Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Primeiro carro de luxo do Brasil faz 50 anos

Imagem do carro Ford Galaxie 500 vermelho, com a legenda: Galaxie 500 primeiro carro de luxo do Brasil

Primeiro carro de luxo do Brasil faz 50 anos

Era 1967 quando o Brasil viu circular pelas suas ruas o primeiro carro com ar condicionado e direção hidráulica da sua história. O comprido e imponente Ford Galaxie 500 foi o marco do início da produção de automóveis de luxo no território nacional e surpreendeu pelo desempenho, espaço interno e design nunca antes visto, sendo o primeiro carro de luxo do Brasil!

O primeiro carro de luxo: Grandalhão e luxuoso

A frota brasileira, até então formada pelos compactos fuscas e DKW foi surpreendida pelo sedã de 5,4 metros e que ostentava dois bancos inteiriços, rádio de alta fidelidade e velocímetro horizontal que chegava a até 200 km por hora.

O volante imenso era proporcional ao carro, oferecendo uma verdadeira experiência ao dirigir.

Com tantos atributos, o Galaxie 500 tornou-se o grande sonho de consumo das famílias abastadas enquanto o Brasil enfrentava os punhos de ferro da ditadura militar.

Na época, Chico Buarque cantava contra a repressão, Roberto Carlos embalava os casais apaixonados e o Ato Institucional número 5 estava quase pronto para ser aplicado no ano seguinte, no ano mais opressor da ditadura brasileira.

No entanto, a economia estabilizada favoreceu a aquisição de bens de luxo, impulsionando a classe alta para o consumo de bens inovadores e que até então só eram vistos fora do Brasil.

O Galaxie 500 era um desses itens e, rapidamente, ganhou a preferência de políticos, personalidades públicas e grandes empresários.

O motor do Galaxie era um 4.5 V8 com 166 cv, fazendo com que o automóvel fosse capaz de ir a 150 km/h e de rodar 6,3 km com 1 litro de gasolina. Lançado em três versões, o modelo seguiu sendo produzido no Brasil até abril de 1983, totalizando cerca de 77 mil unidades em 16 anos.

A crise do petróleo na década de 1980 foi uma das responsáveis pela descontinuação das vendas do modelo, que configurava entre os mais gastões do mercado.

Homenagem de outro planeta

O nome Galaxie é uma homenagem à corrida espacial, que colocou em foco as tecnologias e as ambições intergalácticas dos Estados Unidos e da então União Soviética.

O número 500 é inspirado na vitória da 500 milhas de Daytona, em 1958. As cores também faziam alusão ao universo: o modelo foi lançado com as cores ​sólidas: Bege Terra ,Vermelho Marte, Preto Sideral, Verde Júpiter, Azul Infinito, Cinza Cósmico, Branco Glacial e Azul Ágena.

Opcionalmente, a capota poderia vir na opção cor Branco Glacial, dando ainda mais exclusividade ao veículo.

O vovô do Landau

Em 1969, percebendo o potencial de venda dos grandalhões luxuosos, a Ford lançou a versão LTD do Galaxie, que foi o “pai” de um dos modelos mais emblemáticos do luxo automotivo brasileiro: o Landau.

Foi em 1971 que chegaram os primeiros modelo da popular “banheira”, com teto de vinil e mais privacidade graças a um vidro traseiro reduzido. No seu interior, um caprichado acabamento com madeira de jacarandá nas portas e no painel.

Pouco depois, já em 1976, a aparencia mudou: os faróis verticais tornaram-se horizontais e o motor V8 foi para 5 litros e 202 cavalos, que ficavam na vertical, passaram a ser horizontais, mesmo formato das lanternas.

Veja também:

+ Existe seguro para carro antigo?

+ Dronos e carros autônomos são realidade!