Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Posso passar no farol vermelho se estiver levando uma grávida ao hospital?

Posso passar no farol vermelho?

Posso passar no farol vermelho se estiver levando uma grávida ao hospital?

No trânsito, muitas vezes surgem dúvidas comuns sobre o que é lei, o que consideramos correto, o que deve ser feito, por que não podemos fazer o que consideramos mais correto. Não é mesmo?

Quer um exemplo?

Olha só. Você está com uma grávida no carro quando o bebê dela resolve dar sinais de que vai nascer. Já aconteceu com você?

E então você se se pergunta: Posso atravessar no sinal vermelho? Posso acelerar o carro para chegarmos mais rápido ao hospital?

Em um episódio como esse, você seria multado?

A resposta é: Você não pode fazer nada disso.

Em primeiro lugar, que fique claro: apenas ambulâncias, carros de polícia e de bombeiros tem “passe livre” em sinais vermelhos.

O mesmo ocorre quando estiver levando algum doente para o hospital. Por mais séria e emergente que seja a situação. Por mais difícil que seja, por mais argumentos que tenha, a multa é gravíssima, com valor de R$ 293,47.

Para compreender melhor, é importante entender os porquês de tais medidas.

Ambulâncias, bombeiros, carros policiais têm sinalizadores, e os motoristas são treinados para situações de emergência. Quem está no trânsito, facilmente os identifica e sabe que deve dar a preferência. De outro lado, o motorista comum que está com um doente no carro, ou muitas vezes uma grávida, está em uma situação de estresse, sem treino, e pode acabar colocando outras vidas em risco ao atravessar no sinal vermelho ou dirigir acima da velocidade permitida, por exemplo.

Recurso de multas

Depois de receber uma penalidade da multa, o condutor tem até 30 dias para recorrer, caso a infração tenha sido enviada pelo Detran. Isso pode ser feito pessoalmente, por correio ou ainda pela internet. Quando a multa é aplicada pela Prefeitura, o prazo é de 15 dias. É importante conferir todos os documentos que são necessários.

Em primeira instância, os recursos são analisados pela Junta Administrativa de Recursos e Infrações. Em segunda instância, caso o recurso não seja aceito, é pelo Conselho Estadual de Trânsito.

Quer saber mais sobre multas? Separamos oito dicas para evitar multas.