Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Refinanciamento de veículos: como funciona?

refinanciamento de veículos

Refinanciamento de veículos: como funciona?

Quando o orçamento aperta, é aí que entram em cena as medidas de emergência para cortar gastos e/ou conseguir um crédito extra, entre elas, o refinanciamento de veículos.

Ele está no meio de muitos tipos de linhas de crédito estão disponíveis hoje no mercado das financeiras e é preciso estudar cada uma para ver qual é mais adequada para o seu perfil e sua necessidade no momento.

O refinanciamento de veículos tem juros mais baixos do que o crédito pessoal, esta é uma modalidade que pode salvar a pele de quem precisa levantar uma grana extra, porém não quer se comprometer com taxas abusivas por longos períodos.

Como funciona o refinanciamento de veículos

Geralmente praticada por bancos e grandes instituições financeiras, o refinanciamento de veículos funciona assim: você pega emprestado uma quantia de dinheiro e oferece seu veículo como garantia que o valor será pago.

Muitas instituições até oferecem a opção para o cliente fazer uma proposta online, através de aplicativos ou do site da empresa. Dessa maneira, você tem como fazer simulações e não ser pego de surpresa com os juros e valor final.

Apesar de ser uma forma fácil de conseguir dinheiro extra, dar seu veículo como forma de garantia é algo muito sério.

Se o cliente não cumprir o compromisso financeiro que assumiu ao pegar dinheiro emprestado, a instituição financeira pode tomar o seu bem. Algo semelhante que ocorrer na alienação de veículos.

Por isso, é fundamental ver se este é bom negócio para o seu caso e se você vai conseguir pagar as parcelas determinadas pelo acordo.

O que é preciso para fazer um refinanciamento do meu veículo?

A primeira coisa é entrar em contato com seu banco ou financeira e checar se eles oferecem este tipo de negociação. Se sim, providencie os seguintes documentos:

  • RG
  • CPF
  • certidão de casamento
  • comprovante de residência
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH)
  • comprovante de renda
  • Certificado de Registro do Veículo (CRV)

Para fazer o refinanciamento de veículo, ele precisa estar no nome do requerente do empréstimo, quitado ou alienado, e o requerente precisa estar com o nome limpo.

Alguns bancos até concedem empréstimo para pessoas como nome sujo, mas nesses casos, os juros acabam sendo bem mais altos pelo risco que a empresa corre de não ser paga. O empréstimo não pode ser feito em nome de parentes.

Além disso, neste tipo de negociação, somente são aceitos veículos com menos de 10 anos de fabricação. E neste caso, diferentemente do leasing, o veículo continua no nome do proprietário.

Quanto mais novo o veículo, maior o empréstimo que o cliente poderá tomar.

Geralmente, as financeiras oferecem o prazo máximo de 60 meses para pagar e é possível adiantar o pagamento das parcelas com redução de juros.

Isso quer dizer que, caso tenha um dinheiro extra (com décimo terceiro, por exemplo), você pode quitar mais de uma parcela e ter desconto nos próximos juros.

Como fazer um bom negócio

Primeiro, veja se a sua instituição financeira é de confiança e se ela faz a avaliação do seu veículo pela Tabela Fipe.

Recuse qualquer tipo de venda casada, o que é proibido por lei. Se o banco vincular o empréstimo à adesão a qualquer outro produto da instituição, não feche negócio.

Antes de assinar contrato, pesquise as condições em pelo menos duas instituições financeiras para comparar as condições.

Consulte sites do Procon e do Reclame Aqui para verificar a reputação da instituição.

O refinanciamento de veículos é uma boa opção em casos de emergência, mas, como em qualquer situação de empréstimo que envolva juros, fique de olho para a dor de cabeça não se tornar maior ainda no futuro.

Boa sorte nas negociações!