Você já ouviu falar em Turismo Gastronômico?

Uma das partes mais aguardadas no roteiro de quem viaja é conhecer restaurantes e a gastronomia local. É daí que surgiu o chamado turismo gastronômico. Uma modalidade de turismo que vem ganhando adeptos em todo o mundo e, claro, no Brasil.

Imagem de queijos e bebida para ilustrar texto sobre o turismo gastronômico

Para fazer turismo gastronômico é importante ficar longe de redes de restaurantes já conhecidas e se jogar na culinária local

Podemos definir o turismo gastronômico como atividades que permitem experiências de consumo e apreciação de bebidas e comidas. Normalmente, os produtos consumidos valorizam a cultura, o meio ambiente e a história de determinada região.

Planejar uma viagem que prima pelo turismo gastronômico é mais do que simplesmente incluir pontos turísticos e paisagens dos locais a serem visitados. É fundamental incluir experiências que desafiam o paladar e a curiosidade de quem deseja experimentar novas receitas e sensações.

Ficou curioso para saber mais sobre o turismo gastronômico? Quer conhecer dicas de roteiros dessa modalidade? Aperte o cinto para cair na estrada!

Como vivenciar o Turismo Gastronômico?

Apreciar, com calma, os pratos típicos do local visitado, entendendo que esse é um momento importante da viagem. Essa é a definição perfeita para o turismo gastronômico. Afinal, em muitos lugares no Brasil e no mundo, a gastronomia é, por si só, uma das principais atrações para o viajante.

Assim como visitar os pontos turísticos para conhecer ainda mais a história de uma cidade, a culinária também é parte fundamental da cultura local. Por isso, é importante dedicar um tempo da viagem para provar e conhecer alguns dos principais pratos e restaurantes locais.

Como abrir mão de experimentar, por exemplo, um pão de queijo em Minas Gerais ou saborear um típico chimarrão no sul do Brasil?

Para que esse tipo de experiência ocorra, duas dicas de viagem são vitais. A primeira é estar atento às experiências vividas por outros viajantes e pela opinião dos próprios moradores do local. A segunda é abrir mão das conhecidas redes de alimentação para abrir espaço para as comidas típicas do destino.

Mais do que experimentar…

Não é somente conhecer e provar os pratos típicos da região visitada. O turismo gastronômico também pode permitir que o viajante participe e acompanhe o processo de produção de alguns produtos típicos.

Desta forma, é comum contratar tours por cervejarias, vinícolas, fábricas de doces, etc. 

Em resumo: o turismo gastronômico vai muito além de uma lista de restaurantes a serem visitados. E definitivamente não está relacionado apenas a uma atividade de alto custo, dedicada a quem deseja obter uma percepção gourmet requintada.

Também não está voltado somente ao agroturismo e nem demanda grandes deslocamentos. O turismo gastronômico está relacionado a todas as atividades que utilizam a comida como um meio de conexão entre os viajantes e os lugares por onde andam.

O Turismo Gastronômico no Brasil

Com muitas opções de sabores e uma culinária diversificada, o Brasil é um prato cheio para o turismo gastronômico.

Confira as dicas de locais que, além de belos e com muitas atividades à disposição do turista, atraem paladares diversos.

Região Norte

Aqui está uma região indicada para aqueles que optam por um turismo gastronômico com um sabor mais exótico.

No Norte do país é fácil encontrar pratos típicos feitos com ingredientes exclusivos – espécies animais e vegetais.

Peixes e frutos do mar dão o tom dos cardápios locais encontrados nos estados do Amapá, Amazonas e Rondônia.

Já no Acre o turista provará uma culinária com influência síria, libanesa, paraense e nordestina. No Pará a castanha do pará mostra a que veio, assim como o açaí, unanimidade nas receitas.

Região Nordeste

Com um vasto litoral, o Nordeste brasileiro também capricha nas receitas com peixes e frutos do mar.

Mas os temperos dessa região são muito típicos e dão o sabor “arretado” a muito do que é levado à mesa. O que dizer do azeite de dendê, por exemplo, praticamente sinônimo de Bahia?

Mas quando o turista chega em Alagoas, experiências diferentes são a grande pedida! É nesse estado que se pode encontrar uma culinária que brinda os turistas com carnes de búfalo e avestruz.

Região Sudeste

Sim, o centro econômico do Brasil surpreende com uma gastronomia bem variada.

Afinal, São Paulo abriga imigrantes de várias partes do mundo que brindam turistas e moradores locais com uma diversidade gastronômica pouco vista.

No Rio de Janeiro, o calor e a paisagem incrível entram em cena. Lá, o turismo gastronômico pode matar a sede com um belo roteiro de chope e petiscos.

Mas como fugir de uma das mais comentadas culinárias brasileiras: Minas Gerais! Frango com quiabo, pão de queijo e uma bela cachaça entram na vasta lista de comidas típicas de lá.

Região Sul

O turismo gastronômico do Sul é variado. Lá, podemos encontrar influências  italianas, alemãs, polonesas, entre outras. 

Em Santa Catarina, uma boa opção é a culinária regada a camarão e ostra, já que é o principal produtor de ostras do nosso país.

Ao chegar ao Rio Grande do Sul o turista não deve deixar de fora do roteiro os vinhos – e cabe aqui até alguns passeios guiados.

No Paraná as receitas com pinhão ganham a vez, além do tradicional barreado.

Região Centro-oeste

Trata-se aqui de uma região que traz influência de todos os cantos do Brasil, porém com um tempero todo próprio!

O empadão goiano é o símbolo da culinária local. No Mato Grosso o turista vai se deliciar com os pratos criados com peixes típicos da região.

Já o Mato Grosso do Sul reserva algumas surpresas pois apresenta uma culinária com influências da Bolívia e Paraguai, pode?

Atividades do Turismo Gastronômico

Aqueles que se identificam com esse tipo de viagem, já podem traçar seu perfil de viajante como um viajante gastronômico. Seja sozinho ou acompanhado, uma viagem com foco na gastronomia é sempre uma boa pedida.

Mas vale lembrar que é possível ir além da degustação de pratos e bebidas locais, ou mesmo de conhecer restaurantes tradicionais. Basta visitar feiras, mercados e exposições que tratam da história da culinária local.

Há ainda oportunidades de fazer parte de expedições gastronômicas lideradas por chefs e especialistas. Há muitas atividades onde compartilhar uma boa refeição traz sabor e, claro, conhecimento.

Uma última dica é ficar atento a cobertura do seu plano de saúde. Se ele não cobrir os lugares que você for visitar no Brasil, é preciso contratar um seguro viagem. Assim, você estará prevenido caso ocorra algum imprevisto no seu tour gastronômico. 

Agora se a viagem for para o exterior, não há nem o que pensar. Viajar para fora do país sem seguro viagem é fria. Faça uma cotação e escolha o melhor para você. 

 

 

 

Última atualização em 01/10/2019