluição pesada chinesa também foi a responsável pela implantação de leis de emissão de resíduos tóxicos, o que acabou influenciando a população a se preocupar mais com o ar que respira.