Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Previdência privada ou Seguro de Vida? O que você deve escolher

Seguro de Vida ou Previdência Privada? Saiba a diferença entre os dois produtos e entenda.

Previdência Privada ou Seguro de Vida? Entenda as características de cada produto.

Todas as pessoas enfrentam uma fase cheia de dúvidas quando começam a acumular patrimônio. Quais são as melhores alternativas de investimento? Como devo diversificá-los? Como mitigar os riscos que posso correr nesse processo?

Uma das dúvidas mais comuns é na relação entre Seguro de Vida e Previdência Privada. Qual você deve contratar? A resposta é: depende. Esses dois produtos têm características e finalidades diferentes entre si, e podem coexistir tranquilamente numa carteira de investimentos diversificada.

Entenda um pouco mais sobre a diferença entre esses dois produtos.

Produtos com finalidades diferentes

O Seguro de Vida e a Previdência Privada possuem finalidades diferentes: enquanto o Seguro de Vida é um instrumento de proteção financeira da família, a Previdência Privada é um método de acumulação de patrimônio.

Na Previdência, o objetivo é juntar patrimônio durante um período, que será administrado pela companhia que vende o produto com o objetivo de valorizá-lo. Ao final do período contratado, a pessoa terá direito a sacar o dinheiro juntado de maneira integral ou em parcelas, de acordo com o contratado.

Embora essas instituições tenham regras mais duras que fundos de ações não ligados a Previdência, elas também estão expostas aos riscos do mercado financeiro. Por isso, diferente do Seguro de Vida, a Previdência também é uma operação com risco.

A Previdência Privada é um produto voltado ao longo prazo. Caso você deixe de pagar a Previdência por qualquer motivo, desconsiderando as demais sanções do contrato, seu saldo será menor do que se pagasse o plano inteiro. Além disso, você sofre punições ao sacar o seu dinheiro antes da hora.

Já o Seguro de Vida é diferente. O objetivo desse produto é garantir o equilíbrio financeiro dos beneficiários no caso da morte ou invalidez da pessoa que sustenta a família. Você contrata o valor que você acredita ser suficiente para sua família se restabelecer caso aconteça algo com você.

Nessa modalidade, não há acumulação de patrimônio, já que ela é pensada para reestabelecer a estabilidade financeira da família. Na melhor das hipóteses, essa modalidade é uma garantia de herança para as futuras gerações, em casos muito específicos.

Além disso, essa modalidade é pensada para o curto prazo. Isto é, quanto antes ela for contratada, melhor é o seu custo benefício. No longo prazo, a tendência é você perder dinheiro: se você paga o Seguro de Vida por um bom tempo e nenhum risco se concretiza (ainda bem!), o dinheiro que você gastou acaba ficando para a seguradora.

No entanto, essa é a melhor alternativa para garantir a estabilidade financeira das famílias de quem ainda está acumulando patrimônio.

A Previdência Privada é tributada, o Seguro de Vida não

A Previdência Privada é considerada um investimento financeiro. Por isso, ela sofre tributação de Imposto de Renda. No entanto, cada modalidade de Previdência Privada tem um modelo de tributação diferente.

São dois tipos de planos: o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre).

No PGBL, caso você seja assalariado, você pode abater até 12% da sua renda anual no Imposto de Renda caso invista essa porcentagem nesse tipo de plano. No entanto todo o montante final será tributado no momento do resgate ou nos pagamentos mensais. A mais: o resgate da previdência privada antes do termino do contrato acarreta taxas e impostos maiores, levando a perca de investimento.

Já no caso do VGBL, não é possível abater o investido no Imposto de Renda. No entanto, no momento do saque, é tributado somente o rendimento do investimento, e não o montante total como no caso do PGBL.

Você pode ver nossa postagem sobre como fazer uma previdência privada para tirar suas dúvidas sobre o assunto.

Essas modalidades ainda tem diferenças em regimes de imposto progressivos e regressivos, que você pode entender mais aqui.

Já no caso do Seguro de Vida, ele não é tributável. Além disso, ele não incorre em impostos de herança e é impenhorável, o que pode não acontecer com a Previdência Privada a depender dos casos.

+ O que pode ser deduzido do Imposto de Renda?

Então, o que contratar? Por que não os dois?

Agora que você já entendeu os prós e os contras desses produtos e a diferença entre si, você já percebeu que pode ter os dois tranquilamente, já que eles tem finalidades diferentes.

Falando em Seguro de Vida, aproveite e contrate agora com a Bidu Corretora. Acesse nossa página, conheça os benefícios da Porto Seguro e já solicite!