Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Roubo de cachorro: veja como evitar

Roubo de cachorro

Roubo de cachorro: veja como evitar

Infelizmente, talvez você já tenha ouvido falar sobre roubo de cachorro ou de animais de estimação em geral. É mais comum do que se imagina. Em São Paulo há até quem saia para passear com os cachorros levando objetos de valor e, assim, em caso de assalto, entrega celular e dinheiro para, quem sabe, poder ficar com o animalzinho. Não é fácil. E o jeito acaba sendo o cidadão tomar medidas de precaução, pois todo cuidado é pouco.

Se você quer se sentir mais seguro e reduzir o risco de roubo de cachorro ou gato e ficar sem seu melhor amigo, confira algumas dicas. Entre elas, separamos pra você algumas ideias. Confira.

Coleira com identificação

Animais de estimação têm energia de sobra e às vezes basta um piscar de olhos para escaparem. Às vezes, desaparecem por pequenos descuidos. Assim, colocar uma coleira com dados de identificação do dono é uma precaução das mais básicas. Anote pelo menos seu nome, telefone e endereço.

Sistema de segurança na casa

Há também alternativas de segurança para os casos de invasão da casa. Os sistemas de segurança no imóvel podem ajudar muito a identificar assaltantes. É um cuidado extra, sobretudo, se você pretende fazer uma viagem e deixar os animais sozinhos.

Um microchip no pet

Ainda assim, colocar uma coleira e anotar seu telefone é insuficiente em caso de roubo, porque é muito fácil retirá-la. Embora o microchip não seja tão eficiente quanto um GPS, a ponto de você identificar rapidamente o animalzinho, caso alguém o encontre, ou o compre, pode levá-lo a um abrigo ou clínica veterinária que tenha o scanner. O equipamento lê as informações cadastradas no chip e, com isso, fica mais fácil entrar em contato com o dono. Assim, essa pode ser uma alternativa interessante e o procedimento é bem simples: o microchip veterinário é inserido na pele do animal, por meio de uma agulha, mas não machuca. É como uma injeção. Em alguns países, o procedimento já é obrigatório, como Japão e Estados Unidos.

Evite a fuga do animal

Parece óbvio, mas o que não falta em muitas ruas são plaquinhas com fotos de animais que fugiram. Em muitos casos, apenas porque o portão foi deixado aberto. Vale ressaltar também que não é muito seguro deixar o cãozinho amarrado fora de algum estabelecimento, por exemplo, enquanto faz compras no supermercado ou entra em alguma loja. Isso porque, além da questão da fuga, em razão da ansiedade do animal que fica sozinho, ele pode se tornar alvo fácil para roubo.

Fora do carro

Deixar seu cachorro ou seu gato dentro do carro também pode chamar atenção dos assaltantes. Além disso, deixar os pets no automóvel é perigoso para a saúde deles.

 

Agora conte pra gente: Quais medidas de segurança você toma para proteger seu cão ou seu gato? Já passou por alguma dessas experiências? E não deixe de conferir como deixar seu cão seguro no ano novo e quais as doenças mais comuns de cachorros.