Seg. a Sex. 9:00 às 18:00
(Horário de Brasília)

Mochilão Europa: como planejar e o que levar

Planejar um mochilão Europa, desses que você precisa passar por diversas cidades e ainda economizar, pode parecer complicado. Mas pensando numa coisa de cada vez, fica mais fácil conseguir se organizar.

Preparamos pra você um guia especial para ajudar no planejamento dessa viagem inesquecível. Com ele fica mais fácil realizar o seu mochilão Europa.

Imagem da cidade de Amsterdam com a descrição mochilão europa

Amsterdam – Holanda

Defina a data do seu mochilão Europa

A Europa, diferente do Brasil, requer uma atenção especial com a época da viagem. Isso porque lá as estações são bem definidas e isso faz com que você tenha uma viagem diferente da outra de acordo com a época do ano.

Se você for no inverno por exemplo, pode pagar mais barato por tudo, mas talvez tenha que gastar um pouco mais com transporte, já que as caminhadas no frio não serão tão prazerosas assim. É possível que você acabe gastando também por conta dos programas em ambientes fechados – restaurantes, cafés, pubs, museus e galerias.

No verão pode ser mais confortável do ponto de vista do clima, porém tudo fica mais lotado e mais caro (hospedagem, passagens aéreas, passeios turísticos). Uma vantagem de viajar no verão é que os dias são mais longos, anoitecendo por volta das oito horas da noite, portanto você consegue aproveitar mais.

Mas para falar da época ideal para um mochilão na Europa, seria entre março e junho e setembro a novembro – nem frio, nem muito lotado.

Quanto tempo de viagem é necessário?

Isso depende do tempo disponível de cada um. É possível fazer um mochilão Europa com diferentes disponibilidades. Se você tiver três meses, vai planejar um roteiro mais robusto e diversificado. Se tiver apenas duas semanas, vai fazer um roteiro mais focado.

No entanto, é importante você saber exatamente quanto tempo tem, quando vai chegar e quando vai embora para conseguir definir o seu roteiro de forma mais assertiva.

Uma coisa para você ficar esperto é que muita gente cai nessa roubada de ficar pingando de uma cidade para outra, de um país para outro o tempo todo. Algumas pessoas se programam para passar um dia em tal cidade ou tal país e o resultado é uma viagem mal feita onde não se consegue conhecer nada direito.

Defina qual será o seu roteiro de mochilão na Europa

O que você tem vontade de conhecer na Europa? É essa a pergunta que você deve fazer. Porque são tantas opções, tantos países, que é melhor você filtrar os seus preferidos e optar por eles.

Uma boa dica é pegar uma área específica da Europa. Por exemplo: você pode escolher o leste europeu (Hungria, República Checa, Polônia, Ucrânia, etc), pode escolher o sul da Europa (Espanha, França, Portugal, Itália), os países do norte (Alemanha, Áustria, Holanda, etc) ou os países escandinavos (Dinamarca, Suécia, Finlândia, Noruega).

Quando você escolhe uma área específica, perde menos tempo de deslocamento, sai mais barato e facilita a sua vida.

Não caia na besteira de pular de uma capital para outra. Cada país tem sua cultura particular e quanto mais tempo você conhecê-lo, melhor. Lembre-se: numa viagem, quantidade não é qualidade.

Defina como você vai se locomover de lugar para outro

O legal de fazer um mochilão Europa é que existem muitas possibilidades de transporte de um lugar para outro.

Um dos grandes meios é o trem, que funciona super bem no continente conectando países e cidades (além de ser uma viagem super prazerosa).

Se você adquirir o Global Pass da Eurail, você terá acesso a viagens ilimitadas pela Europa durante 22 dias e o passe sai por 614 euros. Se você tiver passaporte europeu, o passe sai por quase a metade do preço, 385 euros.

As viagens de avião também podem sair bem em conta pela Europa. Os países possuem companhias aéreas chamadas low cost, nas quais você consegue encontrar passagens até por 1 euro! Já imaginou? A companhia aérea low cost mais famosa é a Ryanair. Você pode consultar os preços das passagens no próprio site ou em sites buscadores de passagens aéreas.

Um outro meio que anda bem popular na Europa são aplicativos de carona, como o BlaBlaCar. Esses aplicativos oferecem toda segurança já que possuem todo o histórico e  review dos usuários. Vale a pena dar uma checada se você precisar viajar de uma cidade próxima a outra.

Defina como será a sua hospedagem

A maneira mais comum de hospedagem dos mochileiros pela Europa é ficar em hostels. Hostels são albergues nos quais você pode optar por dormir com outras pessoa no quarto ou dormir num quarto privado. Lembre-se: quanto mais pessoas dividirem o quarto com você, mais barato vai sair a viagem.

Mas de vez em quando é bom você se dar algum conforto para dormir bem e recarregar as energias. Uma outra opção bacana se você quiser se sentir mais local e for passar mais tempo nos lugares é se hospedar num Airbnb.

Uma coisa importante é que no mochilão é melhor você não reservar sua hospedagem com muita antecedência. Como você vai passar por muitas cidades, pode ser que você queira mudar o seu roteiro no meio do caminho, optando por ficar mais ou menos tempo em certa cidade. E o legal do mochilão é justamente essa flexibilidade. Não abra mão disso.

Confira quais são os documentos necessários para viajar pela Europa

Preocupar-se com documentos da viagem pode ser a parte mais chata de todo o planejamento, porém necessária. Para viajar à Europa, você precisa de um passaporte com no mínimo seis meses de validade e um seguro de viagem internacional.

Você não precisa tirar um visto; ele será concedido no momento de entrada ao continente. Algumas perguntas serão feitas, você precisará mostrar sua passagem de ida e volta, seu seguro de viagem e então eles decidem se permitem a sua entrada. A validade do visto é de 3 meses.

Na Europa, alguns países fazem parte do Espaço de Schengen. Trata-se de um acordo entre 26 países que permite que você circule livremente entre eles. São eles:  Áustria, Bélgica, Finlândia, Islândia, Malta, Eslováquia, França, Itália, Países Baixos, Eslovenia, República Tcheca, Alemanha, Letônia, Noruega, Espanha, Dinamarca, Grécia, Liechtenstein, Polônia, Suécia, Estônia, Hungria, Lituânia, Portugal, Suíça e Luxemburgo.

Outros países como Croácia, Bulgária e Chipre têm suas próprias regras, portanto é necessário ficar atento.