Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Simulação de seguro auto: tudo sobre o Questionário de Avaliação de Risco

Saiba mais sobre como funciona uma simulação de seguro auto com o Questionário de Avaliação de Risco.

Entenda mais sobre o Questionário de Avaliação de Risco com a Bidu Corretora.

Se você já fez ou está procurando um seguro de carro, certamente você está familiarizado com o conceito de simulação de seguro.

Funciona assim: você envia seus dados para um corretor de seguros, que por sua vez manda para as seguradoras, que respondem com as coberturas, assistências e quanto vai custar o seu seguro.

Esse processo pode causar confusão em algumas pessoas: “eu não entendo por que eu preciso responder sobre minha idade, gênero e locais de circulação. O meu seguro não deveria ser somente sobre o carro?”

Essa confusão é comum. Afinal, preencher o Questionário de Avaliação de Risco (que é o nome correto desses formulários que você preenche, incluindo o da Bidu Corretora) é vantajoso para você?

Saiba por que sim e o que influencia o seu perfil no seguro auto. Para saber o preço do seguro de carro para o seu perfil, faça uma cotação de seguro auto online.

Por que eu preciso responder o Questionário de Avaliação de Risco no simulador de seguro?

Porque conhecendo o seu perfil, a seguradora pode oferecer um prêmio mais justo.

O seguro funciona através do princípio da mutualidade. Isso significa que você e mais um número de pessoas estão correndo os mesmos ricos de bater o carro ou serem roubados e se unem para arcar com o prejuízo que apenas algumas vão ter. Isso é melhor que você ter que bancar uma batida ou um furto sozinho, certo? Além disso, é bem mais barato.

No entanto, todas as pessoas correm esses riscos em graus diferentes. Pense assim: se você faz tudo corretamente, trata seu carro bem, respeita as leis de trânsito, não dá sopa para o azar, é justo que você pague o mesmo preço que uma pessoa que não faz nada disso?

É exatamente isso que o Questionário de Avaliação de Risco procura medir e recompensar.

Com o perfil de risco, as seguradoras conseguem oferecer um prêmio mais barato para quem oferece um risco menor de sinistro.

Além disso, é um sistema que se alimenta: quanto melhor os condutores dirigirem, mais barato fica o seguro para todo mundo.

Esse sistema existe em vários países do mundo, como nos Estados Unidos e Inglaterra.

Isso significa que eu tenho que mentir na simulação de seguro para ter um preço mais barato?

Na verdade, é exatamente o contrário.

Dizer a verdade é sempre mais barato. Omitir ou prestar informações erradas podem causar a recusa do pagamento de um sinistro, por exemplo.

Mesmo que o seu seguro fique caro, mentir é mais caro ainda.

Além disso, seu preço vai diminuir conforme o cuidado que você tem para dirigir. As seguradoras oferecem, através da classe de bônus, um mecanismo no qual motoristas que não sofrem sinistros vão ganhando mais descontos no decorrer dos anos.

Você pode também entender melhor os motivos pelo qual seu seguro está caro. Por exemplo, o formulário da Bidu tem vários campos, e aqui está a justificativa deles:

Marca, modelo e ano de fabricação do seu automóvel: como bem segurado, é importante saber os detalhes sobre o carro. Além disso, alguns carros são mais visados por ladrões ou tem peças cujo preço de reposição é mais caro.

Se o veículo é zero quilômetro: se o carro é recém-saído da concessionária ou foi comprado a menos de 30 dias, tem menos de 1000 km de rodagem e não apresenta avarias, ele apresenta um risco menor de ter alguma condição prévia que possa causar um sinistro.

Se o veículo apresenta dispositivos de segurança: coisas como alarme sonoro, bloqueador de ignição e rastreador melhoram o preço do seguro, pois diminuem a chance do seu carro ser furtado ou roubado. Saiba mais sobre rastreadores.

CEP do pernoite e dos principais locais de circulação: de acordo com as estatísticas das seguradoras, algumas regiões são mais propensas a roubos e furtos ou colisões do que outras, o que afeta o preço do seguro. Por exemplo, no blog da Bidu você pode saber sobre as ruas mais perigosas de São Paulo.

Quilometragem percorrida diariamente: carros que rodam mais estão mais expostos ao risco de um roubo ou de uma colisão.

Idade, gênero, estado civil, tempo de habilitação e outras características do condutor: as estatísticas das seguradoras mostram que cada perfil apresenta riscos diferentes, o que faz sentido – uma senhora de 65 anos, por exemplo, usa seu carro de uma maneira muito diferente de um jovem de 18 anos.

Condutores adicionais: assim como o perfil do condutor principal, idade, gênero e outras características do condutor adicional afeta diretamente o preço do seguro, já que interfere no risco que o veículo corre.