Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

O que é PGBL?

O que é PGBL

O que é PGBL?

O que é PGBL

Um das preocupações recorrentes na vida de todo mundo se refere à aposentadoria. Sim, um dia todos nós vamos parar de trabalhar e é fundamental estarmos preparados para esse momento. Por isso nesse post vamos te explicar o que é PGBL, Plano Garantidor de Benefício Livre.

Além das questões emocionais, o bolso de um aposentado deve estar em dia. Mesmo sendo uma tarefa complexa se levarmos em conta alguns dos aspectos que nos cercam hoje.

Pensar em previdência privada passou a ser uma necessidade para muitos que não dedicavam atenção ao assunto. Principalmente com as mudanças propostas pelo Governo. A temida reforma da previdência, que inclui maior tempo de contribuição e aumento da idade mínima para aposentar.

Afinal, é fato que pensar no futuro, preparando-se para essa nova etapa da vida, significa começar a agir hoje mesmo. Temos de avaliar, planejar e colocar em prática as medidas que nos levarão a ter a aposentadoria que imaginamos ser satisfatória, atendendo nossas necessidades.

Muitos julgam o recurso pago pelo INSS como insuficiente. Aí então combinam tal recurso – pelo o qual você trabalhou durante a maior parte da sua vida profissional – com a contribuição da previdência privada. Desta forma têm uma complementação da renda.

O que é PGBL? Quem imagina que aplicar em um plano de previdência privada terá um investimento inicial alto, deve repensar a decisão. Hoje em dia, existem no mercado produtos com aplicação inicial mínima. Alguns colocam limite abaixo de 50 reais, embora seja importante rever o valor da contribuição para mantê-lo adequado à expectativa futura.

Veja simulação de aposentadoria.

Aqui, no nosso blog, já falamos para você que existem dois tipos de previdência privada em nosso país: o VGBL (Vida Garantidor de Benefício Livre) e o PGBL (Plano Garantidor de Benefício Livre).

Mas o que é PGBL e porque escolher esse tipo de previdência privada?

Agora chegou o momento de conhecer o que é PGBL. Uma das opções de planos em que o consumidor economiza um valor mensal dentro de um prazo estabelecido em contrato.

Tão importante quanto planejar o futuro, tendo em mente o seu objetivo, é saber escolher o plano mais adequado.

Na opção entre o PGBL e o VGBL, o principal fator que deve ser considerado é a tributação aplicada. Afinal, recolhe-se imposto de renda sobre o dinheiro que é investido.

No PGBL é possível deduzir o valor das contribuições do Imposto de Renda com o limite de 12% da renda bruta anual.

Isso significa que você pode reduzir o valor do imposto a pagar ou aumentar a restituição que irá receber no ano seguinte. É importante você saber que no momento do resgate desse dinheiro aplicado em PGBL, as alíquotas de imposto de renda incidirão sobre o saldo total investido.

Mas outro detalhe conta aqui para que você obtenha essa vantagem oferecida pelo PGBL. Esse benefício fiscal vale a pena para quem faz a declaração do imposto de renda pelo formulário completo e que é tributado na fonte. Aqueles que fazem a declaração simplificada têm mais vantagens na contratação do VGBL.

Ah, e caso você tenha disponibilidade para investir mais do que isso – acima de 12% da renda bruta – a dica dos especialistas é que aplique essa diferença em outras modalidades.

Dois momentos: economizar hoje e ganhar no futuro

Você já entendeu o que é PGBL. Mas entenda o seguinte. Independente do plano que você escolher, todo e qualquer cliente tem de estar ciente de que o processo de investir em uma previdência privada é feito de dois momentos.

O primeiro deles refere-se a todo o período em que o investimento é feito. São aqueles anos em que você passa depositando todos os meses uma quantia na previdência. Em geral, esse momento acompanha a vida profissional do consumidor. Ele tira do seu salário o recurso que será investido para ser rentabilizado pela empresa escolhida para administrar o plano, no caso, a seguradora.

Aí sim vamos para a segunda etapa. A hora de receber e utilizar o dinheiro que foi economizado durante anos. Resgatando o que foi acumulado ou contratando via seguradora um benefício que estará à disposição todo mês, por toda a vida, ou por um tempo determinado. O cliente é quem escolhe.

Esse é o momento de avaliar o regime de tributação que mais vai valer a pena para você.

O regime progressivo da alíquota do IR é indicado para aqueles que têm expectativa de rendas mais baixas no futuro, enquanto o regressivo é dirigido para pessoas com expectativa de renda elevada.

Posso fazer portabilidade com meu PGBL?

A portabilidade nada mais é do que a possibilidade de transferir um crédito.

Quando o que está em questão é a portabilidade de um PGBL, caso você queira mudar em virtude de estar insatisfeito com o plano que escolheu, é possível sim portar. Porém, para outro PGBL.

Os seus recursos não podem, por exemplo, serem transferidos para um VBGL. Pois é um produto de natureza diferente.

Outro aspecto que deve ser levado em conta na portabilidade é o regime de tributação – ela de novo por aqui!

Caso você tenha um PGBL com tributação progressiva, poderá ir para um plano com tributação regressiva. Mas se você tem um plano enquadrado na tabela regressiva, não poderá alterar a forma de tributação. Mesmo se você mudar de instituição, não poderá fazer a portabilidade nessa situação.

De acordo com os especialistas, é muito importante que o investidor pesquise e avalie os planos. Levando-se em conta as taxas e a rentabilidade, para a melhor escolha e evitando mudanças no meio do caminho. Apesar de a portabilidade não oferecer qualquer ônus ao consumidor.

Posso parar de aplicar em situação de risco?

Você está investindo no PGBL e, por exemplo, perde o seu emprego. O que pode ser feito?

Não só o PGBL, mas todos os planos de previdência permitem a suspensão temporária dos aportes a qualquer momento. Isso não quer dizer que tudo o que você investiu até então não vai mais rentabilizar.

A boa notícia é que o seu plano continuará ativo. Os recursos acumulados, rendendo, e assim que você quiser poderá retomar a rotina de investir.

Podem ser feitos, inclusive, aportes adicionais, de qualquer valor, durante o período de acumulação de recursos.

Se você tem dúvidas se o melhor a fazer é investir na previdência privada ou em um seguro de vida, confira mais informações em nosso blog!

Faça uma cotação de seguro de vida.

+ O que é LCI

+ Previdência Privada Santander