Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

LER e DORT – Guia de lesão por esforço repetitivo

 LER e DORT - guia de lesão por esforço repetitivo

Conheça mais sobre a LER e DORT

Alguns trabalhos exigem movimentos repetitivos por longos períodos em uma única posição, como digitar ou costurar. Para muitas pessoas, ficar sentado por mais de oito horas em frente ao computador pode causar dores e lesões, principalmente se a postura não é correta e não há ginástica laboral para aumentar a qualidade de vida no trabalho.

Se identificou com a situação? Veja esse guia sobre LER e DORT e saiba como evitá-los.

O que é LER e DORT?

L.E.R. são as iniciais para Lesões por Esforço Repetitivo. Ela é uma síndrome que agrupa diversas doenças como tendinite, bursite, síndrome do desfiladeiro torácico e outras que são causadas por movimentos repetitivos. A LER geram dor e inflamação nos músculos, ligamentos, nervos e tendões, acompanhados de paralisia, sensação de peso e fadiga.

O D.O.R.T. é o Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho, causado por atividades que precisa de esforço repetitivos e força. Em poucas palavras, o DORT apresenta os sintomas iguais às LER, porém a origem é relacionada ao trabalho.

Os dois são danos causados devido ao uso excessivo do sistema musculoesquelético e à falta de tempo para a recuperação. Eles ocorrem em qualquer membro do corpo que seja submetido a esforços repetitivos, porém são mais comuns nos membros superiores.

Por ser caracterizado pela dor, o diagnóstico é feito pela própria pessoa e com acompanhamento médio posterior. A faixa etária mais afetada pela lesão são pessoas a partir dos 41 anos, entretanto ela pode manifestar em qualquer indivíduo que faça esforço repetitivo.

As LER e DORT são antigos na história da humanidade e muitos profissionais já sofreram lesão por esforço repetitivo, como escribas que redigiram longos textos.

Com o surgimento da informática, as síndromes do esforço repetitivo invadiram escritórios em que funcionários passam o dia inteiro sentados, digitando. Porém, elas não são exclusivas para quem trabalha nesses ambientes: todos que realizam tarefas repetitivas podem sofrer com a lesão por esforço repetitivo, como pessoas que trabalham em linhas de montagem e produção, operam com britadeiras, esportistas, costureiras, artesãos e outros.

Engana-se quem pensa que são apenas dores físicas: pessoas que sofrem com estresse e desenvolvem doenças a partir de esforço repetitivo também são enquadrados como DORT.

Dia 28 de fevereiro é o Dia Mundial de Combate à LER e ao DORT e por um grande motivo: segundo pesquisa feita pelo IBGE em 2013, mais de 3,5 milhões de brasileiros foram diagnosticados com essas síndromes.

Diversos dados mostram que a LER e DORT afetam a vida dos portadores. O boletim estatístico produzido pela Fundacentro mostrou que quase 16% dos entrevistados apresentaram dificuldades intensas ou muito intensas para realizar atividades diárias como tarefas domésticas, de autocuidado, como comer e tomar banho e trabalhar.

O mesmo boletim também apresentou que 25% dos entrevistados realizam exercícios físicos ou fisioterapia para diminuir as dores e 35% já usaram injeções ou medicamentos para a mesma finalidade.

Quais são os sintomas?

De forma geral, os sintomas da LER e DORT são fraquezas, sensibilidades, rigidez nas articulações e formigamento no membro que realizou esforço repetitivo.

Entretanto, há sintomas específicos para cada fase da lesão. A primeira fase do sintoma da LER/DORT é a dor, que geralmente não é possível identificar o local exato em que ela ocorre. A segunda fase é uma dor mais persistente. Até aqui é possível reverter o quadro com mudanças de hábitos, como postura ao sentar.

A partir da terceira fase é doença crônica e irreversível. Aqui a dor é sentida em pontos definidos em forma de pontadas e choques que não cessam nem em momentos de repouso. Entre a terceira e quarta fase a inflamação pode causar deformidades (cistos, inchaços, perda de força). No quarto estágio as dores são as mais intensas, necessitando injeção de morfina para amenizar as dores e até cirurgias.

Quais os tratamentos?

O tratamento deve ser feito com o acompanhamento médico que vai indicar a melhor forma de tratar a lesão conforme a fase em que ela se encontra.

Entretanto, geralmente o tratamento pode incluir sessões de fisioterapia, acupuntura e psicólogo, além de análise ergonômica, medicamentos anti-inflamatórios, injeções e dependendo da gravidade, até cirurgias.

Para cuidado

Como prevenir a lesão por esforço repetitivo?

Como visto, os sintomas do DORT podem ser tão grandes que impedem as pessoas de realizarem atividades simples, como pentear o cabelo e escovar os dentes. Você pode prevenir a LER e DORT com mudanças de atitudes no seu dia a dia de trabalho com ações ligadas a ergonomia no trabalho.

Ergonomia é o conjunto de disciplinas que estuda a organização no trabalho com interação de humanos e máquinas com objetivo de aplicar técnicas de adaptação e segurança. Na prática, são as ações que ajudam a melhorar a postura e qualidade de vida no trabalho.

Você já deve ter ouvido falar na postura correta para sentar, principalmente se você trabalha sentado em frente ao computador. Veja abaixo algumas dicas de ergonomia no trabalho:

  • O monitor deve ficar na altura dos olhos para a coluna não ficar curvada. Uma dica é colocar caixas ou apoiadores embaixo do monitor;
  • O braço e antebraço devem formar um ângulo de 90º, para facilitar, deixe o apoiador de braços da cadeira na altura correta;
  • Mantenha os pés apoiados no chão ou no descanso de pés. Evite cruzar as pernas ou sentar sobre elas;
  • Use cadeiras com regulagem de altura no encosto, assento e braços e faça a regulagem correta para a sua altura;
  • Ao sentar, deixe os quadris o máximo para trás na cadeira. Assim você mantém a coluna reta;
  • A parte superior das costas devem formar uma linha reta com os ombros. Evite ao máximo sentar curvado;
  • Se possível, utilize apoiadores macios no mousepad e borda da mesa, evitando a obstrução da circulação;
  • Faça pausas a cada 50 minutos para relaxar ou fazer alongamentos.

Você pode prevenir a LER e DORT com mudanças de hábitos com a ergonomia no trabalho e realizando atividades físicas de forma correta e acompanhamento de um profissional.

Muitas empresas oferecem aos seus funcionários uma pausa para a realização de ginástica laboral no ambiente de trabalho com o principal objetivo de incentivar os colaboradores a praticar atividade física e evitar lesão por esforço repetitivo.

Algumas empresas oferecem a Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho ou simplesmente a SIPAT. Ela tem como principal objetivo promover o conhecimento e conscientização entre os funcionários para a prevenção de acidentes no local de trabalho. A SIPAT é obrigatória para as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Como o seguro de vida pode ajudar você

O seguro de vida pode ajudar você em casos de LER e DORT: a cobertura de diária por incapacidade temporária garante o pagamento de indenizações devido acidentes ou doenças, conforme o limite contratado. Essa cobertura do seguro de vida é importante para quem não pode ficar sem trabalhar nenhum dia, como autônomos e profissionais liberais.

Faça uma cotação de seguro de vida e fique protegido contra diversos acidentes.