Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Intercâmbio para crianças. Isso existe?

Imagem de crianças no campo para ilustrar post sobre intercâmbio para crianças

Intercâmbio para crianças. Isso existe?

Muitos pais não veem a hora que seus filhos aprendam um segundo idioma e vivenciem experiências internacionais. E o intercâmbio para crianças não é incomum nesses casos. Segundo a Belta, associação das agências de intercâmbio, 20% das agências vendem pacotes para jovens de até 15 anos. A maior parte com programas de duração de até um mês. Mas a procura por intercâmbio para crianças vem crescendo cada vez mais. Algumas agências começaram a ofertar programas de intercâmbio para crianças a partir de sete anos e também para crianças a partir de cinco anos (este com a presença dos pais).

Como funciona intercâmbio para crianças

Os intercâmbios para crianças são baseados em cursos para aprender idiomas e, geralmente, são feitos nas férias escolares. Muitos pais gostam de intercalar a aula de idiomas com aulas diferentes. Por exemplo: pela manhã a criança aprende o idioma e à tarde tem aulas de dança, robótica, esportes, etc. Essa é uma maneira da criança não só aprender algo novo como também se divertir e aproveitar suas férias.

Hospedagem

Se a criança viajar junto com sua família, ela tem a opção de ficar com eles durante à noite mas, de dia, fazer outras atividades. Se viajar sozinha, pode ir junto com outros estudantes brasileiros acompanhadas de um monitor responsável. Ele cuidará delas durante todo o período.No destino ela pode se hospedar num alojamento estudantil ou na casa de alguma família que a receba como intercambista.

Documentos necessários

Para sair do Brasil é necessário passaporte, RG, uma autorização assinada pelos pais (com firma reconhecida em cartório), visto, cartão de vacinas, seguro viagem e medicamentos (para remédios controlados é necessário receita médica em inglês). Também é bom levar uma lista de telefones úteis ou de emergência.

Como é o contato com os pais que ficam no Brasil

Há programas flexíveis. Mas em algumas escolas o celular é proibido para evitar o contato excessivo com o país de origem. O ideal é que os pais se organizem para conversar com os filhos uma vez por dia, à noite, por exemplo. A mesma coisa vale para quando os pais viajam junto com as crianças – combinar um horário de encontro.

Adaptação

Os monitores são treinados para ajudar e trabalhar com as crianças no que for necessário. Mas a criança pode desistir do intercâmbio e voltar para o Brasil quando quiser.

Idioma durante o intercâmbio para crianças

Durante o programa, fala-se apenas o idioma local. Mas, em caso de emergência, a criança pode ficar à vontade para falar em português.

Em caso de emergência

Se acontecer alguma coisa com a  criança, é bom saber que a maioria dos programas contam com um enfermeiro 24 horas. Os planos de seguro viagem cobrem despesas de até US$ 250 mil e priorizam os melhores hospitais. Se a criança precisar ficar internada no hospital, um monitor estará acompanhando o tempo inteiro. E os pais são sempre avisados sobre o que está acontecendo, estando em comunicação constante com o monitor.

Os destinos mais comuns de intercâmbios para crianças

Os destinos mais comuns de intercâmbio para crianças são Inglaterra e Estados Unidos porque os pais priorizam o ensino de inglês como segundo idioma para as crianças aprenderem. Saiba também sobre locais onde é possível estudar de graça na Europa.

Lembre-se de fazer o seguro saúde para intercâmbio.

E se você já tem um filho mais velho, conheça também o intercâmbio para adolescentes.