Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Como funciona a CNH Digital?

CNH DIGITAL

Como funciona a CNH Digital?

Em julho de 2017, o Conselho Nacional de Trânsito aprovou a CNH Digital, que estará disponível em um aplicativo. Com essa versão, quem preferir, não precisará ter em mãos o documento impresso.

Ainda assim, não é exatamente uma substituição para o documento de papel. Quem prefere andar com a versão impressa, também poderá solicitar uma, pois o documento não deixará de ser emitida em papel.

Assim, o motorista segue tendo duas opções: apresentar a sua CNH digital ou o documento de papel.

No entanto, seja a versão impressa, seja a versão digital (você não precisa portar os dois documentos, basta apresentar um só), a falta do documento é que continua sendo um problema. A multa é no valor de R$ 88,38 e o motorista perde três pontos carteira, além de ter o veículo apreendido.

Na prática, a notícia boa é quem não estiver portando sua CNH ao dirigir, agora não será multado e nem perderá pontos na carteira. Basta, simplesmente, apresentar a sua CNH-e, a versão eletrônica, que passa a ter o mesmo valor jurídico que a outra.

O que acontece antes da CNH digital é que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, quem dirige um veículo sem a carteira de motorista deve ser multado.

Mas não só isso: o automóvel fica retido até que os documentos originais sejam apresentados.

+ Diferenças entre CNH cassada e CNH suspensa

Segundo as informações divulgadas pelo governo, passa a valer a versão eletrônica e para comprovar que o motorista realmente é habilitado para dirigir. O processo para ter sua CNH-e é simples e já está ao alcance. Basta baixar o aplicativo CNH digital, disponível sem custos pelo Google Play ou App Store.

Depois de realizar o download do aplicativo, o motorista realiza o passo a passo para cadastro pela internet ou pessoalmente em um posto de Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

O motorista, no entanto, precisa ter sua carteira de motorista impressa com QR Code e estar com seus dados atualizados no Detran, sobretudo e-mail e telefone celular.

CNH eletrônica tem prazo prorrogado

Vai até o dia 1º de julho o prazo para implementar a Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNH-e) no Brasil. O Ministério das Cidades prorrogou o prazo de obrigatoriedade, inicialmente previsto para 1 de fevereiro deste ano, porque as agências reguladoras de Transportes Terrestres (ANTT) e Aviação Civil (Anac) ainda não conseguiram implementar o sistema que reconhece as habilitações eletrônicas nas companhias de ônibus e de aviação. De acordo com o Denatran, o prazo não será prorrogado outra vez.

Em alguns casos, as pessoas já estavam apresentando sua CNH-e como documento de identidade, por exemplo, para um transporte rodoviário, mas como ali não havia o sistema capaz de ler esse documento digital, não era possível verificar sua autenticidade, o que trouxe alguns transtornos aos passageiros.

Os departamentos agora têm até o dia 1º de julho para disponibilizar o documento virtual e para reconhecer a autenticidade dos documentos que são apresentados. Além disso, no início deste mês, somente 13 das 27 unidades da Federação estavam emitindo a nova CNH-e.

Até o momento, os Estados que já adotaram o novo sistema e estão emitindo o novo documento são: Acre, Alagoas, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhã, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul, Sergipe e Tocantins.  Os outros Estados, portanto, ainda não estão prontos para as mudanças.

CNH digital – Inovação nacional

Depois da urna eletrônica, uma inovação brasileira, agora é hora de mostrar ao mundo a CNH digital. O governo vê na tecnologia desenvolvida um instrumento de inclusão.

Em muitos estados, a versão impressa custa, em média, R$ 135,00. A versão digital deve ficar em torno de R$ 10. O preço da CNH digital deverá mudar de Estado para Estado. É o Detran quem fica responsável por avaliar os custos.

Como temos destacado aqui no blog, a CNH-e traz muitas facilidades e mais comodidade ao motorista. Em primeiro lugar, reduz a incidência de fraudes. O motorista terá uma senha de quatro dígitos para que seja possível visualizar o documento. A autenticidade do documento é comprovada pela assinatura digital do Denatran.  E vale dizer que fica mais difícil perder o documento ou esquecê-lo em algum lugar.

Estamos ansiosos para ver como funciona. Você também? Que é uma baita praticidade, isso não sobra dúvidas. Vamos torcer para dar tudo certo e ser assim tão prático!

Você já conhece a nova carteira de motorista? Não deixe de ver também nosso guia sobre multa de transito.