Dicas: o que fazer no Chile?

Um dos roteiros da América do Sul favoritos dos brasileiros é o Chile. Ele é conhecido pela qualidade dos seus vinhos e por suas paisagens, como a Cordilheira dos Andes e o Deserto do Atacama. Seja no verão ou inverno, com sol ou neve, o Chile é sempre uma excelente opção. Por isso, montamos um roteiro com dicas sobre o que fazer no Chile partindo da sua capital, Santiago.

Foto de Santiago para texto sobre o que fazer no Chile

A capital, Santiago, abriga inúmeras paisagens e possibilidades de passeios.

Se você está planejando sua viagem para lá, veja como desfrutar ainda mais de alguns dias por esse país tão querido.

Sobre o Chile

Antes de começarmos as nossas dicas sobre o que fazer no Chile, vamos conhecer alguns detalhes desse país.

O Chile ou República do Chile ocupa uma faixa importante da América do Sul, entre o Oceano Pacífico e as Cordilheiras dos Andes. Seu território, ocupado por mais de 17 milhões de habitantes, sendo a maioria moradores de áreas urbanas (85%). O Chile não faz fronteira com o Brasil.

A capital do Chile é a famosa Santiago. Seu idioma oficial é o espanhol e sua moeda é o peso chileno. Entre os principais nomes de famosos chilenos, estão o escritor e poeta Pablo Neruda, a ganhadora do Nobel de Literatura Gabriela Mistral, e o jogador de futebol Alexis Sánches.

Na gastronomia, os destaques ficam com as cazuelas, as empanadas, os asados, o pastel de choclo e de papas, a sopaipillas e o curanto. Ficou curioso em descobrir o que significa cada um desses pratos? Então anota aí no seu guia e não deixe de experimentar ao chegar ao seu destino.

O que fazer no Chile: Santiago

Imagem mostrando um panorama da cidade de Santiago, com destaque para a linha de trem.

O metrô na capital, Santiago, é fácil de ser usado.

Não dá para falar sobre o que fazer no Chile sem começar pela sua capital.

Santiago e é uma bela cidade arborizada, muito limpa, grande, com mais de seis milhões de habitantes. Possui um eficiente sistema de metrô que facilita e muito a vida de quem mora lá e também dos seus turistas.

Mesmo sendo a capital, Santiago reserva bairros mais tranquilos, boêmios e com aquele ar de que parou um pouco mais no tempo.

Entre as principais atividades da cidade, estão museus, vistas panorâmicas, prédios históricos, vinícolas, além de boas referências gastronômicas.

Em Santiago é possível ver neve e até esquiar, se você escolher o período do inverno para visitar.

Transporte em Santiago

Conhecer o transporte é fundamental para saber o que fazer no Chile.

A dica ao chegar a Santiago, pelo aeroporto da cidade, é planejar bem a sua opção até o seu local de hospedagem. Há opção de ônibus coletivo, mas não a considere em horários de pico, para não acabar preso no trânsito.

O aluguel de carro é uma boa opção. O transfer, oferecido geralmente pelos locais de hospedagem também pode ser uma boa forma de transporte.

Mas para quem preferir, no próprio aeroporto é possível pegar o tradicional carro compartilhado, o Uber. Apenas fique atento. Assim como no Brasil, muitos motoristas desses carros não aceitam dinheiro como forma de pagamento.

Principais pontos turísticos

Imagem da cordilheira dos Andes para texto sobre o que fazer no Chile

A cordilheira dos Andes pode ser vista de diversos pontos do Chile.

Quando você se pergunta “mas o que fazer no Chile?” logo vem a ideia de quais são os principais pontos turísticos de Santiago, não é mesmo? Então acompanhe a lista de passeios e pontos imperdíveis:

  • Plaza de Armas e a Catedral Metropolitana: é onde começa o circuito histórico da capital chilena, diretamente do coração da cidade. Aqui você encontra os principais prédios históricos, como a Catedral Metropolitana, que vale muito a visita. 
  • Cerro San Cristóbal e Parque Metropolitano: aqui é para quem gosta de ver as cidades de cima, em um passeio imperdível pelo ponto mais alto da cidade. Neste parque, você poderá visitar o zoológico da cidade e passear de teleférico do alto do monte. Além disso, há uma bela capela da padroeira da Cidade, a Imaculada Conceição.
  • Palácio de La Moneda: sede da presidência chilena, o Palácio de La Moneda também carrega em si um marco histórico, com o golpe de Estado que colocou Pinochet no governo do país em 1973. Lá, é possível acompanhar a troca da guarda que acontece às 10 horas da manhã em dias alternados.
  • La Chascona: La Chascona é a famosa casa do poeta Pablo Neruda, que recebe muitos turistas que buscam arte, arquitetura, cultura e, principalmente, poesia. Este passeio recomenda-se fazer uma reserva antes da visita.
  • Museu Nacional de Belas Artes: esse museu guarda mais de 5 mil peças em uma exposição permanente, que aborda tanto a arte local quanto a estrangeira. O museu fica localizado dentro do Parque Florestal da cidade.
  • Museu de Arte Pré-Colombina: considerado um dos melhores museus do Chile, esse espaço é para quem aprecia o legado de civilizações antigas e a cultura dos povos pré-colombianos.
  • Mercado Central: o Mercado Central é uma mistura de gastronomia e artesanato. Procurado por turistas para experimentar o famoso caranguejo gigante, conhecido como centolla, o local é especializado em frutos do mar.
  • Cerro Santa Lucía: um parque no meio do caos da vida urbana. Muita tranquilidade, jardins monumentais e uma vista deslumbrante para a Cordilheira e para a capital.
  • Providência: bairro de Santiago que se destaca pelo comércio, bares e ótimos restaurantes.
  • Bellavista: espaço boêmio para quem curte um ambiente charmoso e alegre.
  • París y Londres: bairro próximo ao metrô da Universidad de Chile. Seus espaços remetem a nostálgica arquitetura europeia. Além de diferentes locais para visitação, o bairro tem como porta de entrada o convento e a Igreja de São Francisco.  
  • Barrio Lastarria: teatros, museus, livrarias, gastronomia, moda, pintura e muita boemia. É assim que se resume esse bairro, que também abriga uma tradicional feira de antiguidades, de quinta a sábado.

Quais passeios fazer no Chile fora de Santiago?

Foto de Vina del Mar para texto sobre o que fazer no Chile

Vina del Mar é uma cidade praiana que pode ser visitada em um passeio de um dia a partir de Santiago.

Continuando a falar sobre o que fazer no Chile, vamos sair um pouco de Santiago. Além dos pontos turísticos da capital, também precisamos dar destaques aos passeios que são próximos à cidade:

Vinícolas: a gente sabe que todo brasileiro chega ao Chile atrás de um bom vinho. Por isso, a dica é fazer os passeios para as vinícolas Concha y Toro, mais conhecida e tradicional entre os turistas, e Undurraga, de menor porte, mas que reserva deliciosas degustações.

Para esse passeio é bom que você faça o seu trajeto por conta própria. Pesquise bem a região e as suas opções, assim você economiza bastante, sem contratar agências especializadas.

Valparaíso: cidade portuária do Chile que é sede do poder legislativo do país. A cidade possui muitos morros, arquiteturas coloridas e com linda vista para o mar.

Viña del Mar: cidade de veraneio dos chilenos, Viña del Mar é ideal para quem busca as praias de água gelada do Oceano Pacífico. Ideal para passeios ao ar livre e para quem aprecia locais com clima mais alegre. Aproveite para conhecer ótimos restaurantes e se divertir nos cassinos locais.

Cordilheira dos Andes: A cordilheira pode ser vista de diversos pontos do Chile. Mas, para quem deseja ver bem de perto, esse passeio torna-se imperdível, principalmente no inverno. Nessa época, as suas curvas recebem a neve e deixam a paisagem mais marcante e charmosa.

Dicas para viajar para o Chile

Agora que você já viu várias opções do que fazer no Chile, vamos a algumas dicas práticas.

  • A entrada de brasileiros no Chile pode ser feita com o seu Registro Geral (RG), também conhecido como carteira de identidade, sem a necessidade de visto ou passaporte. Mas, fique atento. O seu RG deverá estar em bom estado de conservação e com menos de 10 anos de emissão. Outros documentos, como carteira de motorista, não são aceitos.
  • Não deixe de verificar antes o câmbio local, para decidir se é melhor já ir com seu dinheiro trocado para peso chileno, ou se é melhor trocar quando chegar no Chile.
  • Para entrar no Chile não é exigido nenhum tipo de vacinação específica. Então, não se faz necessário o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP).
  • Seu celular brasileiro poderá ter bom sinal no Chile. Mas não se esqueça que as tarifas são bem maiores do que você utilizar por aqui, no Brasil. Você pode adquirir um chip de uma operadora local por até R$ 15, mas avalie antes a real necessidade disso.
  • Seguro viagem: não há obrigatoriedade para a contratação de um seguro viagem para ir ao Chile. Porém, para você viajar tranquilo, não deixe de contratar um. Só assim você garante que não terá dores de cabeça por qualquer acidente ou emergências.

Já sabe agora o que fazer no Chile?

Aqui na Bidu você pode contratar o seu seguro viagem, online. Do mais, agora é só fazer as malas e boa viagem!

Última atualização em 18/03/2019