Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Combustível adulterado: os riscos que o seu carro corre

Imagem de uma mangueira de abastecimento para a matéria sobre o combustível adulterado

Combustível adulterado: os riscos que o seu carro corre

Este texto trata de um tema da maior importância, que interessa a todos os proprietários de veículos: combustível adulterado.

Entre as 5 dicas da Bidu para economizar combustível, uma das mais importantes é usar o combustível certo. E o primeiro passo é evitar o combustível falsificado!

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) exerce fiscalização constante. Porém, ainda é comum encontrar combustível adulterado nas bombas de alguns postos.

Esse é um problema sério. O combustível adulterado, além de render menos em termos de quilometragem rodada, pode trazer problemas para o seu veículo.

O que é adulteração de combustível?

É a alteração fraudulenta do combustível, por meio da adição de impurezas ou de substâncias químicas a ele. O objetivo é baratear o custo.

Na gasolina, uma das adulterações mais encontradas consiste na adição de solventes. Ou então de uma porcentagem de etanol anidro acima da permitida por lei.

No caso do etanol, uma adulteração comum é a adição de qualquer quantidade de etanol anidro ao etanol hidratado. A diluição do etanol em água também é comum.

Quanto ao óleo diesel, uma das alterações mais comuns é a presença de impurezas, como enxofre.

Os riscos que o combustível adulterado traz para seu carro

Algumas peças que entram em contato com o combustível, como a bomba de combustível, o filtro, os bicos injetores, as velas e catalisadores, são diretamente afetadas pelo combustível adulterado.

A reposição dessas peças é cara. Em alguns casos, o dano se estende às áreas ao redor, como o cabeçote.

Alguns tipos de adulteração podem até mesmo danificar o motor. Isso ocorre quando há adição de água, óleo diesel ou solventes à gasolina.

Como saber se você abasteceu com combustível adulterado

Alguns sinais podem indicar que o automóvel foi abastecido com combustível adulterado ou inapropriado.  Confira abaixo:

O surgimento repentino de alguns desses sintomas após abastecer o veículo pode significar alteração no combustível.

Se você estiver desconfiado de que o combustível que acabou de colocar no tanque está adulterado, você pode levar o carro à oficina para fazer um teste. É barato, ou mesmo gratuito.

Caso fique comprovada a fraude no combustível, denuncie. Se possível, tenha em mãos a nota fiscal do abastecimento no posto.

Como evitar abastecer com combustível adulterado

Cuidado com os postos que oferecem preços muito abaixo do normal: pode ser um indício de que o combustível vendido tenha sido alterado, e aí o barato pode sair caro.

O consumidor tem o direito de exigir um teste de qualidade do combustível nos postos, o chamado “teste da proveta”. O teste é rápido e gratuito.

Se o posto se recusar a fazer o teste, entre em contato com a ANP ou mesmo com o Procon.

A ANP dá 10 dicas para abastecimento em postos de combustível. Elas incluem também dicas para evitar bombas adulteradas, que indicam um volume de combustível maior do que o volume que realmente foi colocado no tanque.

Outra dica importante é conhecer as diferenças, vantagens e desvantagens da gasolina e álcool.

O seu carro já possui seguro auto? Conheça as principais coberturas do seguro auto.