Vale a pena fazer a franquia de seguro reduzida?

Ao cotar o valor de um seguro de carro, é comum pensar em alternativas para a redução do que se vai pagar pelo produto. Uma dessas alternativas se refere à franquia. É válido optar pela franquia reduzida que, em geral, diminui os custos da contratação? Franquia reduzida vale a pena?

Quais são os prós e os contras caso seja essa a escolha determinada pelo cliente?

Para começar, você sabe o que é uma franquia de seguro auto?

imagem de carro batido para ilustrar texto que fala se franquia reduzida vale a pena ou não

É preciso avaliar vários aspectos para decidir se a franquia reduzida vale a pena ou não.

Franquia reduzida é mais barata?

Antes de saber se franquia reduzida vale a pena, vamos ver se a franquia reduzida é realmente mais barata.

A franquia reduzida é, sim, mais barata. Em geral, custa 50% menos do que o valor das franquias tradicionais.

Sendo assim, permite que o motorista pague um valor mais baixo caso tenha de consertar o carro após sofrer um possível dano.

Em contrapartida, seguros com franquia reduzida são mais caros. Isso porque os valores de franquia e seguro são inversamente proporcionais. Ou seja, caso um seja menor, o outro é maior.

Vale a pena ter a franquia reduzida?

Em virtude dessa questão – valor de seguro x valor de franquia reduzida – o que pode valer mais a pena para o cliente? Franquia reduzida vale a pena?

Vamos às contas!

É indicado avaliar o quanto a franquia vai diminuir em comparação com o quanto o seguro vai aumentar.

Exemplo:

  • O seguro X custa R$ 3.000,00 e a franquia normal custa R$ 2.000,00.
  • Já o seguro Y custa R$ 4.000,00 e a franquia reduzida R$ 1.000,00.

Observa-se, então, que a franquia do seguro Y é 50% menor do que a franquia X, enquanto que o seguro é 33% mais caro.

Sendo assim, como a economia é de 50% na franquia, enquanto o gasto a mais é de 33%, a franquia reduzida vale sim a pena.

Franquia reduzida X franquia normal

Tem alguns outros fatores que também irão determinar se a franquia reduzida vale a pena.

De acordo com os especialistas, o que também deve ser levado em conta na hora de determinar o melhor seguro é o perfil do motorista e os possíveis riscos que o veículo corre.

Por exemplo, quando o motorista é cuidadoso e prudente e estaciona o carro sempre em garagens fechadas, o risco é sempre menor de ocorrer algum dano ao veículo.

Em casos assim, a franquia normal pode ser uma boa opção. Em geral, o motorista vai pagar um valor fixo de seguro menor e, na teoria, não vai usar a franquia (imagina-se que um condutor cuidadoso não terá problemas com danos ao carro) que, assim pode ser mais cara.

O outro cenário é quando um motorista que usa demais o carro e, assim, corre mais riscos de cometer um acidente. Nesse caso o indicado é contar com um seguro mais alto, mas que ofereça uma franquia menor, já que ela poderá ser usada com mais frequência. Ou seja, a franquia reduzida vale a pena.

Tipos de franquias

Franquia normal

É a franquia padrão oferecida pelas seguradoras – o seu percentual é de 100%. Apresenta valor médio e é indicada para motoristas com histórico de direção definido.

Sim, aqueles que têm histórico de acidentes devem evitar esse tipo de franquia pois podem ter de assumir vários gastos.

Franquia majorada

Trata-se de uma franquia majorada ou ampliada, que apresenta custo mais alto – pode custar o dobro da franquia normal.

Porém, por ter um custo mais elevado, essa franquia acaba tornando o valor do prêmio mais barato.

É indicada para aqueles que não têm histórico de acidentes.

Franquia reduzida

Conforme já dito, é a franquia com o menor valor. Pode custar entre 25% e 50% menos que a franquia normal, embora eleve bem o valor do prêmio.

É a franquia indicada para motoristas que têm alto risco de se envolverem em sinistros.

Escolhendo o seguro

Antes de saber se franquia reduzida vale a pena,é preciso escolher o seguro mais adequado para o cliente e, claro, para o carro em questão.

Para isso, é importante trabalhar com as seguintes informações:

  • ano e modelo do automóvel;
  • ambiente em que o carro fica (em garagem ou na rua);
  • detectar se o carro tem ou não alarme;
  • detalhar o perfil do condutor.

Com essas informações em mãos, é possível até mesmo fazer simulações gratuitas para avaliar a futura contratação – que pode ser online ou não.

No material obtido o valor da franquia pode ser observado. Afinal, é um custo obrigatório do segurado caso ocorra dano parcial ao veículo e por isso deve constar em todo orçamento apresentado.

Exemplo de como funciona a franquia quando ocorre um acidente:

O valor da franquia do seguro é pago pelo motorista na própria oficina, enquanto a seguradora paga o restante.

Sendo assim, vamos supor que o valor total do conserto seja, por exemplo, R$ 3.000,00 e o valor da franquia seja R$ 1.000,00. Nesse caso, o motorista paga a franquia (R$ 1.000,00) e os R$ 2.000,00 restantes são pagos pela empresa de seguro.

Quando o valor do conserto é menor ou igual ao da franquia, não é preciso acionar a seguradora, basta fazer o pagamento diretamente.

 

 

Última atualização em 26/03/2019