Quais são os Tipos de Sensor de Ré que existem?

Imagem de interior do carro para texto sobre tipos de sensor de ré

Quais são os Tipos de Sensor de Ré que existem?

Sabe aquela hora de manobrar o carro para fazer baliza? Muitos querem fugir dessas situações, dada a dificuldade em estacionar o veículo numa vaga com espaço reduzido. Afinal, todo cuidado é pouco para não dar aquela encostadinha de leve no carro de trás sem querer. Ao menos, com a popularidade do sensor de ré, muitos pesadelos acabaram. Mas você sabe quais são os tipos de sensor de ré existentes? Ainda não? Este é o tema de nosso artigo, acompanhe! 

Cotação online de Seguro Auto

O que é Sensor de Ré?

O sensor de ré, também conhecido como sensor de estacionamento, é o dispositivo que alerta o motorista a identificar obstáculos na parte traseira do veículo ao estacionar. Ele, ativado ao dar marcha ré, consegue reconhecer o que estiver próximo ao carro e, assim, evitar que haja alguma batida

Pensou na segurança? Bingo! O seu principal uso é, sem dúvidas, voltado para garantir uma sensação maior de segurança ao motorista. O sensor de ré consegue detectar aqueles pontos cegos, inalcançáveis pelo retrovisor. Além disso, ele detecta pessoas e animais em movimento e, é claro, é um ótimo aliado para manobrar o carro a entrar naquela vaga estreita. 

Com um aviso sonoro no painel do automóvel, o motorista pode saber o quanto realmente está próximo de um objeto a ponto de haver uma colisão. Muito perto, os chamados “bips” ficam mais alto e constantes. Mais longe, diminui a intensidade do alerta. 

Para entender melhor sobre o acessório, vamos aos tipos de sensor de ré disponíveis no mercado. 

Quais são os Tipos de Sensor de Ré?

Na realidade, existe apenas dois tipos de sensor de ré: o que funciona por meio de ultrassom e através de eletromagnetismo. 

Sensor de ré por ultrassom 

Por ser ultrassom, o sensor emite uma frequência que não é possível escutar, porém, ele reflete no objeto atrás do veículo e volta em forma de sinal. Para ficar mais claro, a distância entre o carro e obstáculo é calculada pelo tempo que o sinal usa para ir do obstáculo até chegar ao sensor instalado no carro. O seu funcionamento é, de certa forma, semelhante a um sonar. 

Certo, mas quais são as vantagens e desvantagens desse sensor? 

Vantagens: é bem acessível ao público, com kits sendo encontrados por R$ 60, por exemplo. O conjunto costuma ter quatro sensores e um display de LED. 

Outro benefício: ele é adaptável a qualquer para-choque, não tem restrição a nenhum modelo de automóvel. 

Desvantagens: normalmente, esse sensor identifica sinais a partir de um metro de distância e já começa a apitar. Por isso, o seu uso é mais eficaz com obstáculos maiores, ou seja, menos preciso a objetos pequenos. 

Mais um detalhe: na instalação dos sensores, é necessário furar o para-choque para encaixá-los em pontos estratégicos que assegurem o seu bom desempenho. É claro, existe a possibilidade de “camuflar” os furos ao escolher sensores que combinem com a cor do automóvel, nem tudo é notícia ruim.

Sensor de ré por eletromagnetismo 

Entre os tipos de sensor de ré, o por eletromagnetismo tem um funcionamento mais simples. Instala-se uma fita magnética em toda a parte interior do para-choque, criando um campo magnético. Tudo o que estiver ao alcance desse campo é detectado, o que gera um alerta ao motorista. 

Vantagens: por ser de fácil instalação, não é preciso furar ou implantar nada que impacte na estética do para-choque. Na prática, retira-se o para-choque para colar a fita magnética em sua parte interior. 

Desvantagens: o seu principal empecilho está entre os modelos que contêm o para-choque de metal, como os SUV’s e pickups, uma vez que o metal pode causar interferência no sinal. 

Não só isso: outro ponto negativo se dá quando o carro para, o sensor deixa de funcionar também. Desligou o veículo, o sensor automaticamente desliga. 

Se compararmos com o de ultrassom, o sensor de ré por eletromagnetismo também pesa mais no bolso: os valores são a partir de R$ 100. 

Qual a diferença entre os Tipos de Sensor de Ré e câmera de ré?

A câmera de ré, na verdade, é um utensílio localizado na parte central, perto da placa, que consegue transmitir imagens do veículo numa tela multimídia ao acionar a marcha ré. Diferente do sensor que tem como função emitir avisos sonoros ao reconhecer objetos próximos do carro. 

Então, é possível ter sensor e câmera juntos? Claro que sim! Com os dois, garante-se a visualização e alertas de som dos obstáculos que surgirem pelo caminho. 

Lembre-se: estamos falando de sua segurança, nem sensor e nem câmera são meros artigos de luxos. Pelo contrário, são muito úteis para ajudar que o carro não sofra arranhões, danos na lataria e, até mesmo, provocar atropelamentos. Consegue, inclusive, ampliar o seu campo de visão para estacionar, diminuindo a chance de acertar um poste ou uma parede, muito menos ocasionar colisões com outros veículos. 

Ok, agora você já sabe sobre os tipos de sensor de ré, mas quer estar totalmente tranquilo ao dirigir? Cotar seguro auto é rápido e fácil, faça já uma simulação de seguro auto e escolha o seguro de veículos que melhor se encaixe com o seu perfil! 

Última atualização em 13/02/2020