Seguro Temporário para o seu carro

Imagem de carro miniatura na mão de uma pessoa para ilustrar texto sobre seguro temporário

Seguro Temporário para o seu carro

Pouco conhecido em nosso país, o seguro temporário para automóveis apresenta diversas vantagens. Muitas vezes pode ser a melhor opção para você.

Imagem de carro miniatura na mão de uma pessoa para ilustrar texto sobre seguro temporário

O seguro temporário para carros pode ser uma boa opção para quem quer se proteger por um tempo determinado sem ter que fazer o seguro tradicional completo.

Todo mundo sabe que contar com um seguro auto é muito necessário para garantir proteção e segurança caso algo ocorra.

Por isso, é habitual a contratação de um seguro convencional, que é contratado por um período de 12 ou 24 meses.

Porém, o que muita gente ainda não sabe, é que existem outras opções de seguro. Uma delas, por exemplo, é o seguro temporário de carro.

Como o próprio nome do produto indica, trata-se de um seguro de carro que é feito para proteger o veículo por um tempo menor. Este período é diferente do estabelecido nos contratos de seguros tradicionais –  que, em geral, são de um ano.

Pois é, você pode encontrar opções de seguro temporário de carro no mercado. Por exemplo, você pode contratar um seguro por um período de 30 dias.

Como funciona o Seguro Temporário?

Esse tipo de seguro temporário tem a mesma dinâmica do seguro para carro tradicional. A grande diferença é o período de utilização que, como já foi dito, pode ser menor.

No seguro tradicional a proteção é mais longa – em geral são válidos por, pelo menos, 12 meses. Já o seguro temporário pode ser contratado mediante o número de dias ou meses que o cliente desejar.

Durante o período em que esse seguro vigora, o carro terá todas as garantias oferecidas pela seguradora. Ou seja, o cliente contará com todos os benefícios que, no caso, são as coberturas e regras vigentes na apólice.

O seguro temporário também é opção quando um cliente aluga um carro. Nesse caso, costuma-se adquirir um seguro temporário básico que já vem incluso no contrato de locação para prevenir tanto o locatário quanto a locadora.

Muitos seguros disponíveis no mercado ainda permitem a contratação de certas coberturas adicionais. Elas são apresentadas quando o cliente faz a retirada do carro alugado.

Em geral, o custo desse seguro é dividido entre quem aluga e a locadora. Mas ele também pode ser cobrado como uma taxa adicional no contrato de aluguel do carro.

Quais são as regras do Seguro Temporário para veículos?

As regras do seguro temporário variam de acordo com cada seguradora. Porém, o atendimento ao consumidor deva seguir as regras estabelecidas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). Esse é órgão responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro.

Dentre as regras estabelecidas pela Susep constam, por exemplo, perda parcial e integral do veículo. A perda parcial do carro é considerada quando um sinistro danifica o veículo.

Em casos assim, o custo para conserto é menor do que 75% do valor do carro.

Nesse cenário, a seguradora paga parte do custo do reparo e o cliente fica responsável pelo pagamento da franquia.

Vamos exemplificar, utilizando um valor simulado. Caso a franquia do seguro seja R$ 1 mil, o conserto do carro, após um sinistro, será de R$ 3 mil.

Nessa situação, você se responsabilizará pelo pagamento de R$ 1 mil junto à oficina mecânica, enquanto a seguradora quitará os R$ 2 mil restantes.

É importante verificar se o valor da franquia consta na apólice. Esse valor, aliás, pode ser definido de forma fixa ou percentual. Já quando o conserto do veículo supera 75% do seu valor (do valor do próprio carro), as seguradoras consideram como perda total.

Em situações como essa o cliente recebe indenização integral para que possa comprar um novo veículo.

A indenização integral também é paga caso o carro seja roubado ou furtado e não é encontrado pela polícia.

Preço do Seguro Temporário

Como em qualquer seguro, as empresas responsáveis sempre avaliam os riscos – assim como ocorre quando é feito um seguro tradicional de carro, de casa, etc.

Para isso, as seguradoras pedem ao cliente que responda a um questionário com perguntas que indicam a chance do roubo, acidente ou imprevisto acontecer.

Trata-se de um questionário que relata informações sobre as características do veículo, o perfil do motorista, etc. Com base nesses dados é que a seguradora faz o cálculo do custo do prêmio, valor da franquia e da indenização.

Mediante esse cenário, não há grande variação de preço entre o seguro tradicional e o temporário. Mas, ao verificar o valor diário de proteção, percebe-se certa diferença: em geral, o seguro temporário apresenta custo um pouco maior por dia do que o seguro tradicional.

Segundo as seguradoras, isso ocorre em virtude dos custos administrativos serem diluídos em um menor período.

Quando é vantajoso contar com o Seguro Temporário?

Em geral, é um produto contratado por aqueles que não têm condição de pagar por um seguro completo.

De acordo com os especialistas, o seguro temporário para veículo se torna mais interessante para situações em que o risco de sinistro pode ser maior como, por exemplo, em viagens.

Esse tipo de seguro também é considerado quando o usuário ficará com um carro por poucos dias. Isso ocorre em situações, por exemplo, de empréstimo do veículo ou também porque vai vender o carro.

É fácil contratar um Seguro Temporário de veículo?

A contratação desse tipo de produto é parecida à do seguro tradicional.

Tanto uma pessoa física quanto uma empresa pode fazer a adesão diretamente com uma seguradora ou com um corretor. Mas é importante saber que não são todas as empresas que têm esse tipo de seguro.

Atenção máxima à apólice do Seguro Temporário

Há algumas diferenças na forma de acionar o seguro temporário em relação ao seguro particular. Por isso, é indicado ler com atenção a apólice da proteção e, se for o caso, o contrato de aluguel do automóvel.

Também esteja atento aos critérios que constam nesse documento, ponderando aspectos como, por exemplo, a cobertura desejada.

 

 

Última atualização em 19/02/2019