Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Os riscos por trás do transporte de produtos perigosos

Transporte de produtos perigosos

Os riscos por trás do transporte de produtos perigosos

No vai e vem da correria do dia a dia no trânsito, nos deparamos, com alguma frequência, com os veículos que transportam produtos que trazem riscos. Eles trafegam não apenas por rodovias, como pelas ruas. Mas no geral só viram assunto mesmo quando ouvimos notícias de acidentes. A maioria deles, causado por falhas humanas. Então, quais os perigos que envolvem o transporte de produtos perigosos? Neste post, entenda mais sobre esta problemática.

Os produtos perigosos

Explosivos, líquidos inflamáveis, gases, materiais radioativos. O transporte de substâncias que trazem riscos pede atenção redobrada dos motoristas, que precisam agir com prudência ao volante, sem exceder as horas de trabalho dirigindo.

Ainda é comum, infelizmente, a ocorrência de incêndios de grandes proporções causados por caminhões carregados com produtos químicos. Alguns deles, bem catastróficos.

São considerados produtos perigosos aqueles que, em razão das características físico-químicas ou toxicológicas traz perigo à saúde humano ou ao meio ambiente e que se enquadre em uma dessas nove categorias:

– Explosivos

– Gases

– Líquidos inflamáveis

– Sólidos inflamáveis

– Substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos

– Substâncias tóxicas e substâncias infectantes

– Materiais radioativos

– Substâncias corrosivas

– Substâncias e artigos perigosos diversos

Esses produtos são importantes para a economia do país e estão presentes nos lares. Portanto, tirar esses veículos de circulação seria algo bem improvável. Eles estão por toda a parte, de norte a sul do Brasil. Dessa maneira, a saída é a prevenção.

Cuidados do motorista

Para conduzir esse tipo de veículo, os motoristas devem estar habilitados nas categorias D e E. Entre as exigências do Código de Trânsito Brasileiro, destacam-se: ter mais de 21 anos; não ter cometido infração grave ou gravíssima, nem ter se envolvido em infrações médias nos últimos 12 meses. Para a categoria D, é preciso que o condutor tenha dois anos de habilitação na B e há um na C, enquanto que para conseguir habilitação na categoria E, é necessário estar habilitado há um ano na C e ser aprovado no Curso MOPP (Movimentação Operacional de Produtos Perigosos).

Com o objetivo de evitar acidentes, esses veículos que transportam tais cargas trazem diferentes painéis de segurança e rótulos de risco, seguindo o que determina a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Entender as sinalizações pode ser importante para qualquer motorista, que deverá ter atenção redobrada e manter uma distância apropriada dos veículos que conduzem substâncias perigosas. Muito cuidado nas ultrapassagens.

É claro que também quem fabrica as substâncias e, ainda, as transportadoras, devem analisar os riscos envolvidos e respeitar todas as regulamentações. Além disso, atualmente, existem iniciativas como o “Olho Vivo na Estrada”, que contribui para a redução de acidentes graves.