Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Correia dentada: o que é e como consertar?

imagem do motor de um carro com a legenda: Correia dentada

Correia dentada: o que é e como consertar?

Quando o assunto é o universo automotivo, cada peça, por menor que seja, tem seu papel importante no funcionamento do sistema como um todo, sendo uma delas a correia dentada.

Quando esse item quebra,  pode causar grandes danos ao seu automóvel: a correia dentada é uma peça fundamental que promove o bom funcionamento das válvulas do carro com alta precisão.

O que é correia dentada?

Trata-se se uma corrente com pequenos dentes que tem a função de coordenar a abertura das válvulas de acordo com a posição da árvore de manivelas, também chamado de virabrequim.

Cada válvula abre e fecha em momentos exatos, conforme o movimento feito pelos pistões, por isso, os dentes da correia ajudar a coordenar estas funções, formando uma engrenagem sistemática, porém essencial para que o carro se movimente.

Quando a correia quebra, os pistões batem nas válvulas, causando um entortamento.

O que acontece quando a correia dentada se rompe? 

Em casos de rompimento da correia dentada, os pistões podem se chocar com as válvulas provocando o seu desgaste e empenamento.

Quando isso acontece, é necessário fazer uma retificação do cabeçote, algo que pode pesar e muito no seu orçamento.

Em carros populares de motor 1.0, por exemplo, esta retificação pode chegar a R$1.500,00, dependendo da região.

No entanto, o rompimento da correia dentada pode causar ainda mais dor de cabeça.

Se, por acaso, a correia se romper enquanto o automóvel estiver em alta velocidade – isso quer dizer, em alta rotação da correia -, o impacto é tão grande que pode quebrar os pistões.

Em situações como esta, o mais indicado é a retificação completa do motor, o que pode custar até R$4.000,00 em um carro de motor 1,0, por exemplo.

Como evitar o rompimento da correia dentada?

Se você for um motorista responsável e prudente, já é meio caminho andado para manter o bom estado da sua correia dentada.

Manobras como “cantar pneu”, fazer o motor pegar no tranco ou reduzir a marcha de forma brusca são ótimos atalhos para o rompimento da peça.

Outro fator pode ser o tempo de uso. Por isso é fundamental ficar atento e promover a substituição da correia dentada dentro dos prazos de validade ou em casos de alta quilometragem do carro.

+ Dirigir no ponto morto economiza combustível?

Na maioria dos carros, o prazo de validade é de três anos ou 50 mil quilômetros. Se o seu carro já passou desses limites, já é bom trocar a correia em um serviço especializado para evitar problemas maiores mais pra frente.

Infelizmente, a correia dentada não demonstra sintomas quando está prestes a romper, sendo muito difícil para o motorista identificar problemas. Por isso, na maioria das vezes, eles são surpreendidos com um ruído forte, que indica o rompimento da peça.

No entanto, é possível checar a saúde da sua correia dentada. Com o carro desligado, retire a capa protetora da peça (que encobre a mesma a fim de protegê-la) e verifique se há alguma trinca na borracha ou desfiamento na lona.

Se sim, leve o carro imediatamente a uma oficina especializada para fazer a troca da correia.

A diferença entre correia e corrente

Dependendo do modelo do veículo, podem existir dois tipo de peça: corrente ou correia dentada. No primeiro caso, ela é feita de metal, no segundo, de borracha. Ambas são encapadas com uma proteção de plástico.

A correia dentada (que é feita de borracha), geralmente é presente em carros mais modernos e apresenta uma grande vantagem sobre a corrente: ela é muito mais durável e leve.

Em caso de quebra, não será possível a substituição da corrente por correia e vice-versa.

E aí, tem mais alguma dúvida sobre correia dentada? Deixe pra gente nos comentário!

Veja mais dicas para cuidar do seu carro: o que é cambagem de pneu e como funciona.