Certificado Internacional de Vacinação: o que é e como tirar?

Imagem de pessoa tomando vacina para ilustrar texto sobre carteira internacional de vacinação.

Certificado Internacional de Vacinação: o que é e como tirar?

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é um documento que comprova a imunização contra a febre amarela e outras doenças, conforme o Regulamento Sanitário Internacional. Para emiti-lo você precisa estar com sua carteira internacional de vacinação em ordem.

Imagem de pessoa tomando vacina para ilustrar texto sobre carteira internacional de vacinação.

Há países que exigem do turista a carteira internacional de vacinação atualizada.

Está com viagem marcada?

Veja a seguir tudo o que você precisa saber para tirar o Certificado Internacional de Vacinação.

O que é a Carteira Internacional de Vacinação?

Vai viajar para o exterior? Então, a sua carteira internacional de vacinação precisa estar em dia! Você precisará dela para emitir o seu Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

Este documento deve ser apresentado às autoridades de imigração de uma lista que compreende 135 países. Esta demanda vale também para os casos de conexões e escalas.

Por ser exigido como condição para a entrada de um viajante em território internacional, o CIVP é emitido gratuitamente pelo governo brasileiro, por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele serve, basicamente, como um atestado de que o cidadão foi imunizado contra a febre amarela.

Contudo, o CIVP pode compreender outras doenças, conforme mudanças no contexto epidemiológico mundial.

Por que tirar CIVP?

A exigência da vacinação contra a febre amarela, assim como outros procedimentos profiláticos, são considerados como medidas de segurança indispensáveis. Isso porque ela evita a disseminação de doenças mundo afora.

É por isso que o viajante deve apresentar o CIVP aos agentes de imigração para que possa ingressar em território internacional.

Fique atento! A autoridade do país de destino poderá deportar o viajante em caso de problema na apresentação do documento.

Para obter outras informações sanitárias, o viajante pode acessar o site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e consultar a lista completa de exigências de diversos países.

Podem haver também dúvidas pontuais sobre a aplicação das normas de controle sanitário em países onde serão feitas conexão ou escala. Nesses casos, elas podem ser esclarecidas junto aos respectivos consulados e embaixadas e/ou junto à empresa aérea que opera nestes destinos.

Vai viajar para a Europa pela primeira vez? Veja dicas de como montar um bom roteiro de viagem para o velho continente.  

Quem precisa do CIVP?

Quem estiver viajando com destino ou escala/conexão em países que exigem a vacinação contra a febre amarela precisa do Certificado Internacional de Vacinação em sua carteira internacional de vacinação.

A necessidade de emissão do documento vale para crianças com idade a partir de nove meses.

Como tirar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia?

Atualmente, é possível solicitar o CIVP pela internet e imprimi-lo em qualquer lugar do mundo. Mas, também é possível realizar o processo de forma presencial.

Em ambos os casos, você deve seguir as seguintes etapas:

Passo 1: tome a vacina

Você pode se vacinar em um posto de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) ou procurar os serviços de vacinação privados credenciados. Esteja com sua carteira internacional de vacinação em mãos, caso já tenha a sua.

Vale ressaltar que as unidades da Anvisa apenas emitem o CIVP e não realizam vacinação.

Importante: é preciso guardar o certificado de vacinação. Você deverá apresentá-lo no momento em que solicitar o CIVP.

Verifique se os seguintes dados estão corretamente preenchidos no seu cartão nacional de vacinação:

  • Data de administração, fabricante e lote da vacina;
  • Assinatura do profissional que realizou a aplicação;
  • Identificação da unidade de saúde onde ocorreu a aplicação da vacina.

Passo 2: escolha o atendimento presencial ou online

No atendimento presencial, você deve efetuar um pré-cadastro no site da Anvisa. É só escolher a opção”cadastrar viajante”.

No atendimento online, o  CIVP pode ser emitido online e impresso em casa. Basta fazer o cadastro no Portal de Serviços do Governo Federal.  

Para realizar o cadastro, você precisará de:

  • Documento pessoal oficial;
  • Conta de e-mail válida;
  • Nome do responsável para cadastro de menores.

Passo 3: acessando o Certificado Internacional de Vacinação

Você pode ter acesso ao CIVP de duas formas:

Quanto tempo demora para emitir o CIVP?

O prazo para emissão do documento é de até 15 dias úteis.

Nos casos de viagem urgente, o interessado deve realizar o pré-cadastro online e dirigir-se a uma das unidades emissoras.

Quais os documentos necessários para emissão do CIVP?

  • Cartão nacional de vacinação preenchido corretamente;
  • Documento de identidade original com foto;
  • Carteira de Identidade (RG);
  • Passaporte;
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida;
  • Certidão de nascimento para menores de 18 (dezoito) anos.

A população indígena que não possui documentação está dispensada da apresentação de documento de identidade.

Como tirar o CIVIP para criança e/ou adolescente menor de 18 anos?

Os pais ou responsáveis legais podem solicitar a emissão para crianças ou adolescentes menores de 18 anos nos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante da Anvisa. Para isso, não é necessária a presença da criança ou adolescente.

Com quanto tempo de antecedência devo tomar a vacina contra febre amarela?

Uma das principais dúvidas quando se fala em carteira internacional de vacinação é sobre os prazos para administração das vacinas.

A vacina contra febre amarela deve ser tomada, no mínimo, com 10 dias de antecedência de sua viagem.

Se o seu objetivo é viajar para o exterior, você deve apresentar o comprovante de viagem. São aceitos a reserva da passagem ou outro documento que comprove sua viagem ou compromisso no exterior.

Qual a validade do CIVP?

O cartão internacional de vacinação não tem prazo de expiração conforme diretriz da Organização Mundial de Saúde (OMS). Isso significa que possui validade por toda a vida do titular e não precisa ser trocado ou renovado.

Vale reforçar que somente quem tomou a dose única da vacina contra febre amarela é quem tem direito à emitir o CIVP. Quem tomou a dose fracionada terá de renovar a vacinação.

Se a sua dose está em dia, basta apresentar o cartão nacional de vacinação com os dados da vacina tomada para emissão do CIVP.

Perdi o CIVP, e agora?

Para a emissão da 2ª via do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia você deve marcar um novo agendamento nos postos da Anvisa. A partir dos seus dados no cadastro será possível emitir uma nova via do documento.

Se você estiver no exterior, deve procurar o consulado brasileiro e fazer a solicitação informando seus dados pessoais (nome, data de nascimento, documento de identidade, CPF). Você também pode solicitar o seu CIVP digital através do Portal de Serviços do Governo Federal.

É preciso renovar a vacina contra a febre amarela?

A OMS concluiu em 2014 que o reforço da dose da vacina contra febre amarela não é necessário para manter a proteção contra a doença. Desta forma, quem já foi vacinado pelo menos uma vez, não precisa renovar a dose.

Desde 2017, o Brasil adotou a recomendação da OMS e o esquema vacinal de uma única dose como forma de imunizar contra a febre amarela para a vida toda.

Se você tomou a vacina antes dessa data, pode ficar tranquilo, pois a vacina contra a febre amarela permanece a mesma. A Anvisa esclarece que o que mudou foi apenas o entendimento sobre a sua validade.

E quem não pode tomar a vacina contra febre amarela?

A vacina contra a febre amarela está contra-indicada nos seguintes casos:

  • Crianças menores de nove meses de idade;
  • Mulheres amamentando crianças menores de seis meses de idade;
  • Pessoas com alergia grave ao ovo;
  • Pessoas que vivem com HIV e que têm contagem de células CD4 menor que 350;
  • Pessoas em tratamento com quimioterapia/ radioterapia;
  • Pessoas portadoras de doenças autoimune;
  • Pessoas em tratamento com imunossupressores (que diminuem a defesa do corpo).

Nesses casos, o viajante deverá apresentar um Atestado Médico de Isenção de Vacinação, preenchido por um médico, contraindicando a vacina. Este documento deve ser escrito em inglês ou francês.

As autoridades de saúde de outros países devem aceitar esse documento como válido. Porém, outras medidas de controle sanitário poderão ser aplicadas pelo País de destino, conforme previsto no Regulamento Sanitário Internacional (RSI).

CIVP para meningite e/ou poliomielite

A exigência da vacina contra a meningite e poliomielite é menos comum. Porém, alguns países podem exigir de brasileiros a comprovação de certificado Internacional de vacinação para essas doenças.

Quem precisar da emissão do CIVP contra a meningite e/ou poliomielite poderá fazer a solicitação apenas no atendimento presencial.

A Anvisa explica que isso é necessário para que sejam cumpridos os requisitos sanitários divulgados pela OMS. Como procedimento padrão, no atendimento são checados o histórico vacinal, a idade, o tipo e o lote da vacina, o número de doses recebidas, a dose recomendada e a validade da vacina.

Cuide de sua carteira internacional de vacinação

Se você tiver dúvidas sobre como manter sua carteira internacional de vacinação em ordem, pode entrar em contato com a central de atendimento da Anvisa pelo telefone 0800 642 9782.

O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 19h30.

Acesse também o site.

Vai viajar? Faça um seguro viagem internacional

Viajar é tudo de bom. Mas, para ficar tranquilo você precisa de um seguro viagem internacional. Assim, você pode ter assistência médica e odontológica em qualquer lugar do mundo, além de coberturas contra perda ou extravio de bagagem e despesas farmacêuticas.

Compare diferentes planos. Peça agora uma cotação online.

 

Última atualização em 01/04/2019